Publicado em: 23/05/2017

A seleção de maio do Bekaa Wine Club Soft

 

 

A seleção de maio do Bekaa Wine Club Soft apresenta um vinho francês e um argentino, oferecidos aos membros do clube a preços especiais,  com excelentes custo/qualidade. Vamos aos vinhos.

 

A família Mas tem uma longa história de vinhedos no Languedoc-Roussillon onde elabora vinho desde 1892, mas foi Jean-Claude Mas quem levou o negócio ao que é hoje. Com um olhar de Novo Mundo sobre toda a região, a vinícola possui 170 ha, com propriedades em Pézanas, Montagnac e Limoux, além de parcerias em 700 hectares. Sua linha de rótulos varietais Vin de Pays d’Oc de qualidade inclui La Forge Estate e Arrogant Frog.  Saliente-se que  os vinhos não são orgânicos, todavia, possuem certificado “Terra Vitis” que significa que o Domaine Paul Mas trabalha de acordo com as normas da “agricultura sustentável”.

 

Paul Mas Vermentino 2015 –  foi elaborado com 100% Vermentino, com amadurecimento de 2 meses sobre as lias finas em tanques de inox de 150-250 Hl. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um amarelo palha, com toques verdeais, muito brilhante. Os aromas mostram frutos cítricos (limão, grape fruit), maçã, pêra, toques picantes de cajamanga  e um leve mineral. Na boca as sensações olfativas se repetem, com boa textura e acidez pontual. Bom final com o toque mineral se mostrando. Um vinho leve, para um fim de tarde. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 59,00, para os membros do Bekaa Wine Club Soft.

 

 

 

Bodega El Esteco é uma das mais tradicionais da região de Cafayate, Salta. As vinhas de Michel Torino estão entre as mais altas do mundo com 1.700m acima do nível do mar. Nasceu em 1892, fundada pelos irmãos David e Salvador Michel, franceses. Do casamento de David com Gabriela Torino surgiu o nome de Bodega Michel Torino. A vinícola foi adquirida pelo grupo Peñaflor que promoveu grandes investimentos e rebatizou com o nome El Esteco. Esteco é o nome de uma cidade próspera do norte argentino que em 1692 foi sepultada por uma atividade vulcânica. Dai a homenagem. São 530 hectares, sendo 400 de vinhedos.onde se cultivam Malbec, Cabernet Sauvignon, Torrontés, Chardonnay, Sauvignon Blanc, Chenin Blanc, Merlot, Tannat, Tempranillo, Bonarda, Pinot Noir, Syrah e Cabernet Franc. A partir da safra 2006, as suas vinhas foram certificadas como totalmente orgânico, mas Michel Torino escolhe apenas para garrafa quatro vinhos como orgânicos. Junto da bodega funciona um Hotel e Spa, que dá um movimento especial ao setor do turismo enológico na região. O projeto representa uma Villa típica da Italia.

 

Michel Torino Cuma Organic Torrontés 2015 – elaborado com 100%, sem carvalho, fermentação em aço inoxidável. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um amarelo palha brilhante, com toques verdeais. Os aromas mostram cítricos (lima,toranja), pêssego, carambola e algo floral (jasmim). Na boca apresenta textura suave, repetindo os cítricos amargos com mais intensidade, acidez equilibrada e leve mineral. Bom final cítrico com o toque de jasmim se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 51,00, para os membros do Bekaa Wine Club Soft

 

Publicado em: 22/05/2017

Garibaldi Acordes Chardonnay 2012

 

 

Garibaldi Cooperativa Vinícola está situada em Garibaldi, no coração da Serra Gaúcha. Possui um  quadro de 370 famílias associadas, numa área de 32 mil metros quadrados de construção e capacidade de estocagem que ultrapassa os 20 milhões de litros. A vinícola resolveu tocar um novo projeto: uma linha de vinhos premium, denominada Acordes,  composta por um espumante feito pelo método champenoise e corte de Chardonnay e Pinot Noir, um vinho branco 100% Chardonnay e um tinto 100% Merlot.

 

Garibaldi Acordes Chardonnay 2012 – elaborado com 100% Chardonnay, com estágio de 4 meses, sur lies, em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um amarelo-esverdeado ao palha.  Os aromas mostram  abacaxi, cítricos,  lichia, carambola, pêssego, notas florais, frutos secos, baunilha e toques tostados e amanteigados. Na boca apresenta-se bem frutado, untuosidade, boa textura, acidez equilibrada e breve salinidade. Bom final com o toque tostado se mostrando. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$69,90, na Vinum Day



Publicado em: 22/05/2017

Os vinhos do Dão

 

O Dão (nome de rio e da região) situa-se na Beira Alta, no centro Norte de Portugal. O vinho  nasceu há muito tempo. O Infante Dom Henrique levou-o nas caravelas para Ceuta, em 1415 onde, com ele, celebrava a vitória.

 

 As condições geográficas são excelentes para produção de vinhos: as serras do Caramulo, Montemuro, Buçaco e Estrela protegem as vinhas da influência de ventos. A região é extremamente montanhosa, contudo a altitude na zona sul é menos elevada. As vinhas situam-se maioritariamente entre os 400 e 700 metros de altitude. O clima sofre simultaneamente a influência do Atlântico e do Interior, por isso os Invernos são frios e chuvosos enquanto os Verões são quentes e secos.

 

Na Idade Média, a vinha foi desenvolvida pelo clero, especialmente pelos monges de Cister. Era o clero que conhecia a maioria das práticas agrícolas e como exercia muita influência na população, conseguiu ocupar muitas terras com vinha e aumentar a produção vitícola. Todavia, foi a partir da segunda metade do século XIX, após as pragas do míldio e da filoxera, que a região conheceu um grande desenvolvimento. Em 1908, a área de produção de vinho foi delimitada, tornando-se na segunda região demarcada portuguesa.

 

A região do Dão tem cerca de 20 000 hectares de vinhas, em aproximadamente 376 000 hectares de terra, que se estendem por vários distritos. Há mais de 70 milhões de vinhas plantadas, e as tradições locais afirmam que a famosa casta tinta Touriga Nacional é originária da vila de Tourigo, na região do Dão.

 

O Dão é uma região com muitos produtores, onde cada um detém pequenas propriedades. Durante décadas, as uvas foram entregues às adegas cooperativas encarregadas da produção do vinho. O vinho era, posteriormente, vendido a retalho a grandes e médias empresas, que o engarrafavam e vendiam com as suas marcas. 

 

Com a entrada de Portugal na CEE (1986) houve necessidade de alterar o sistema de produção e comercialização dos vinhos do Dão. Grande parte das empresas de fora da região que adquiriam vinho às adegas cooperativas locais, iniciaram as suas explorações na região e compraram terras para cultivo de vinha. Por outro lado, as cooperativas iniciaram um processo de modernização das adegas e começaram a comercializar marcas próprias, enquanto pequenos produtores da região decidiram começar a produzir os seus vinhos. As vinhas passaram também por um processo de reestruturação com a aplicação de novas técnicas vinícolas e escolha de castas apropriadas para a região.

 

As vinhas são constituídas por uma grande diversidade de castas, entre as quais a Touriga Nacional, Alfrocheiro, Jaen e Tinta Roriz (nas variedades tintas) e Encruzado, Bical, Cercial, Malvasia Fina e Verdelho (nas variedades brancas). Os vinhos brancos são muito aromáticos, frutados e bastante equilibrados. Os tintos são bem encorpados, aromáticos e podem ganhar bastante complexidade após envelhecimento em garrafa.

 

Vale a pena conhecê-los!

 

Publicado em: 22/05/2017

A seleção de maio do Bekaa Wine Club 90+

 

 

A Bodega Luigi Bosca, da Família Arizu, situada em Luján de Cuyo,  conta com uma trajetória de mais de 100 anos na indústria vitivinícola argentina. Dirigida atualmente pela terceira e quarta geração, constitui um dos poucos estabelecimentos vinícolas que, ao longo das décadas, permanecem em mãos da família fundadora e, por seu prestígio, tornou-se um paradigma do vinho nacional. A Luigi Bosca conta com 7 fincas na província de Mendoza: Los Nobles, La Linda, La España, Don Leoncio, El Paraíso, La Puntilla e Los Miradores. Ao todo são mais de 700 hectares dedicadas ao cultivo, estudo e entendimento da videira. As diferentes variedades que se produzem nestas fincas, foram trazidas da Europa na última década do século XIX. Utiliza-se de práticas biodinâmicas em seus vinhedos, inclusive obedecendo ao ciclo lunar.É um dos estabelecimentos produtores com maior participação no mercado argentino de vinhos premium; além disso, suas etiquetas estão presentes nos cinco continentes e chegam a mais de 50 países do mundo. Em Vistalba, a família Arizu possui a Finca Los Nobles, onde estão plantadas Cabernet Sauvignon e Alicante Bouchet há mais de 90 anos.

 

Luigi Bosca De Sangre 2014 - elaborado com 85%  de Cabernet Sauvignon, 8% de  Syrah e 7% de Merlot, a partir de uvas colhidas nas melhores parcelas da Finca Los Nobles (em Las Consultas) e Finca El Paraiso (em Maipu, Mendoza sendo que 50% das três variedades é envelhecido em barricas de carvalho entre 12 e 14 meses, seguindo-se uma suave filtração. Teor Alcoólico de 14,3%. A coloração é grená com nuances violáceas. Os aromas são muito complexos e nítidos, com frutas vermelhas, passas, notas herbáceas, especiarias, baunilha  e, ao final, alcaçuz, com toques de pimenta e côco queimado. Na boca apresenta-se com muita potência, robusto e vigoroso. Muito equilíbrio dos taninos, que se mostram integrados. Um excelente final, onde afloram os toques apimentados. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 109,90, para os membros do Bekaa Wine Club 90+  .

 

 

 

Fundada em 1993, a vinícola Montgras nasceu da união dos irmãos Hernán e Eduardo Gras com Cristián Hartwig. O primeiro com uma vasta experiência em Vinícolas no Canadá, seu irmão com a visão empresarial e Cristián com a visão de negócios. Tudo isso combinado com tecnologia de ponta, obstinação por produzir os melhores vinhos, os melhores terroirs , respeito a natureza e também a sua gente, fez com que a Vinícola MontGras  obtivesse vários prêmios internacionais. A sede da Montgras se situa no vale de Colchagua, oferecendo diversos programas de enoturismo com forte vocação didática, desde a tradicional visita aos vinhedos e às instalações com degustação, até degustações às cegas, degustações harmonizadas, participação na colheita, e o programa“Haz Tu Proprio Vino”. A MontGras tem um caso de amor com Carménère. Em 1994, foi pioneira no redescobrimento da uva, uma manobra de risco e inovação, que a transformou em uma das primeiras vinícolas chilenas a trabalhar essa varietal, que hoje e reconhecida mundialmente.

 

Montgras Antu Cabernet Sauvignon 2014 – elaborado com 100% Cabernet Sauvignon, com amadurecimento de 14 meses em barricas de carvalho (80% americano e 20% francês), sendo 1/3 novas, 1/3 de segundo uso e 1/3 de terceiro uso. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram amora, groselha , notas de pimenta negra, baunilha e  toques amadeirados (cedro ), Na boca apresenta um corpo potente, textura suave, taninos firmes e acidez equilibrada, repetindo as sensações do olfato. Longo final frutado, com o toque de cedro se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 101,00, para os membros do Bekaa Wine Club 90+  .

 

Publicado em: 21/05/2017

Caliterra Aventura Chardonnay 2016

 

 

Caliterra foi criada em 1996 como uma parceria entre a família Robert G. Mondavi e Viña Errázuriz, que procurou realizar seu sonho compartilhado de produzir vinhos de alta qualidade que reflitam o potencial da natureza chilena, terroir e frutas.O Vale do Colchagua foi escolhido como a casa de Caliterra Estate. Localizado no coração do vale, a propriedade de aproximadamente 1.085 há. No início de 2004 Viña Errázuriz adquiriu a participação da família Robert Mondavi com o objetivo de elaborar vinhos premium amigas do ambiente de uma das mais importantes regiões vinícolas do mundo. São produzidas as linhas Reserva – Monovarietais, Tributo – vinhos oriundos de um único vinhedo, Edición Limitada e Cenit –o ícone da Vinícola Caliterra.


Caliterra Aventura Chardonnay 2016 – elaborado com 100% Chardonnay, com rápida passagem em barricas usadas para 30% do vinho. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um dourado claro,  com reflexos esverdeados. Na boca apresenta abacaxi , lichia, pêssego e avelã. Na boca apresnta um é  corpo médio, repetindo as sensações do olfato, acidez equilibrada e ótimo frescor. Bom final frutado com avelã se mostrando. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 60,30, na Decanter.

 

Publicado em: 21/05/2017

Pitars Cabernet Franc 2015

 

 

A família Pitars descende de uma linha de mestres vinhateiros, que produzem vinhos na região do Friuli desde 1510. São vinicultores apaixonados pela sua terra e pelos frutos únicos que ela produz. Hoje a vinícola é comandada pelos irmãos Loris, Bruno, Mauro e Paolo, que vinificam suas criações a partir de vinhedos de baixo rendimento, inseridos nos solos pedregosos da DOC Friuli Grave. A adega Pitars está localizada na comuna de San Martino Al Tagliamento, bem no centro do Friuli, perto dos Alpes e ao mesmo tempo perto do mar Adriático, o que faz da região um local perfeito na produção de vinhos de qualidade superior, principalmente vinhos brancos.

 

Pitars Cabernet Franc 2015 – elaborado com 100% Cabernet Franc, com amadurecimento em tanques de aço inox. Teor Alcóolico de 12.5%. A coloração é de um rubi médio com muito brilho. Os aromas mostra frutas vermelhas, especiarias (orégano), folhas secas e notas terrosas. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves, bem integrados, acidez pontual e ervas presentes. Bom final frutado, com herbáceos se mostrando. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 49,90, no Vinum Day.

 

Publicado em: 21/05/2017

Bandeiras Barbera 2014

 

 

Pirineus Vinhos e Vinhedos fica localizado em Cocalzinho de Goiás , no leste goiano, a 157 quilômetros de Goiânia e 110 quilômetros de Brasília, fazendo parte do Parque Estadual das Serra dos Pireneus. A idéia de instalar um vinhedo e uma vinícola num local tão pouco convencional foi do médico Marcelo de Souza.Em 2003, tomou a decisão de começar o empreendimento, tendo como sócia a sua esposa. Adriana Rodrigues. Comprou a fazenda  Santa Rosa em 2004 e em 2005, fez a primeira plantação. Foram  quatro hectares com aproximadamente 10 mil mudas de uvas viníferas. Em 2010, colheu a primeira safra, que originou os vinhos Intrépido, de uva Syrah, e Bandeiras, de uva Barbera.  Hoje, a área do plantio é dividida em setores, que produzem uvas do tipo Syrah, Barbera, Tempranillo e Sangiovese.

 

Bandeiras Barbera 2014 -  elaborado com  85% de Barbera, 10% de Tempranillo e 5% de Sangiovese, sendo que 50% amadureceu por seis meses em barricas americanas e francesas. Não passou por filtração.Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um potente rubi, com muito brilho. No aroma mostra frutas negras, ameixa, especiarias, baunilha e leve tostado. Na boca apresenta um bom corpo repetindo as sensações olfativas, com  taninos firmes, bem integrados e acidez equilibrada. Um longo final frutado com baunilha se mostrando . Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 99,90, na Enoteca Brasil, de Brasília.

 

Publicado em: 21/05/2017

Abreu Garcia Cabernet Sauvignon/Merlot 2011

 

 

A família Abreu Garcia escolheu nos anos 2000 a Fazenda Campo Belo, em Campo Belo do Sul, na Serra Catarinense, para desenvolver e inovar a vitivinicultura. A plantação do primeiro vinhedo ocorreu em outubro de 2006. O envolvimento de Aparecido Silva, professor na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Doutor em Viticultura e Enologia pela Universidade de Bordeaux (França), foi fundamental para os primeiros passos do projeto, que ainda hoje conta com o seu zeloso acompanhamento. A vocação para o desenvolvimento de pesquisas se completa com a experiência de Jean Pierre Rosier, Doutor em Enologia pela Universidade de Bordeaux, e a modernidade do jovem enólogo Leonardo Ferrari, formado em Viticultura e Enologia pelo Instituto Federal de Bento Gonçalves. Teve o apoio da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI) e a parceria da Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária da UFSC. São cultivadas as uvas Merlot, Malbec, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Sauvignon Blanc, Chardonnay e Vermentino. Curiosidade: a colheita do primeiro cacho de uva, em 21 de março de 2009,  foi  com o primogênito Arthur no colo, do casal Ernani e Janaína iniciando a colheita.

Abreu Garcia Cabernet Sauvignon/Merlot 2011 – elaborado com 50% Cabernet Sauvignon e 50% Merlot, com amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho francês de 2º e 3º usos. Teor Alcoólico de 12,32%. A coloração é de um granada intenso e brilhante. Os aromas mostram amora, cassis, pimenta, chocolate, notas defumadas e toque balsâmico. Na boca apresenta um bom corpo, taninos firmes, bem integrados ao frutado, acidez equilibrada e um leve mentolado. Bom final frutado com café se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 62,84, na Hippo.

 

Publicado em: 21/05/2017

Ultramar Cabernet Sauvignon 2010

 

 

Localizada no Vale de Viedma, província de Río Negro na região da Patagônia Atlântica, a Bodega Océano foi fundada em 1998 pelos irmãos Juan e Jorge Lascano, com uma proposta de elaborar vinhos diferenciados, considerando o terroir escolhido, que sofre tremenda influência do oceano, resultando em vinhos frescos, lembrando a brisa do mar. Praticam a agricultura orgânica. Considerados os primeiros vinhos marítimos da Argentina. Eleita em 2013 pelo guia Descorchados a vinícola revelação da Argentina.

 

Ultramar Cabernet Sauvignon 2010 – elaborado com 100% Cabernet Sauvignon, do Valle de Viedma, Rio Negro, com amadurecimento de 50% em barricas de carvalho francês e 50% em barricas de aço inoxidável americano por 9 meses. Engarrafado sem filtrar. Teor Alcoólico de 14,1%. A coloração é de um vermelho rubi intenso, com bordas alaranjadas escuras, denotando estágio final de maturidade. Os aromas mostram frutas negras, alcaçuz, pimenta, baunilha, cacau e algo terroso. Na boca apresenta um bom corpo, mostrando fim de evolução, acidez equilibrada e taninos firmes, bem ontegrados. Bom final frutado com o pimentão se mostrando.  Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 59,00, na Vinum Day. Observação: para se consumir o mais rápido possível!

 

 

 

Publicado em: 20/05/2017

Casa Silva Santa Tierra Estate Cabernet Sauvignon 2015

 

 

Casa Silva nasceu em 1892, quando Emile Bouchon, de Bordeaux, chegou ao Vale de Colchagua com o objetivo de produzir vinho. Plantou vinhedos e construiu uma vinícola, que ainda hoje faz parte da Casa Silva. Até 1997, os descendentes de Bouchon produziram vinhos para outras empresas, sendo que a partir daí, Mario Pablo Silva, da 5ª. Geração de descendentes , começou a elaborar com a marca própria: Casa Silva.A vinícola está situada em Angostura, próximo a San Fernando. Como curiosidade, nessa região estão vinhedos provenientes de mudas pré-filoxéricas, trazidas em 1912 por Bouchon, da França. São vinhedos de Sauvignon Gris e Sauvignon Blanc que, com certeza, não existem em nenhum outro lugar do mundo. A Viña Casa Silva tem vinhedos ainda em Lolol, Paredones (mais próximo do mar) e Los Lingues (mais continental). Com essa diversidade a Casa Silva procura identificar as melhores parcelas de micro terroir para a produção de seus vinhos. Assim, em Los Lingues são cultivadas Carmenère, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot; em Lolol a Syrah e Viognier e em Paredones a Sauvignon Blanc.

 

Casa Silva Santa Tierra Estate Cabernet Sauvignon 2015 – elaborado com 100% Cabernet Sauvignon, com amadurecimento em tanques de aço inox. . Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um vermelho rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas e negras, com notas de chocolate e algo de cedro. Na boca apresenta  taninos macios e adocicados, acidez leve, repetindo as sensações do olfato. Bom final com toque balsâmico se mostrando. Avaliação: 87/100 Pontos 

 

Per Bacco. Todos os direitos reservados.2017