Publicado em: 31/07/2012

Panizzon Maximus

 

O Panizzon Maximus é o vinho top da Vinícola Panizzon, elaborado com a seleção de quatro tipos de vinho, com as melhores safras dos últimos anos, a partir de vinhedos do Vale do Guacho,em Campestre da Serra, com 850 metros de altitude. As uvas e as proporções são mantidas em segredo e a safra não é indicada. Teor Alcoólico 13,5%. A cor é vermelho-rubi, com  halos alaranjados, mostrando evolução, e muito brilho.  Os aromas são complexos, com muita fruta vermelha(cereja, framboesa, ameixa), passas e especiarias, com nuances de café, chocolate e leve tostado.  Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e bem integrados às frutas e uma acidez equilibrada. Longo final, com tostados presentes.  Vem evoluindo muito bem em relação a degustações anteriores. Ótimo custo/qualidade. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 48,00, na vinícola.

Publicado em: 31/07/2012

Na Bekaa Delicatessen

 

Publicado em: 31/07/2012

Evel Branco 2008

  O Evel Branco 2009 foi elaborado cm as castas Moscatel Galego, Viosinho, Arinto e Fernão Pires, produzidas nos vinhedos da Quinta do Casal da Granja, localizado em Alijó. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um amarelo palha, com reflexos verdeais, muito brilho e transparência. Os aromas mostram frutas cítricas, abacaxi, pêra, notas florais (jasmim) e frutas em caldas. Na boca as sensações olfativas se repetem sendo acentuado o adocicado final. Acidez pontual, que lhe confere frescor. Manteve as características da última degustação.Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 19,90, na Speciale do Makro de Rio Preto. .

Publicado em: 30/07/2012

De Juarez Machado

 

Juarez Machado define sua emoção em palavras ao produzir as obras relacionadas ao mundo do vinho: “ciente de que em cada garrafa existe uma alma, em cada gota uma história, e em cada gole uma emoção, pintei com “vinhos” esta coleção para mostrar as tintas coloridas desses mágicos e encantados castelos, produtores das melhores obras de arte já engarrafadas”. A foto é do Portal de Luis Nassif.

Publicado em: 30/07/2012

Villa Francioni mostra obra de Juarez Machado

 

O artista plástico catarinense, Juarez Machado, está expondo suas gravuras e serigrafias na Galeria de Arte da Villa Francioni em São Joaquim.  O tema envolve o universo do vinho e as obras foram criadas pelo artista após visitar várias vinícolas do interior da França. São22 gravuras e serigrafias numeradas e assinadas por Juarez Machado. É a primeira vez que o artista, que é de Joinville, realiza uma exposição na serra catarinense.

Juarez Machado, que se popularizou através de seu trabalho no Fantástico, da Rede Globo, há mais de 20 anos mora em Paris. Esta exposição faz parte de um dos desejos do artista em ver suas obras expostas num ambiente semelhante às vinícolas mais tradicionais e famosas do mundo.

A Galeria de Arte da Villa Francioni foi criada pelo fundador da vinícola, Dilor Freitas, com o objetivo de atrair grandes nomes das artes. Desde que foi criada, a galeria já recebeu obras de artistas famosos como os franceses: Auguste Rodin e Camille Claudel, além de  Luciano Martins, Tereza Martorano e Yolanda Bathke. Há mais de dois anos a direção da Villa Francioni buscava conciliar a agenda do artista  para poder realizar a exposição, com a presença dele, em São Joaquim. Para Daniela Borges de Freitas,diretor da empresa, “será um marco para a cidade e também para os amantes do vinho e da arte”.

As gravuras e serigrafias estarão à venda, bem como os livros que revelam a genealidade do artista que , apesar de estar na casa dos 70,mantém o seu espírito jovem. As obras ficarão expostas até o dia 26 de agosto. A entrada é franca. A realização é da Villa Francioni e do Instituto Internacional Juarez Machado, com o apoio  do Governo de Santa Catarina, Secretaria de Desenvolvimento Regional de São Joaquim e Prefeitura Municipal de São Joaquim.

 

Publicado em: 30/07/2012

Almaúnica Reserva Pinot Noir 2011

 

O Almaúnica Reserva Pinot Noir 2011 foi elaborado com 100% da cepa, com passagem em carvalho francês, de primeiro uso, por 8 meses. Teor Alcoólico de 13%.  A coloração é de um cereja escuro com halos violáceos, muito brilho e transparência.  Os aromas são nítidos, com morango, cereja  e framboesa, ameixa seca, leve chocolate e toque de madeira. Na boca mostra um corpo médio, com taninos macios e suaves, bem integrados às frutas. Acidez equilibrada. Leve adstrigência e amargor.  Um agradável final frutado, com leve madeira. Vem evoluindo bem em relação à degustações  anteriores. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 60,00, no varejo da vinícola. Harmonizado com Pizza Margherita. Foi bem!

Publicado em: 30/07/2012

O.Fournier Syrah/Cabernet Sauvignon 2006

 

O.Fournier, é uma moderníssima bodega que nasceu com o propósito de elaborar o melhor Tempranillo da Argentina. José Manuel Ortega Fournier é um ex-banqueiro espanhol que ficou fascinado ao encontrar um antigo vinhedo de Tempranillo na região de La Consulta. Não teve dúvidas, comprou aquelas terras e construiu ali uma nova bodega. Seus vinhedos, hoje, possuem: 50 ha de Tempranillo, 15 ha de Merlot, 14,8 ha de Cabernet Sauvignon, 14,4  ha de Malbec, 2,6 ha de Syrah e 1ha de Sauvignon Blanc. O. Fournier produz vinhos também na Espanha (Ribera del Duero) e Chile (Maule/Leyda). A linha O.Fournier é seu ícone na Argentina. O O.Fournier Syrah/Cabernet Sauvignon foi elaborado com 50%  de cada uma das cepas, a partir de vinhedos de 10 anos de idade, localizados em Vista Flores, a 1.100 metros de altura. Maturou em carvalho (80% francês e 20% americano) por 17 meses. Não foi filtrado. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um roxo escuro e brilhante, com média transparência. Os aromas são intensos e complexos mostrando frutas (framboesa, groselha, cassis, cereja), leve floral, pimenta preta, cedro, alcaçuz e café torrado. Na boca apresenta-se muito potente, repetindo a complexidade do olfato, em meio a taninos intensos e sedoso, com muita harmonia. Um final potente com tostado e café torrado se destacando. Foram elaboradas 4.100 garrafas. Avaliação: 92 Pontos. Adquirido na própria vinícola.

Publicado em: 30/07/2012

Riglos Quinto Sauvignon Blanc 2011

 

A Bodega Riglos, fundada em 2002, inicialmente vendia suas uvas para as bodegas Doña Paula, Catena e Benegas, todavia, resolveu fazer seus próprios vinhos. Sua produção anual é da ordem de 40.000 garrafas. O Riglos Sauvignon Blanc 2011 foi elaborado com 100% da cepa produzida na Finca Las Divas, em Tupungado, a 1300 metros de altitude. Teor Alcoólico de 11,5%.   A coloração é de um amarelo palha límpido e cristalino. Os aromas são complexos com cítricos, frutas brancas (especialmente pinha), toques florais e minerais. Na boca as sensações olfativas se repetem, com uma acidez marcante e um agradável frescor, que se mantém no final. Avaliação: 88 Pontos.Preço: R$ 83,00, na Decanter Rio Preto. Harmonizada com Bacalhau ao Forno, foi muito bem!

Publicado em: 29/07/2012

Raventós i Blanc de Nit 2008

 

Raventós i Blanc de Nit 2008 é uma cava elaborada com  50% de Macabeo, 25% de Xarel.lo, 20% de  Parellada,  e 5% de Monastrell. As uvas são colhidas à mão e rapidamente entregues para a adega, onde eles são processados por meio de um sistema de fluxo por gravidade, com 15 meses em contato com as leveduras, na garrafa. A coloração é de um salmão claro, com nuances de cobre. Os aromas mostram morango, cereja groselha, notas florais e toque de especiarias. Na boca a mousse apresenta suavidade e cremosidade, ressaltando cereja e framboesa, ao lado de toques minerais. Acidez equilibrada. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 127,00, na Decanter Rio Preto.

Publicado em: 29/07/2012

El Maestro Sierra Oloroso 15 Anos

 

O El Maestro Sierra Oloroso 15 años é um  vinho branco fortificado elaborado com 100% de Palomino Fino, a partir de vinhos de várias safras, com média de 15 anos,mantidos em botas de carvalho americano.Teor Alcoólico de 18%. A coloração é de um intenso e brilhante âmbar. Os aromas são complexos com caramelo, tostado, doces de casca de laranja e castanhas. Na boca as sensações olfativas repetem e se potencializam com o álcool, com um amanteigado agradável. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 119,00, na Decanter Rio Preto.

Publicado em: 29/07/2012

Uma homenagem em versos

 

 

Los Angeles de Amarén foi criado por Juan Carlos Cañas (foto) em homenagem a sua mãe. É o vinho da mãe, para os anjos. Um usuário do Verema, denominado Jzm 2000, fez uma homenagem, em versos, ao vinho. Vamos a eles.

Uma ocasião especial
com um especial de vinho.
Versemos ....
Em Angeles que era a mãe.
Versemos ....
Sobre Juan Luis que é o filho,
e Amaren Angeles,
que é o ponto culminante,
a mãe já previsto.
Sim, é De fato, no céu aplaudido,
o dia que ele caiu,
as lágrimas dos anjos,
para o chão mesmo.
Então piso Villabuena e
no coração de Alava,
na terra natal da família
que estava hospedado lá.
E lembrou , todos os dias,
este lutador mulher,
uma mulher que trabalha,
que trabalhou incansavelmente campo
que atravessou a vinha impermutable
pensar e sonhar ...
E eu sonho, nesta criação,
que através de sonhos,
Juan Luis chegou seguro.
A combinação magistral,
Tempranillo e Graciano,
os frutos são culpados.
Em chorar o copo,
derramar a sensação de que,
em vermelho-cereja,
que a camada superior,
com a qual se expande o seu brilho,
o brilho que capturam.
E nós em Los Angeles de novo,
quando encaminhados para os querubins,
o seu sentimento de casa,
o desejo de ajudar a criar
algo novo e diferente,
algo com um senso incomum.
E eles ouviram,
e assim chorou
e as lágrimas foram capazes,
o típico deste vinho,
a exclusividade de seus aromas,
a expressão que pode ser percebido,
com essa carga de frutas altivo bom.
frutos do paraíso, ou amor,
mas vermelha como o coração,
como o coração que os sonhos de sua mãe,
que sonha com quem você acredita,
e sonhar, sonhar,
aqui estamos testando,
o resultado de uma ilusão, um sonho,
de amor Amaren.

PS:. Dedicado a Juan Luis Cañas, na ilusão e sua luta em curso no setor
E, claro, essa criação magnífica, que é Amaren Angeles.

 

Publicado em: 29/07/2012

Luis Cañas Angeles de Amaren 2006

 

 

O Luis Cañas Angeles de Amaren 2006 foi elaborado com 85% de Tempranillo (vinhedos com mais de 60 anos) e 15% de Graciano, com passagem de 16 meses em barricas novas de carvalho, sendo 50% francês e 50% americano. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram framboesa, cereja, ameixa, especiarias doces, tabaco e tons balsâmicos e picantes. Na boca apresenta taninos sedosos e bem integrados, com um longo final frutado, com o picante se mostrando. Avaliação: 89 Pontos.Preço: R$ 159,00, na Decanter Rio Preto

Publicado em: 29/07/2012

Finca Muñoz Cepas Viejas VT de Castilla 2008

 

O Finca Muñoz Cepas Viejas VT de Castilla 2008 foi elaborado com 100% de Tempranillo, a partir de vinhedos entre 60 e 100 anos de idade, com condução em “vaso” (forma livre, sem arames ou tutores, em forma de taça), com passagemde 12 meses em carvalho novo, sendo 50% francês e 50% americano. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram muita fruta vermelha, coco, tostado e toques balsâmicos. Na boca apresenta bom corpo, com taninos potentes e maduros, bem integrados. Acidez equilibrada. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 174,00, na Decanter Rio Preto.

Publicado em: 28/07/2012

Gil Luna Toro Reserva Especial 2005

  O Gil Luna Toro Reserva Especial 2005  foi elaborado com 95% de Tempranillo(Pago de Santa Ollala) e 5% de Garnacha, a partir de vinhedos de 40 anos. Passagem de 24 meses em carvalho francês. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi médio, com muito brilho e transparência. Os aromas mostram muita fruta negra confitada, tabaco, notas balsâmicas e minerais. Na boca as sensações olfativas se repetem, num bom corpo e taninos bem integrados. Longo final com notas balsâmicas se destacando. Manteve as características da última degustação.Avaliação:  91 Pontos. Preço: R$ 213,00, na Decanter Rio Preto.

Publicado em: 28/07/2012

Degustação especial de espanhóis na Decanter Rio Preto

 

A Enoteca Decanter Rio Preto realizou, nesta manhã,  uma degustação especial,  com a presença  de Isidro Hermosin-Gutiérrez (foto), Doutor em Química e Professor da Universidade de Castilla-La Mancha.Êle  é especialista no estudo da composição fenólica das uvas e do vinho, sua relação com a qualidade do vinho e alegações de saúde, bem como a utilização de resíduos de produtos e vinho.

Pudemos ouví-lo falando sobre as regiões devinhos da Espanha, especialmente sôbre os seus  terroirs e suas castas. Degustamos: Finca Muñoz Cepas Viejas 2008, El Maestro Sierra Jerez Oloroso, Gil Luna Toro Reserva Especial 2005, Angeles de Amarén 2006, Reventós de Nit i Blanc 2008 Brut e Luiz Caña branco 2010.

No encontro tivemos a oportunidade de rever vários amigos do vinho e, em especial, conhecer o Dr. Roberto Silva, Professor no Curso de Engenharia de Alimentos da UNESP, responsável pela vinda do pesquisador espanhol.  Conhecemos também Eduardo Castro que está montando um restaurante especial da culinária ibérica (Portugal e Espanha) A casa se chamará Douro Preto Restaurante & Loungue e deverá ter como diferencial um bar e um setor diferenciado para café. O novo restaurante, com projeto arquitetônico de Germana Zanetti, vai funcionar na rua Raul Silva, 650. A inauguração está prevista para o dia 6 de setembro. 

Nos próximos posts comentaremos os vinhos degustados.

 

Publicado em: 28/07/2012

Castas Portuguesas em Londres

 

O vinho brasileiro foi uma das estrelas do lançamento da nova campanha publicitária do Brasil na última quarta-feira , em Londres, com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff. O vinho tinto Castas Portuguesas, da Miolo, acompanhou o coquetel que foi servido aos convidados da Embratur no London Film Museum. O vinho escolhido para representar os rótulos brasileiros também está sendo servido nas áreas VIPS do Comitê Olímpico Inglês durante as Olimpíadas de 2012.
A promoção dos destinos turísticos brasileiros no exterior terá como slogan “O mundo se encontra no Brasil. Venha Celebrar a vida”. Além da presidenta Dilma Rousseff, a cerimônia de lançamento da campanha contou com a presença do presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Flávio Dino, do ministro do Turismo, Gastão Vieira, entre outras autoridades brasileiras.

Publicado em: 28/07/2012

Travaglini Il Sogno 2004

 

Giancarlo Travaglini tinha um sonho: produzir um vinho especial a partir de uvas próprias, cuidadosamente selecionadas, seco em prateleiras.  Perseguindo o sonho, sua filha Cynthia e o marido Massimo, criaram um vinho que Giancarlo sonhou. Il Sogno está aqui, dedicado em memória do pai Giancarlo.O Travaglini Il Sogno 2004 foi produzido a partir de Nebbiolo produzida em vinhedos de Gattinara, cuidadosamente selecionada, seca  em prateleiras por 100 dias e com maturação de 40 meses em barris de carvalho de 20 hl. Teor Alcoólico de 15,5%. A coloração é de um granada potente e escuro, com bom brilho e média transparência.Os aromas são complexos, com muita fruta (ameixa, cereja, mirtilo, jabuticaba), toques balsâmicos  e notas minerais. Na boca as sensações olfativas se repetem, potencializadas pelo teor de álcool. Precisaria uma decantação mais longa. Avaliação: 88 Pontos.

Publicado em: 28/07/2012

Yalumba Y Series Shiraz Viognier 2007

 

Maior e mais antiga vinícola familiar australiana, foi fundada em 1849 por Samuel Smith, imigrante britânico e mestre cervejeiro, que comprou um terreno de 12 hectares e chamou-o de Yalumba – expressão aborígine para “toda a terra ao redor”. Mais de 150 anos depois, Yalumba cresceu em tamanho e status,estando entre as dez vinícolas mais importantes do país, permanece nas mãos da família, ao contrário de todos os outros grandes produtores, que tornaram-se empresas públicas. É uma das poucas vinícolas do mundo a manter tanoaria própria. Sua produção é de um milhão de caixas por ano. O Yalumba Y Séries Shiraz Viognier  2007 foi elaborado com 94%  de Shiraz e 6% de Viognier. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas apresentam muita expressão de mirtilo, framboesa, cereja, notas de especiarias e toques florais.Na boca mostra um corpo médio repleto de frutas vermelhas, complementados por taninos macios e integradosàs frutas. Um bom final com notas florais. Avaliação: 87 Pontos. Curiosidade sobre o rótulo: a ilustração do cachorro simboliza o companheirismo e lealdade que existe entre os enólogos, produtores e trabalhadores. É tradicional e quase mandatório na Austrália que uma vinícola tenha um cão – muitos livros foram escritos sobre eles e vinhos levaram seus nomes.

Publicado em: 28/07/2012

Lahuen 2007

 

A Vinícola Terranoble, do Chile, é famosa pelos seus Carmenère. O Lahuen 2007 foi elaborado com 70% de Carmenère  (do Vale Colchagua) e 30% de Cabernet Sauvignon (do Vale Maulle), a partir de vinhedos com produção limitada a 1kg por pé. Passou 12 meses em carvalho francês. Teor Alcoólico de 14%.  Mostra uma coloração púrpura intensa, com reflexos azulados. Os aromas são potentes e complexos. Frutas negras maduras, tabaco, tostados, defumados, alcaçuz, baunilha e especiarias. Na boca a sensação de potência se repete, com taninos potentes, muita fruta, álcool e madeira em ótimo equilíbrio. Um longo final, com fruta e café torrado. Avaliação: 90 Pontos.

Publicado em: 28/07/2012

Casa Marin Pinot Noir 2007

  Viña Casa Marin está localizada no Vale de San Antonio, em Lo Abarca, a 4 km. do Oceano Pacífico, no Valle San Antonio . Foi fundada por Maria Luz Marin, engenheira-agrônoma, enóloga e empresária. É a única mulher chilena fundadora e proprietária de um vinhedo. São 25 hectares de vinhedos onde estão plantadas variedades que foram trabalhadas por viticultores chilenos e estadunidenses, chegando-se às características mais adequadas ao terroir. O Casa Marin Pinot Noir  2007 foi elaborado com 100% da casta, produzida no vinhedo Lo Abarca Hills. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um intenso rubi, com nuances violáceas, apresentando muito brilho e transparência. Os aromas são intensos e nítidos, com frutas silvestres maduras sôbre tostados, café, tabaco e toques de salinidade. Na boca as sensações do olfato se repetem com médio corpo e taninos suaves, com intensa salinidade, que persiste no longo final de café e tabaco. Apesar do teor alcoólico, o álcool não se mostra, superado pela textura fina e complexa. Avaliação: 91 Pontos.

Publicado em: 28/07/2012

D.V.Catena Malbec-Malbec 2007

 

O Domingos Vicente Catena Malbec-Malbec  2007 foi elaborado com uvas procedentes dos vinhedos Angelica (lote 18) e Pirâmide (lote 4), evidenciando a influência de diferentes terroirsnas nas características dos aromas e sabores. Passou 18 meses em barricas de carvalho francês, sendo 50% novas. Teor Alcoólico de  14%. A coloração é de um intenso rubi, com muito brilho. Os aromas mostram frutas (ameixa, amora) geléia de ameixa, especiarias (pimenta, cravo) e madeira. Na boca, num corpo médio, apresenta taninos bem integrados às frutas, com leve adstrigência e acidez pontual. Um longo final com fruta e madeira. Avaliação: 88 Pontos.

Publicado em: 28/07/2012

Alma Negra Misterio 2009

 

Alma Negra Misterio 2009 f oi elaborado com 70% de Bonarda e 40% de Malbec, procedentes de 4 vinhedos (50% de Rivadavia, 10% de Junin, 30% de La Consulta e 10% de Agrelo). Passagem por 12 meses em carvalho francês. Teor Alcoólico de 13.5%. A coloração é de um rubi profundo, com muito brilho e transparência. Os aromas são nítidos com muita fruta (cereja, ameixa, framboesa), café, canela e um rústico herbal, que evidencia a Bonarda. Na boca mostra um bom corpo, com taninos integrados à fruta e madeira aparente. Uma boa persistência com café e canela se juntando à madeira. Avaliação: 88 Pontos.

Publicado em: 28/07/2012

Cartuxa Colheita Tinto 2008

  A Fundação Eugénio de Almeida, fundada em 1963 por Vasco Maria Eugénio de Almeida, tem por missão os domínios da cultura, da educação e da assistência social, objetivandob o desenvolvimento e elevação da Região de Évora. É a proprietária da Adega Cartuxa. Prosseguindo a exploração da vinha, que desde remotos tempos se faz na região, a Fundação é também herdeira de uma longa história no setor vitivinícola, desde o Séc. XIX.  O Cartuxa Colheita Tinto 2008, foi elaborado com as uvas típicas do Alentejo: Aragonês, Trincadeira, e Alicante Bouschet. Teor Alcoólico de 14%. A cor é rubi intensa, com bom brilho e transparência. No nariz mostra muita fruta madura e toques de especiarias (cravo e canela). Na boca mostra ótimo corpo e textura, taninos e acidez equilibrados e fruta em compota. Final elegante e prolongado, com frutado . Avaliação: 88 Pontos.

Publicado em: 28/07/2012

Amigos do Vinho em reunião festiva

 

A confraria riopretense Clube dos Amigos do Vinho fez, ontem, uma degustação festiva. Era uma reunião anual, mas atendendo à solicitação das esposas passou a ser semestral. E nós concordamos.O local foi o anexo externo do Restaurante Gran Père, do Hotel Saint Paul. Participaram , com as respectivas esposas: Alexandre (Fabiana), José Luiz (Roseli), Osvaldir Filho (Roseli), José Manoel (Daniela), Pradela (Nice), Paulo Sérgio (Wanna) e Osvaldir Pai (Mafalda). Para a degustação cada confrade trouxe um vinho, de sua escolha, na faixa de 100 a 150 Reais. Vieram:  D.V Catena Malbec-Malbec 2007 (Osvaldir Filho),Yalumba Shiraz Viognier 2007 ( Pradela),  Lahuen 2007 (Osvaldir Pai), Travaglini Il Sogno (Alexandre), Alma Negra Misterio 2009 (José Luiz), Cartuxa Colheita 2008 (Paulo Sérgio) e Casa Marim Pinot Noir  2007 (José Manoel). Foram dois argentinos, dois chilenos, um português, um italiano, e um australiano . Os vinhos mostraram uma qualidade para não se esquecer. Iremos comentar nos próximos posts. E a reunião, realizada com as esposas serve como ”salvo conduto” para mais uma temporada. Valeu!

Publicado em: 27/07/2012

Crime inafiançável!

 

Um cliente desajeitado de um bar em Londres quebrou uma garrafa de conhaque de 1788, avaliada em US$ 77,6 mil (cerca de 157 mil reais)), segundo o site do jornal "Huffington Post".

De acordo com o site, o cliente --um executivo com "gostos aparentemente caros e mão furada"-- pediu dois copos da bebida por US$ 7.800 e pediu para ver a garrafa. Quando se levantou, a garrafa caiu de suas mãos e quebrou "em pedacinhos".

A garrafa, de 224 anos, tinha sido vendida anteriormente por US$ 37 mil em um leilão em Paris (França) em 2009.

"Hoje é um dia triste, um dos mais antigos conhaques (Clos du Griffier Vieux 1788) foi quebrado acidentalmente. Um verdadeiro líquido histórico correndo pelo chão do meu bar, o que fez do meu chão o mais caro chão de bar no mundo", afirmou o especialista em conhaque Salvatore Calabrese em uma rede social.

 

Publicado em: 27/07/2012

Sôbre Isidro Hermosin-Gutiérrez

 

A Enoteca Decanter Rio Preto oferece, amanhã, a partir das 11 horas, a oportunidade de uma degustação especial,  com a presença  de Isidro Hermosin-Gutiérrez, Doutor em Química e Professor da Universidade de Castilla-La Mancha, na Área de Tecnologia de Alimentos.

Êle especializou-se no estudo da composição fenólica das uvas e do vinho, sua relação com a qualidade do vinho e alegações de saúde, bem como a utilização de resíduos de produtos e vinho.

Possui dezenas de trabalhos acadêmicos publicados na área e a sua presença em São José do Rio Preto está ligada à participação em pesquisa na Unesp (“O conhecimento qualitativo e quantitativo dos compostos bioativos presentes nas uvas produzidas no Estado de São Paulo” – tese de Doutorado da pesquisadora Ellen Silva Lago-Vanzela).

Destaque-se que, anteriormente, já havia participado de um outro trabalho no Brasil, com a Professora Suzana Lucy Nixdorf, da Universidade Estadual de Londrina (Vinhos brasileiros feitos a partir de cultivar Isabel – composição fenólica e capacidade antioxidante)

Tem ampla experiência em degustação , atuando como membro do painel de degustação da Mancha e como professor de cursos de degustação de vinhos .

Uma oportunidade imperdível. Estaremos lá!

 

Publicado em: 27/07/2012

Falando do Cataccini

 

Luiz Carlos Cattacini Gelli é mais um dos participantes do grande grupo de engenheiros - do qual, orgulhosamente, faço parte - que se apaixonaram pelo vinho. Mas ele deu um passo adiante e em lugar de apenas apreciar ou escrever, partiu para vôos mais altos e decidiu criar sua própria marca: a Cattacini.
Gelli decidiu produzir seus vinhos utilizando um esquema que é bastante comum em outros países: sem vinhedos nem vinícola, ele compra uvas de qualidade, cuidadosamente selecionadas, e vinifica-as em instalações de terceiros. Dele mesmo, só a marca e as decisões técnicas...
Engenheiros costumam ser materialistas e rejeitar tudo aquilo que não seja 1 + 1 = 2. Não é o caso do novo produtor, um místico que nada de braçada em simbolismos e superstições. Já trilhou o Caminho de Santiago, afirmando que essa experiência mudou sua vida. Marcou o almoço de apresentação de seus vinhos para o dia 25 de julho, que vem a ser exatamente... o Dia de São Tiago. E contava para todos, com grande emoção, que o primeiro convidado a chegar ao almoço - que nem ao menos conhecia - apresentou-se com Santiago. Gelli entrou em alfa com aquilo que parecia ser uma mensagem das estrelas.
E o almoço, prestigiado por um sem-número de representantes dos restaurantes mais descolados da cidade, foi um sucesso, contanto até com a bissexta presença em eventos desse tipo da crítica Luciana Fróes . Foi uma indiscutível demonstração de interesse pela produção brasileira "de autor". Tomando conta da galeria do Brigite's, na Dias Ferreira, foram momentos saborosos, em que os vinhos namoraram os deliciosos pratos do gastrobar”.

 Deu no Enoeventos. É isso aí Gelli, continuamos torcendo pelo seu sucesso!

 

Publicado em: 27/07/2012

Na Enoteca Decanter Rio Preto

 

Publicado em: 27/07/2012

Casa Geraldo Chardonnay 2011

  O Casa Geraldo Chardonnay 2011 foi elaborado com 100% da cepa. A coloração é de um amarelo vivo com reflexos verdeais, com muito brilho. Teor Alcoólico de 12,1%.  Os aromas mostram frutas tropicais, especialmente abacaxi e melão, frutas cítricas e um leve floral. Na boca apresenta uma acidez marcante, uma leve cremosidade e algo de floral, que persiste no final. Boa evolução em relação a degustação anterior. Avaliação: 85 Pontos. Preço: R$ 15,00, na própria vinícola.

Publicado em: 27/07/2012

Solar de Castro Vendimia Seleccionada Rioja 2009

 

Majuelos de España é uma empresa que se dedica a buscar velhos vinhedos (Majuelos) na Espanha e deles extrair a essência do terroir e produzir vinhos que representam todas as características da área. Sua equipe de Viticultores e Enólogos compartilham a paixão e a vontade de fazer o melhor vinho de sua terra, para ter satisfação pessoal e honrar seus antepassados. O Solar de Castro Vendimia Seleccionada  Rioja 2009 foi elaborado com 80% de Tempranillo e 20% de Garnacha , produzidas biodinamicamente de vinhedos de mais de 30 anos. Passou 12 meses em barricas de carvalho francês. A coloração é de um vermelho rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram complexidade, com cereja, framboesa, bálsamo, couro, especiarias e lavanda. Na boca apresenta um bom corpo, textura macia, leve picante e um final de fruta adocicado. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 49,00, na Vinhos Pontuados.

Publicado em: 27/07/2012

Viu Manent Sauvignon Blanc Reserva 2011

 

Viu Manent é uma vinícola familiar fundada em 1935. São 254 hectares em 3 vinhedos: San Carlos, La Capilla e El Olivar. O Viu Manent Sauvignon Blanc Reserva 2011 foi elaborado 100% da cepa, dos vinhedos de San Carlos, Colchagua, de 15 anos de idade. Teor Alcoólico de 13%.  Mostra uma coloração amarelo palha com toques verdeais, com muito brilho e transparência. Os aromas mostram frutas cítricas, pêssego, mel, leve mineral e toques herbáceos. Na boca mostra um ótimo frescor, acidez presente e muita fruta, com o toque mineral .Agradável persistência frutada. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 44,90, na Malte & Whisky, de Rio Preto. Foi bem com ceviche de tilápia.

Publicado em: 27/07/2012

Ventisquero Clásico Cabernet Sauvignon 2010

 

Viña Ventisquero surgiu em 1998 por ação de uma equipe de jovens criativos e empreendedores. Possui vinhedos próprios em Casablanca, Maipo e Colchagua. O enólogo responsável é Felipe Tosso. O Ventisquero Clásico Cabernet Sauvignon 2010 foi elaborado com 100% da cepa, tendo passado por 6 meses em carvalho. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi, com nuances violáceas nas bordas. Muito brilho e transparência. Os aromas são frutados, com ameixa e cereja prevalecendo. Toques suaves de baunilha. Na boca mostra corpo médio, com bom equilíbrio entre acidez e taninos macios. Leve amadeirado, com baunilha se mostrando no longo e agradável final. Avaliação: 85 Pontos. Degustado na casa do Paulo Sérgio, acompanhando um churrasco. Perfeito.

Publicado em: 26/07/2012

TerraMater Limited Reserve Cabernet Sauvignon 2010

 

O TerraMater Vineyard Reserve Cabernet Sauvignon2010  foi elaborado com 100% da casta produzida nos vinhedos do Vale Maipo,com passagem de 6 meses em carvalho, sem filtração. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um intenso rubi com muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas (framboesa, cereja, ameixa), especiarias,chocolate e baunilha. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos macios e bem integrados, leve acidez e adstrigência. Um bom final, com chocolate. Ótimo custo/qualidade. Avaliação: 85 Pontos. Preço: R$ 16,89, no Speciale Makro, de São José do Rio Preto. Harmonizado com churrasco, na casa do Paulo Sergio e se deu bem.

Publicado em: 26/07/2012

Os curiosos rótulos do Anima Negra

 

Publicado em: 26/07/2012

No Encontro Mistral (15)

 

Anima Negra está localizada na Ilha de Mallorca, na região de Felanitx, tendo no comando Miquelângel Cerdà. Além de seus tradicionais tintos e branco recentemente Cerdà lançou duas novidades que fogem ao lugar comum: Muac e Plic Plic Plic, este último da região de Montsant, na Catalunha. São tintos gastronômicos e com um charme extra: os rótulos levam a assinatura do renomado artista gráfico Pere Joan, e o nome de cada um é uma simpática onomatopéia. Muac remete ao som de um beijo e Plic Plic Plic ao som de chuva. Degustamos, no Encontro Mistral, degustamos 4 vinhos, com Miquelângel Cerdà. Vamos a eles.

01 – Quibia 2009 – elaborado com 60% de Premsal (variedade indígena) e 40% de Callet, a partir de vinhedos próprios localizados na ilha de Mallorca. Envelhecido em tanques de cimento sobre as suas borras por 3 meses. Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de um palha brilhante. Os aromas são leves, com frutas brancas ,com um toque de fragrância tropical. Na boca mostra-se seco, concentrado e picante com um final longo refrescante. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 86,56, na Mistral.

02 – Plic Plic Plic 2009 -  elaborado com 50% de Samsó (Carignan) e 50% Garnacha, a partir de vinhedos de mais de 30 anos localizados na região de Montsant, no Priorato. Maturado em barrica de carvalho francês e americano por 6 meses. Leve filtração antes do engarrafamento.Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso com muito brilho. Os aromas são complexos, com  torrado, fruta preta e leve herbáceo. Na boca mostra-se com um corpo leve, taninos macios, toque mineral, acidez equilibrada. Médio final frutado. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 63,48, na Mistral.

03 – Muac! 2010 – elaborado com 35% de Callet, 35% Manto Negre e 30% Cabernet Sauvignon, a partir de vinhedos de idade media de 20 anos, localizados na região de Mallorca. Maturou 5 meses em barrica de carvalho francês.Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas, notas balsâmicas, madeira  e um fundo defumado. Na boca apresenta corpo médio, taninos macios bem integrados, com leve adstrigência. Final curto com notas balsâmicas. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 82,58, na Mistral.

04 – An Anima Negra 2007 – elaborado com 95% de Callet e 5% de Mantonegro-Fogoneu, a partir de vinhedos antigos na região de Mallorca.Maturado 17 meses em barricas novas de carvalho francês.Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e profundo, com muito brilho. Os aromas são complexos com frutas maduras, aromas  florais, especiarias e pimenta negra sobre um fundo mentolado. Na boca mostra taninos macios, bem integrados, num bom corpo e leve acidez. Longo final frutado, com mentolado. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 222,68, na Mistral.

 

Publicado em: 26/07/2012

Granizo arrasa vinhedos do Douro

 

O forte granizo que caiu na tarde de quarta-feira e na madrugada desta quinta-feira provocou "grandes estragos" nos vinhedos da zona de Ervedosa do Douro, concelho de São João da Pesqueira.

O autarca de Ervedosa do Douro, Joaquim Monteiro, também proprietário de vinhas, disse  que o granizo, aliado às "fortes bátegas de água", deixou um "profundo rasto de destruição" em toda esta zona.

As localidades de Ervedosa, Casais do Douro e Sarvedinho foram as mais atingidas no concelho de São João da Pesqueira, uma área geográfica que se prolonga para a zona de Sabrosa, distrito de Vila Real, onde os prejuízos foram também avultados.

"Primeiro foi o granizo que tombou em toda esta corda (área geográfica ao longo do Rio Douro) que escavacou os cachos já formados e também alguns pomares de fruta, e, já perto das 5.30 horas, uma forte trovoada, com chuva forte e algum granizo, piorou muito as coisas que já estavam más", descreveu o autarca e produtor.

Joaquim Monteiro, que integra também uma associação local de produtores, enviou uma carta à Direcção Regional de Agricultura para "explicar a situação e informar que os estragos não se circunscreveram à zona de Sabrosa, mas sim em toda esta corda" do Douro.

 

Publicado em: 26/07/2012

No Encontro Mistral (14)

 

 

Um dos maiores nomes em Montalcino, a família Costanti possui terras e vinhedos na região da Toscana, desde 1555. É uma propriedade histórica, tendo sido também um dos produtores responsáveis pelo renascimento da denominação Brunello di Montalcino décadas atrás. Sob o comando do Conde Emilio Costanti foi um dos primeiros na região a engarrafar seus próprios vinhos, na década de 50. Desde 1983, a propriedade está sob o comando do sobrinho do Conde, Andrea Costanti. No Encontro Mistral degustamos 3 de seus vinhos. Vamos a eles.

01 – Rosso di Montalcino 2009 – elaborado com 100%  de Sangiovese Grosso a partir de vinhedos de Montalcino, tendo passado12 meses em barris Allier (3,50 hl). Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi , com halos mais claros. Os aromas mostram muita fruta madura, com destaque para morangos, framboesa e cereja, toques florais e lácteos. Na boca repete as sensações olfativas, com taninos marcantes, suaves e acidez equilibrada. Um longo final delicado. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 152,23, na Mistral.

02 – Brunello di Montalcino  2006 – elaborado com 100% de Sangiovese, a partir de vinhedos selecionados de Montalcino, tendo passado 18 meses em barricas de carvalho francês, outros 18 meses em grandes barricas de carvalho esloveno e 18 meses em garrafas antes da comercialização. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um granada escuro, com muito brilho. Os aromas complexos e elegantes mostram cereja, alecrim, sálvia, tabaco e cedro. Na boca as sensações do olfato se repetem com taninos presentes e um frutado exposto, junto a uma acidez equilibrada, madeira e ervas. Final intenso com madeira e especiarias. Um vinho com grande potencial de guarda. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 333,32, na Mistral.

03 – Brunello di Montalcino Riserva 2004 – elaborado com 100% de Sangiovese, a partir de vinhedos selecionados de Montalcino. Maturado por 5 anos, sendo que 24 meses em barricas pequenas usadas de carvalho esloveno.Teor Alcoólico de 13,5%.A coloração é de um rubi médio brilhante. Os aromas mostram potencia, com cereja, fraamboesa, ameixa, alcaçuz, mel, jasmim, ervas  e toques minerais.Na boca os taninos são sedosos e bem integrados, com frutado , com um longo final apresentando toques de couro,  leve adocicado e mineralidade. Avaliação: 92 Pontos. Preço: Não disponível.

 

Publicado em: 25/07/2012

No Sri Lanka

 

O primeiro projeto de produção de vinho no Sri Lanka vai surgir sob o comando de uma empresa portuguesa, a Nora Green Consulting, e sob o apoio técnico do enólogo Rui Reguinga, responsável pelos vinhos da alentejana Quinta do Quetzal. Este mês começam a ser plantadas as primeiras vinhas de quatro castas distintas, uma das quais é a Touriga Nacional.

Reto Jörg (foto), acionista majoritário da Nora Green, adianta que a empresa srilankesa CIC está apostada em produzir vinho para responder à crescente procura turística que o país tem conhecido. "Em julho, serão plantados dois campos de ensaio com um hectare cada e vamos fazer micro vinificações para ver quais as castas que se dão bem”.

A vinha vai ser plantada num terreno de 15 hectares no norte daquele país asiático, que permite "duas colheitas por ano". A CIC investe cerca de 680 mil Euros neste projeto que integra a plantação de vinha e a construção de uma adega com uma capacidade inicial de 150 mil garrafas. O projeto contempla ainda um armazém em Colombo, capital do Sri Lanka, para a distribuição.

 

 

Publicado em: 25/07/2012

Na Bekaa Delicatessen

 

Publicado em: 25/07/2012

No Encontro Mistral (13)

 

Fundado no início do século XIX, o Château Cos d’ Estournel foi adquirido em 1917 pela família Ginestet. Logo depois, a família Prats passou a ser proprietária e Bruno Prats vendeu a propriedade. Para não perder a continuidade da família, o filho de Bruno, Jean Guillaume permaneceu gerenciando a vinha. Com solo cascalhoso, Cos d’ Estournel se diferencia dos campos de Saint Estephe, dispondo muito mais merlot em seu vinhedo do que nos campos vizinhos. O vinho é suntuoso e concentrado, de cor e sabor profundos e elegantes – bem diferente dos vinhos de Saint Estephe. Além disso, tem grande capacidade de envelhecimento. O nome da propriedade foi dado por Louis-Gaspard d'Estournel em 1810, sendo que Cos significa “colina de seixos” no dialeto Gascão. Situado na AOC Saint-Estephe, o Chateau passou pelo controle de muitas famílias ao longo dos anos. Atualmente seu proprietário é o empresário Michel Reybier, que conta com a assessoria de Jean-Guillaume Prats, um dos antigos donos do Chateau. Com Géraldine Santier, diretora da empresa, degustamos, no Encontro Mistral, 4 vinhos. Vejamos.

01 – Goulée Rouge 2006 – elaborado com 80% de Cabernet Sauvignon  e 20% de Merlot , tendo maturado por 14 meses em barricas francesas, sendo 50% de primeiro uso. Teor Alcoólico de 13%.A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas mostram  chocolate, frutas vermelhas e baunilha. Na boca as sensações olfativas se repetem, com taninos finos e bem integrados. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 268,95, na Mistral.

02 – Goulée Blanc 2009 – elaborado com 80% de Sauvignon Blanc e 20% de Sémillon, a partir de vinhedos  localizadas no norte do Médoc ,em Jaú Dignac e Loirac. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um amarelo palha, com muito brilho. Os aromas mostram frutas cítricas e frutas tropicais (abacaxi, maracuja, carambola), com leve herbáceo. Na boca as sensações frutadas se repetem, com uma acidez equilibrada. Agradável final de frutas cítricas. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 227,85, na Mistral.

03 – Les Pagodes de Cos 2002 – elaborado com 50% de Merlot e 50% de Cabernet Sauvignon, com passagem em barricas de carvalho, sendo 40% novas.Teor Alcoólico de 13,5%.Apresenta uma coloração  rubi profundo e brilhante.Os aromas mostram  frutos pretos e, alcaçuz, toques terrosos e picantes mineralidade  e carvalho. Na boca mostra um bom equilibrio, com taninos macios, repetindo as sensações do olfato, com leve amargor, que persiste no final. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 607,34, na Mistral.

04 – Chateau  Cos d’Estournel  2ème Saint Estèphe 2004 – elaborado com 74% de Cabernet Sauvignon, 3% de Cabernet Franc e 23% de Merlot. Passagem por carvalho, sendo 80% de barricas novas. A coloração é de um granada escuro, com muito brilho. Os aromas são complexos mostrando framboesa, cereja, cassis, mirtilo, groselha, amora, alcaçuz, cedro, minerais e cacau. Na boca as sensações complexas do olfato se repetem em meio a taninos finos e bem integrados. Um longo final com frutado e cacau. Avaliação: 93 Pontos. Preço: R$ 1.237,80, na Mistral.

 

Publicado em: 24/07/2012

Sogrape, 70 anos

 

Os 16 sócios fundadores da Sogrape, liderados por Fernando van Zeller Guedes, assinaram, na Conservatória de Registro Comercial, em julho de 1942, a escritura pública de constituição da Sogrape - "Sociedade Comercial dos Grandes Vinhos de Mesa de Portugal, Lda".

"É um desafio aliciante e uma enorme responsabilidade assegurar o crescimento sustentado ao extraordinário legado que o meu avô e o meu pai criaram", salienta Salvador Guedes (foto), atual Presidente da empresa proprietária do mais internacional dos vinhos portugueses - Mateus Rosé - que partilha a gestão com os irmãos Manuel e Fernando.

Reza a história que a idéia de criar a Sogrape começou a  germinar num jantar de amigos que não resistiram ao gênio visionário de Fernando Van Zeller Guedes e o acompanharam na concretização do arriscado projeto de criar uma empresa produtora de vinhos, vocacionada para a exportação, em plena II Guerra Mundial.

Com mais de 1500 hectares de vinha plantados em 5 países, a Sogrape Vinhos mantém ainda a raiz familiar e é liderada pela terceira geração da família fundadora.

 

Publicado em: 24/07/2012

No Encontro Mistral (12)

 

Paul Hobbs é um enólogo conhecido e aclamado no mundo todo. Já ganhou 100 pontos do grande Robert Parker e tem diversos vinhos pontuados acima dos 95. Dá consultoria para mais de 35 vinícolas, em diversos países. Acostumado com um estilo de vida pacato e simples, o americano Paul Hobbs cresceu numa fazenda onde, ainda criança, trabalhava para ajudar no orçamento familiar que, na época, era apertado. O contato com o vinho aconteceu durante a adolescência, quando seu pai levou uma garrafa para casa. O entusiasmo foi tanto que em 1975 Paul formou-se em Enologia pela Universidade Notre Dame, Indiana.Durante o último ano de faculdade conheceu um professor de botânica que trabalhava como produtor de vinhos em Napa Valley, que o incentivou a estudar na  Califórnia, onde fez mestrado em Enologia. Hobbs passou mais de oito anos trabalhando na vinícola argentina Catena, onde desenvolveu o menu da empresa e desde 1999 firmou parceria com a Viña Cobos, no Chile. Além de ter transformado, em apenas cinco anos, a vinícola Argentina Toso em uma das melhores do país. Participa em mais de 30 projetos, sendo 15 na Argentina, 3 no Chile e váriosnos Estados Unidos, no Canadá, na Armênia, na França e na Hungria. No Encontro Mistral degustamos alguns de seus vinhos. Vamos a eles.

01 – Paul Hobbs Chardonnay Russian River 2009 – elaborado com 100% de Chardonnay, fermentado por 4 meses em carvalho, com leveduras selvagens, e passagem de 12 meses em barricas de carvalho francês.Sem colagem e sem filtração.Teor Alcoólico de 14,2%. A coloração é de um amarelo palha com muito brilho. Os aromas mostram frutas cítricas, abacaxi, carambola e flores brancas. Na boca apresenta-se encorpado, viscoso, com maçã, pera, notas de jasmim e toques minerais que se mantem no final agradável. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 241,78, na Mistral.

02 – CrossBarn Chardonnay Sonoma Mountain 2008 – elaborado com 100%  a partir de uma seleção de uvas de diversas parcelas de vinhedos únicos, sendo 60% do vinho  fermentado em tanques de aço e 40% em barricas de carvalho. Maturado 5 meses em barricas de carvalho francês.Teor Alcoólico de 14,7%. A coloração é de um amarelo com toques dourados. Os aromas mostram frutos cítricos, maçã verde, pêra e toques minerais. Na boca apresenta-se cremoso, com frutas cítricas se destacando, amêndoas, acidez pontual e toques minerais, que persistem no final. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 146,26, na Mistral.  

03 – CrossBarn Pinot Noir Sonoma Coast 2009 – elaborado com 100% de Pinot Noir,a partir de uma seleção rigorosa de vinhos de vinhedo único no Vale Anderson.Fermentação com leveduras selvagens e selecionadas. Amadurecimento de 10 meses em carvalho francês, sendo  16% de barricas novas. Sem colagem e sem filtração. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi brilhante. Os aromas mostram framboesa, mírtilo, cereja e toques florais. Sutil terroso e baunilha. Na boca mostra um corpo médio, com taninos finos e macios e acidez equilibrada. Longo final com baunilha e frutas. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 196,01, na Mistral.

04 – Paul Hobbs Pinot Noir Russian River 2009 -  elaborado com 100% de Pinot Noir , a partir de uvas de vinhedos em Russian River combinados com parcelas selecionadas do vinhedo Lindsay.Maturado 10 meses em barricas de carvalho francês, sendo 56% novas.Teor Alcoólico de 14,4%. A coloração é de um rubi brilhante. Os aromas mostram frutas maduras, café, tabaco,  sutil terroso e mineral. Na boca as sensações olfativas se repetem, com taninos macios e bem integrados. Longo final, com baunilha. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 249,74, na Mistral.

05 – CrossBarn Cabernet Sauvignon Napa Valley 2005 – elaborado com 100% de Cabernet Sauvignon, a partir de vinhedos em Napa Valley. Maturou 18 meses em barrica de carvalho francês e americano, sendo 23 % novo.Teor Alcoólico de 14,7%. A coloração e de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas são nítidos mostrando cereja, amora, ameixa, azeitona, baunilha, coco, eucalipto e cedro. Na boca apresenta taninos potentes, acidez média e leve hortelã, que persiste em meio ao frutado do longo final. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 198,00, na Mistral.

06 – Paul Hobbs Cabernet Sauvignon Napa Valley 2005  elaborado com 100% de Cabernet Sauvignon a partir de vinhedos na região de Napa Valley, incluindo To Kalon, Hyde, Stagecoach e Beckstoffer Dr. Crane
Fermentação malolática de 7 meses em barricas de carvalho.Maturado 20 meses em barricas de carvalho francês, sendo 69% novas. Teor Alcoólico de 14,9%. A coloração
 é de um vermelho muito escuro arroxeado.
Os aromas são bastante intensos com  cassis, amora, fumado, couro , tabaco, especiarias e chocolate. Na boca mostra-se sedoso, com taninos macios e integrados, cobertos com a fruta. Longo final com  notas de chocolate e tabaco. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 397,00, na Mistral.

07 – Paul Hobbs Cabernet Sauvignon Beckstoffer Dr. Craner Vineyard 2006 –elaborado com 100% de Cabernet Sauvignon, do vinhedo único, com passagem de 20 meses em carvalho. Teor Alcoólico de 15,1%. A coloração é de um rubi escuro e brilhante. Os aromas são complexos e intensos, mostrando frutos negros (groselha, amora, mírtilo), toques florais, especiarias, notas balsâmicas, couro, chocolate e toques de baunilha. uito rica ainda de médio a encorpado. Na boca, as sensações do olfato se repetem, mum bom corpo e taninos potentes. Longo final com couro e baunilha. Excelente vinho. Avaliação: 93 Pontos. Preço: R$ 795,78, na Mistral

 

Publicado em: 23/07/2012

Vem aí a Vinum Brasilis

 

Publicado em: 23/07/2012

No Encontro Mistral (11)

 

 

Dominio de Atauta foi fundada em 1999 no sudoeste da Ribera Del Duero. Conta com mais de 600 parcelas de vinhedos muito antigos, sendo 80% deles de vinhas centenárias pré-filoxéricas. Seus vinhedos de Tinto Fino em pé franco – cultivados segundo uma filosofia não intervencionista, sem uso de produtos químicos – dão origem a tintos complexos e cheios de personalidade. No Encontro Mistral degustamos dois de seus vinhos. Vamos a eles.

01 –Torre de Golban Crianza 2008 – elaborado com 100% Tinto Fino (Tempranillo) a partir de vinhedos localizados a 950 m de altitude, majoritariamente orgânicos. Videira sem enxerto. Rendimentos limitados. Colheita manual.Maturado 14 meses em barricas de carvalho, sendo 12% novas e 80% de segundo uso, utilizadas anteriormente pelo Ch. Haut Brion.Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é cereja vermelha intensa. Aromas de fruta preta madura especiarias, nozes,  combinado com picante e defumado. Na boca mostra-se elegante, com taninos agradáveis e bem integrados. Longo final frutado. Avaliação: 90 Pontos. Preço não dosponível.

02 – Dominio de Atauta 2005 -  elaborado com 100% Tinto Fino, a partir de vinhedos localizados em altitude de 950 metros em solos arenosos e calcários. Amadureceu 18 meses em barricas de carvalho francês, sendo parte em barricas de segundo uso do Ch.L’Angelus, de Bordeaux. Não teve filtração.Teor Alcoólico de  14,6%. A coloração é de um  cereja intenso, com muito brilho.Os  aroma  são complexos com cacau, frutas vermelhas intensas, leve picante e defumado. Na boca mostra um bom corpo com  taninos secos, bem integrados ao frutado e leve adstrigência. Longo final com achocolatado. Avaliação: 92 Pontos. Preço: R$ 233,82, na Mistral.




Publicado em: 23/07/2012

No Encontro Mistral (10)

 

A Niepoort é uma empresa familiar independente há mais de século e meio; cinco gerações sucederam-se à frente da Niepoort desde que Franciscus Marius Niepoort fundou a empresa em 1842. Quase sempre, duas gerações trabalharam lado a lado durante longos anos, contribuindo para uma transição bem sucedida. Eduard Dirk Niepoort está à frente da empresa desde a reforma formal de Eduard Rudolph Niepoort, em 2005. Dirk, nascido em 1964, descobriu o mundo do vinho durante os seus estudos na Suíça. Em 1987, Dirk juntou-se ao seu pai, Rolf Niepoort, na empresa familiar e foi desafiado a inovar, mantendo as boas tradições. O primeiro passo importante foi a aquisição de vinhas próprias: a Quinta de Nápoles e a Quinta do Carril no Cima Corgo, uma região que tradicionalmente produz os melhores Vinhos do Porto. Foram plantados de novo 15 hectares de vinhas, e 10 hectares de vinhas com 60 anos foram cuidadosamente mantidas. Ser proprietário de Quintas e vinhas no Douro foi um passo importante para a produção de Vinho do Porto e para a criação dos primeiros vinhos Niepoort. A paixão de Dirk pelos vinhos, o respeito humilde e a curiosidade pelo terroir do Douro definiu o espírito de equipa nas duas últimas décadas e é uma inspiração constante para a equipe. A irmã de Dirk, Verena Niepoort, juntou-se à equipe, como diretora executiva, em 2005. No Encontro Mistral pudemos degustar alguns de seus vinhos, com Dirk Niepoort. Vamos a êles.

01 – LBV 2005 – elaborado com  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela,Sousão, Tinta Roriz e outras a partir de vinhedos selecionados em Vinha da Pisca, Vale do Ferrão e Vale do Pinhão, com mais de 60 anos de idade.As uvas para o LBV são provenientes de vinhas de baixa produção na região de Cima Corgo no Vale do Douro. As uvas foram pisadas a pé em lagares. Maturado por 4 anos em cascos usados de carvalho. Teor Alcoólico de 20%. De cor rubi escura e com um aroma fresco com notas de frutos negros, cerejas e um toque de chocolate amargo; ao mesmo tempo, de aroma fino que dá ao vinho grande delicadeza. Sabor extraído e espesso, embora elegante, na boca apresenta notas de frutos escuros frescos e um fim longo e suave. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 108,45, na Mistral.

02 - Senior Tawny -  elaborado com Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Sousão eTinta Roriz, a partir de vinhedos selecionados, com vinhas de mais de 30 anos de idade no Vale do Pinhão e Ferrão, com solo de xisto.Colheita manual e pisa a pé em lagares permanecendo 6 anos, em pequenas barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 20%. A cor é ligeira , com uma gama de aromas e sabores baseada em notas de frutos vermelhos.Aroma fino e intenso de ameixas vermelhas e fruto preto com um toque de chocolate.Na boca , mostra-se fresco e atrativo. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 114,42, na Mistral.

03 – Vintage 2007 – elaborado com Touriga Nacional, Touriga Franca,Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Sousão e Tinta Roriz, a partir de vinhedos de
Vinha da Pisca, Vale do Pinhão e Ferrão, algumas vinhas com mais de 100 anos de idade. Maturação de 2 anos em cascos. Teor Alcoólico de 20%.Coloração rubi bem escuro de concentração alta. Os aromas mostram muita fruta madura (frutos do bosque, bagas), a especiarias doces (canela, cravo), vegetal seco,  algo floral (violeta) em fundo mineral.
Na boca mostra um ataque de fruta madura e suculenta,  com toques frescos, com muita harmonia . Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 377,90, na Mistral.

04 – 10 Anos Tawny – elaborado com Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Sousão eTinta Roriz, a partir de vinhedos selecionados em Vinha da Pisca, Vale do Pinhão e Ferrão, com mais de 60 anos de idade. Colheita manual e pisa a pé em lagares. O Master Blender combina diversos vinhos, de várias idades para conseguir um vinho completo e equilibrado.Maturado por 10 anos em pipas médias (550 litros) de carvalho. Teor Alcoólico de 20%. A cor é caramelo com tons vermelhos. Os aromas mostram frutas vermelhas e notas de nozes. Na boca mostra-se  doce, boa acidez, caramelo, pecan, baunilha e  maçãs cozidas. Um longo e agradável final. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 198,80, na Mistral.

05 – 20 Anos Tawny -  elaborado com Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Sousão, Tinta Roriz e outras, a partir de vinhedos selecionados em
Vinha da Pisca, Vale do Pinhão e Ferrão, com mais de 60 anos de idade.
Envelhecido em pequenas pipas (550 l) velhas de carvalho nas caves em Vila Nova de Gaia, durante muitos anos. O casamento equilibrado das diferentes características e das diversas idades é a principal arte do Master Blender da Niepoort. Maturação de 20 anos em pequenas pipas de carvalho. Teor Alcoolico de 20%.Adocicado no nariz, com canela, amêndoas, frutas passificadas. Na boca é muito complexo com uvas passas, chocolate branco, casca de frutas cítricas secas, amêndoas e leve pimenta, no final. Avaliação: 92 Pontos. Preço: R$ 337,30, na Mistral.

06 – Colheita 1998 - elaborado com  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela,Sousão, Tinta Roriz e outras, a partir de vinhedos selecionados no Vale do Pinhão e Ferrão, com vinhas de mais de 60 anos de idade. Colheita manual e pisa a pé em lagares.Maturou 7 anos em pequenas barricas usadas de carvalho. Teor Alcoólico de 20%.Apresenta uma cor viva, brilhante e profunda com reflexos vermelhos e castanhos. Notas de madeira e de frutos secos, com um final longo e complexo.

 

Publicado em: 23/07/2012

No Encontro Mistral (9)

 

Le Macchiole está localizado na estrada Bolgherese, em cerca de 5 km do mar, no coração da área Doc Bolgheri. Ele se estende ao longo de 22 hectares, com plantio de alta densidade e baixo rendimento ("uma garrafa de vinho por videira").Le Macchiole  foi fundada em 1983, quando Eugenio Campolmi, um nativo Bolgherese, comprou a sua vinha. Junto com sua esposa, Cinzia Merli, Eugênio começou sua busca, baseado na filosofia de experimentação, o plantio de muitas variedades diferentes. Após a morte prematura de seu marido, Cinzia assumiu a pequena vinícola de sua família, buscando o objeto compartilhado com ele: produzir vinhos de alta qualidade que expressam o território através da sua forte personalidade.São produzidos  4 vinhos tintos: Messorio, Paleo, Scrio, Bolgheri Rosso DOC e 1 de vinho branco Paleo Bianco, com uma produção total de cerca de 100,000 garrafas por ano. No Encontro Mistral degustamos alguns de seus vinhos. Vamos a êles.

01 – Messorio 2007 – elaborado com 100% Merlot, a partir dos vinhedos Nuova 1998, Vignone 1999, em Bolgheri. Maturação de 18 meses em barricas novas, 50% de 225 litros, 50% de 112 litros. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um  rubi intenso, com muito brilho. Os aromas mostram  framboesa, groselha, chá verde  e especiarias. Na boca apresenta-se  encorpado,com taninos arredondados e bem integrados. Muita elegância que vem do equilíbrio entre as frutas e os taninos. Leve adocicado. Um longo final com frutado intenso e algo de canela. Excelente vinho. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 993,99, na Mistral.

02 – Scrio 2007 – elaborado com 100% de Syrah, sendo que a partir  desta safra a propriedade mudou de fermentação de barris de carvalho para cubas de aço inoxidável para melhor expressão de fruta e frescura da Syrah.  Teor Alcoólico de 13,5%.A coloração é de um escuro rubi, profundo e intenso, com muito brilho. Os aromas mostram groselha, café, chá verde e especiarias (noz-moscada e baunilha. Na boca apresenta-se com taninos muito intensos, complexos, com muita fruta, especiarias e notas amadeiradas. Longo final com baunilha.  Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 729,07, na Mistral.

03 – Paleo 2007 – elaborado com 100% de Cabernet Franc. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi escuro com muito brilho.Os aromas  mostram frutas vermelhas (framboesa, ameixa), especiarias (páprica, louro)e  leves nuances vegetais. Na boca apresenta taninos aveludados, ligeiramente salientes e secos, bem integrados, com leve tostado. Longo final com café e chocolate.  Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 393,02, na Mistral.

04 - Bolgheri Rosso 2009 – elaborado com 50% Merlot, 30% Cabernet, 15% Syrah e 5% Sangiovese, a partir de vinhedos próprios na região de Bolgheri.Maturado 10 meses em barricas de carvalho de primeiro e segundo uso. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas são complexos, com frutas vermelhas, especiarias, toques herbáceos, chocolate e baunilha. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos macios e bem integrados, leve adstrigência e acidez pontual. Bom final, com baunilha e leve mentol. Avaliação: 89 Pontos. Preço: 146,26, na Mistral

Publicado em: 22/07/2012

No Encontro Mistral (8)

 

Castello del Terriccio, no comando da Família Serafini Ferri, é um dos mais prestigiosos nomes do vinho italiano, sendo considerado uma das estrelas da região de Maremma, na costa toscana. Seus vinhos, no melhor estilo toscano, lembram os grandes “Bordeaux Italianos”. O enólogo Carlo Ferrini, um dos consultores mais premiados da Itália, comanda a produção. No Encontro Mistral degustamos alguns de seus vinhos  com  Caroline Zucchini, uma das diretoras da empresa. Vamos a eles.

01 – Sassi Rosa 2010 – elaborado com 100% de Syrah, o mais novo membro da família Terriccio, sendo produzido pela primeira vez pela propriedade.Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de um rosa salmão brilhante. Os aromas mostram grapefruit , lichia, morando e flores de laranja e pêssego no nariz. Na boca, num bom equilíbrio tânico, repete as sensações olfativas. Agradável final. Edição limitada de apenas 5.000 garrafas, produzido em colaboração com o enólogo Graziana Grassini.  Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 151,04, na Mistral.

02 – Capannino Sangiovese 2008 –elaborado  com Sangiovese, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot e Petit Verdot com fermentação e envelhecimento  de 6 meses em aço inoxidável, seguido por um curto período de tempo em barris de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um vermelho rubi com muito brilho. Os aromas  mostram cereja, framboesa, morango, ameixa, toques florais e notas de eucalipto.  Na boca apresenta ótima estrutura, com taninos aveludados e bem integrados. Ótimo final frutado, com toques de eucalípto. Avaliação:  87 Pontos. Preço: R$ 99,30, na Mistral.

03 – Tassinaia 2006 – elaborado com 33% Cabernet Sauvignon, 33% Merlot  e 34%  Sangiovese, a partir de vinhedos situados a 100 metros acima do nível do mar, plantados em 1986. Os vinhos foram fermentadas em cubas de inox, 18 dias para o Merlot, 16 dias para o Cabernet Sauvignon e 15 dias para a Sangiovese. Foi envelhecido separadamente em barricas novas e usados de carvalho francês durante 14 meses.Teor Alcoólico de 13,5%.  A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas mostram amora, groselha, ameixa, tabaco, cedro e baunilha.Na boca as sensações olfativas se repetem, num bom corpo e taninos sedosos. Longo final com fruta e baunilha. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 186,86, na Mistral.

04 – Castello del Terriccio 2004 – elaborado com 50% Syrah, 25% Petit Verdot e 25% de outras castas, envelhecido por  18 meses em barricas francesas. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um granada intenso com halos mais claro e muito brilho. Os aromas mostram especiarias, toque balsâmico, violeta, amora, groselha e chocolate. Na boca   apresenta taninos sedosos e um toque de menta. Longo final com fruta e notas balsâmicas. Avaliação:  91 Pontos. Preço: R$ 442,77, na Mistral.

05 - Lupicaia 2004 – elaborado com Cabernet Sauvignon (85%), Merlot (10%) e Petit Verdot (5%), produzidas em vinhedos próprios na região de Maremma, maturado 18 meses em barricas novas de Allier francesas.Teor Alcoólico de 14%.A coloração é de um granada intenso com halos mais claros.Os aromas mostram cereja preta, amora, groselha,  especiarias, chocolate, hortelã e toques minerais.Na boca apresenta bom corpo, com taninos redondos e macios. Um excelente final, repetindo as sensações do olfato. Um grande vinho. Avaliação: 92 Pontos. Preço: R$ 735,30, na Mistral.

 

Publicado em: 21/07/2012

No Encontro Mistral (7)

 

Fundada há mais de 150 anos, a Paul Jaboulet Aîné é uma das mais prestigiadas vinícolas do Rhône, detendo excelentes vinhedos nas melhores denominações do Norte do Rhône. Os vinhos são elaborados pela enóloga Caroline Frey, uma das mulheres mais influentes do mundo do vinho na atualidade. Com a ajuda do famoso Denis Dubourdieu – um dos grandes enólogos da França – ela empreendeu uma reformulação nos vinhedos, seguindo as normas de viticultura orgânica estipuladas no país e estimulando o amadurecimento perfeito das uvas, sendo o trabalho considerado por Parker como uma das maiores transformações do mundo do vinho. Degustamos com Tom Hlasny (foto), Diretor de Exportações da Empresa, alguns de seus vinhos.

01- Crozes-Hermitage Les Jalets 2008 – elaborado com 100% de Syrah , procedentes dos vinhedos "Les Jalets" de 6 ha (jalet significa cascalho em velho francês) com idade média das videiras de 25 anos. Nenhuma passagem na barrica.Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de um intenso e brilhante rubi. Os aromas mostram framboesa, cereja, mírtilo, especiarias leves e toque herbáceo. Na boca apresenta taninos macios e bem equilibrados, com final frutado. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 116,41, na Mistral.

02 – Châteauneuf-du-Pape 2009 – elaborado com as castas Grenache e Mourvèdre , com 12 meses de passagem em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso, com halos mais claros, e muito brilhante. Os aromas mostram ameixa, framboesa, cereja, toques de especiarias, baunilha e algo de madeira. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos macios e firmes, bem integrados. Agradável final com baunilha e frutas. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 373,12, na Mistral.

03 –Côte Rôtie Domaine des Pierrelles 2009 -  elaborado com 100% de Syrah, de uma minúscula parcela de apenas 2,8 hectares de Tupin, com 12 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas são intensos com muita fruta vermelha,  especiarias, alcaçuz, baunilha e toques florais. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e bem integrados às frutas, com leve adstrigência e adocicado no final. Um excelente vinho. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 545,06.

04 – Hermitage La  Petite Chapelle 2006 – elaborado com 100% de Syrah, a partir de  uvas das várias parcelas, com idades de 45 a 60 anos, situadas na colina Hermitage. São vinificadas separadamente,  até a mistura final, que ocorre um ano após a colheita. 40 a 60 anos. Envelhecido em madeira na adega "Vineum" por 18 meses. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de profunda cor cereja preta, límpido e brilhante. Os aromas mostram-se intenso e aromático com especiarias doces, notas florais e fruta muito madura. Na boca mostra um bom corpo, com taninos finos e intensos. Longo final com notas florais. Avaliação: 92 Pontos. Preço: R$ 438,08, na Mistral.

05 – Hermitage La Chapelle 2005 – elaborado com 100% de Syrah, dos vinhedos de  Les Bessards, Les Greffieux, Le Méal e Le Rocoules, todos com mais de 40 anos de idade. Envelhecido 18 meses em barricas de carvalho na adega "Vineum".Teor Alcoólico de 14,5%.A coloração é de um  vermelho rubi intenso, límpido e brilhante. Os aromas são altamente complexos, distinto, revelando grande finesse, com frutas negras, especiarias doces e leve herbáceo; Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e presentes com muita harmonia. Longo final frutado. Avaliação: 94 Pontos. Preço: R$ 993,01, na Mistral.

 

Publicado em: 21/07/2012

No Encontro Mistral (6)

 

 

Michel Chapoutier é um dos grandes nomes do Rhône e de toda a França. É adepto da vitivinicultura orgânica e biodinâmica e segue a cartilha francesa para esse tipo de cultivo sustentável. Seus vinhos – Hermitage, Côte-Rôie, St.Joseph, Cornas e Châteauneuf-du-Pape – são referências para as regiões. Chapoutier também produz vinhos no Sul da França, Alsácia, Austrália e Portugal. No Encontro Mistral, degustamos alguns de seus vinhos.

01 – Côtes Du Rhône Bellerouche Rouge 2009 – elaborado com 80% de Grenache 80% e 20% de Syrah , a partir de vinhedos selecionados na região do Rhône, cultivados da forma orgânica tendo amadurecido em tanque de aço inoxidável. Teor Alcoólico de 14%.  A coloração é um vermelho granada, com muito brilho. Os aromas mostram  frutas vermelhas (cerejas, framboesa, ameixa) e especiarias (alcaçuz, pimenta cinza). Na boca as sensações do olfato se repetem com taninos macios e bem integrados; Final frutado. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 79,40, na Mistral.

02 – Côtes du Roussillon Villages Bila-Haut 2009 – elaborado com Grenache, Syrah e Carignan, a partir de vinhedos selecionados na região do Roussillon e maturado em tanques de aço. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um granada intenso com muito brilho. Os aromas mostram framboesa, cereja, ameixa,toques florais, de menta  e herbáceos. Na boca apresenta corpo médio, com taninos finos e bem integrados. Acidez pontual. Final frutado, com menta. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 65,47, na Mistral.

03 – Marius Rouge 2010 – elaborado com as castas Syrah e Grenache de vinhedos proprios localizados dentro da IGT Pays d'Oc, Languedoc Roussillon, sem passagem por madeira. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um roxo profundo com  reflexos mais claros. Os aromas mostram-se  picantes, com  frutos vermelhos e  toque floral delicado.
Na boca apresenta um ataque poderoso, concentrado e estruturado com um toque de taninos sedosos. Final frutado. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 52,73, na Mistral.

04 – Crozes-Hermitage Les Meysonniers 2009 – elaborado com  100%  a partir de vinhedos de 25 anos de idade localizados na area de Crozes-Hermitage.sendo que mm quarto é madurado em barrica de carvalho francês por 12 meses. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas mostram intensas frutas vermelhas, toques florais e baunilha. Na boca apresenta taninos macios e bem integrados, leve adstrigência. Um bom final com fruta e baunilha. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 132,33, na Mistral.

05 – Châteauneuf-du-Pape La Bernardine  2008 – elaborado com Grenache, Syrah e Mourvedre, produzidas em vinhedos localizados em terrenos típicos da apelação com um solo coberto de pedrinhas chamadas "cailloux roulés". Para proteger a Grenache, muita sensível, a fermentação (entre 15 dias e 3 semanas) acontece em cubas de betão com controle das temperaturas. Maturação em pipa de carvalho e cuba por 15 meses.Teor Alcoólico de  14%.  A coloração é de um  intenso vermelho-grená, com muito brilho. Os aromas são complexos com sutil groselha, cereja  e ameixa seguido de café torrado e canela. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos suaves misturados às frutas e alcaçuz. Ótimo final, com baunilha. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 249,74, na Mistral.

06 – Hermitage Monier de La Sizeranne 2007 – elaborado com 100% de Syrah a partir de vinhedos selecionados, cultivados de maneira biodinâmica.Maturado em barricas de carvalho, sendo 1/3 novas.Teor Alcoólico de  13,5%. A coloração é de um  vermelho granada profunda, com nuances roxas. Os aromas mostram frutas vermelhas (framboesa, groselha), com um toque de alcaçuz. Na boca apresenta taninos concentrados e suaves, com muito equilíbrio. Um longo final de framboesa e algo de picante. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 516,40, na Mistral.

 

Publicado em: 20/07/2012

Bramare Malbec Viñedo Marchiori 2008

 

A Bodega Cobos está localizada em Perdriel, Luján de Cuyo.É o resultado da parceria entre o enólogo californiano Paul Hobbs e o casal argentino Andrea Marchiori e Luis Barraud. Os vinhedos, com mais de 50 anos, foram plantados por Nico Marchiori, pai de Andrea.  Possui os vinhedos  Marchiori, Rebón, Luján de Cuyo e Valle do Uco. O Bramare Malbec Viñedo Marchiori  2008 foi elaborado com 100% da cepa, com passagem em barricas de carvalho francês (70% de primeiro uso). Sem clareamento e sem filtração. Teor Alcoólico de 14,9%. A coloração é de um vermelho rubi intenso, com reflexos violáceos nos halos, muito brilho e boa transparência. Os aromas são complexos, uma verdadeira explosão de frutas, com cereja, framboesa,ameixa, licor de cassis, figo passificado, leve cacau e baunilha. Na boca mostra-se guloso, com taninos potentes, bem integrados ao intenso frutado. Um longo final, com as sensações frutadas se mostrando. Minha Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 180,00, na Enoteca Cursino de Rio Preto.

Publicado em: 20/07/2012

Finca Los Nobles Cabernet Bouchet 2004

 

A Bodega Luigi Bosca, situada em Luján de Cuyo, pertence a Família  Arizu. É uma das mais tradicionais e pioneiras na produção de vinhos de qualidade. Tem mais de 100 anos. Produz os vinhos  La Linda, Luigi Bosca Reserva e Selectos da Família Arizu. Em Vistalba, a família Arizu possui a Finca Los Nobles, onde estão plantadas Cabernet Sauvignon e Alicante Bouchet há mais de 90 anos. OFinca Los Nobles Cabernet Bouchet 2004 foi elaborado a partir dos Vinhedos de Los Nobles , tendo passado 24  meses em carvalho francês e mais 14 meses em garrafa, antes da comercialização. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é rubi intensa, com muito brilho. Os aromas são complexos onde se evidenciam frutas vermelhas maduras, com notas de cassis, madeira, especiarias,pimentão verde, toques de violeta e café. Na boca apresentaum grande corpo, repetindo as sensações olfativas e mostrando acidez e taninos em equilíbrio. Longa persistência com madeira. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 257,00, na Decanter Rio Preto.

Publicado em: 20/07/2012

Basilisco Aglianico del Vulture 2004

 

Basilisco nasceu em 1992 com a intenção de valorizar a potencialidade da Anglianico. São 10 hectares, com produção anual de 12 mil garrafas. O rótulo mostra a efígie do Governador  da Basilicata (Basiliskos, em Grego),Teodosio II, de uma rara moeda bizantina de 380 dC. O Basilisco Aglianico Del Vulture 2004 foi elaborado com 100% da cepa Aglianico, tendo passado 15 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas negras maduras, especiarias, pimenta vermelha, algo terroso e chocolate. Na boca apresenta um bom corpo, com perfeita integração entre os taninos e o álcool e um toque de acidez. Um bom final, com pimenta e chocolate. Avaliação: 89Pontos. Preço: R$ 168,00, na Decanter Rio Preto.

Publicado em: 20/07/2012

Brovida Cordara Barolo 2006

 

Antigos proprietários de terras piemontesas, Brovida Cordara são conhecidos pela estupenda qualidade de suas uvas, de produção própria, e pela excelente posição de seus vinhedos, situados nas verdes colinas de Treiso, próximo a Cuneo. Brovida Cordara integra o GruppoMontresor, juntamente com 13 outras empresas vitivinícolas. O Brovida Cordara Barolo 2006 foi elaborado com 100% de Nebbiolo, com fermentação em barricas de carvalho, onde permaneceu para amadurecimentoTeor Alcoólico de 14%.A coloração érubi intensa, com muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas, especiarias e leve herbáceo.Na boca mostra um bom corpo, com taninos bem integrados, adstrigência, amargor e acidez presente. Média persistência frutada. Avaliação: 85 Pontos. Preço: R$ 123,90, na Vinhocracia.

Publicado em: 20/07/2012

Calabria Private Bin 2008

 

Apesar de ser portador de uma rara alergia causada pelos ácidos no vinho que o impede de engolir esta bebida, a visão e determinação de Bill Calabria colocam-no no topo da lista dos produtores que elevaram enormemente a qualidade dos vinhos elaborados em Riverina nos últimos anos. Estabelecida em 1945 por seus pais, imigrantes italianos, em Griffith, no coração de Riverina, Westend produz cerca de cinco milhões de litros por ano. A uva Saint Macaire é uma variedade tão rara que dificilmente encontra-se menção em livros especializados. Leva o nome de um charmoso vilarejo francês de Bordeaux, mas hoje encontra-se extinta na região. Westend, em apenas dois hectares, é uma das únicas vinícolas no mundo a produzir, de forma comercial, esta cepa. O Calabria Private Bin 2008 foi elaborado com 100% de Saint Macaire, tendo estagiado por doze meses em carvalho francês. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de intensa e profunda cor vermelho com halo violáceo. Mostra aroma fragrante de violetas, pétalas de rosas e especiarias, que são atributos únicos da variedade Saint Macaire, fruta madura e especiarias e baunilha. Na boca aparesenta-se com bom corpo,  macio, taninos refinados e grande persistência. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 120,00, na Bekaa Delicaressen de Rio Preto.

Publicado em: 20/07/2012

Casa Marin Syrah 2005

 

O Casa Marin Syrah 2005 foi  elaborado com 100% da cepa, produzida nos vinhedos de Miramar, em San Antonio, Chile. Passou 24 meses em barricas de carvalho francês e 10 meses em garrafas, antes da comercialização. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi escuro, com muito brilho e transparência.  Os aromas mostram-se bastante complexos, com muita fruta vermelha (morango, cereja), especiarias, especialmente anis, e algo de notas florais e pimenta do reino. Na boca apresenta um bom corpo , com taninos macios integrados a fruta, leve adstrigência e leve adocicado, com algo de baunilha. Um longo final com toques de anis, em meio ao frutado. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 198,00, na Vinea.

Publicado em: 20/07/2012

Octave Crémieux Châteauneuf-du-Pape 2007

 

O Octave Crémieux Châteauneuf-du-Pape 2007 – elaborado com as tradicionais cepas da A.O.C. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi brilhantes, com halos alaranjados. Apresenta intensos aromas de frutas, baunilha e tabaco. Na boca mostra-se  aveludado, macio, com taninos elegantes. O álcool e a acidez passam quase despercebidos, tamanha a harmonia. Longo final com baunilha. É um vinho com excelente potencial de envelhecimento. Minha Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 180,00, na Malte & Whisky de Rio Preto.

Publicado em: 20/07/2012

Na Confraria do Vinho de Rio Preto

 

A Confraria do Vinho de São José do Rio Preto realizou uma degustação especial, no esquema “cada um traz um vinho”, seguida de jantar. A reunião festiva ocorreu no Restaurante Grand Père e contou com a presença dos confrades: Edilberto, Tognolla, Angelo, Greco,De Luca, Achiles, Lorga, Renato e Osvaldir. Os vinhos escolhidos vieram da França, da Itália, do Chile, da Argentina e da Austrália. Uma excelente noitada, com cardápio à livre escolha. Foram degustados:

01 – Octave Crémieux Châteauneuf-du-Pape 2007 – do Achiles – 1º. Lugar

02 -  Casa Marin Sirah 2005 – do Angelo – 5º. Lugar

03 -  Brovida Cordara Barolo 2006 – do Renato – 7º. Lugar

04 -  Calabria Private Bin 2008 – do Osvaldir – 2º. Lugar

05 -  Basilisco 2004 – do De Luca – 3º. Lugar

06 -  Finca Los Nobles Cabernet Bouchet 2004 – do Lorga  - 6º. Lugar

07 -  Viña Cobos Bramare 2008 – do Tognolla – 4º. Lugar

Nos próximos posts comento os vinhos.

 

Publicado em: 19/07/2012

Na Decanter Rio Preto

 

Publicado em: 19/07/2012

No Encontro Mistral (5)

 

Schröeder & Schÿler é o mais tradicional negociante de Bordeux, estabelecido desde 1739. A FamíliaSchÿler também é proprietária do Château Kirwan, um dos mais renomados de Margaux. A Família Schÿler expandiu sua atuação até a emergente região do Languedoc, onde elabora os vinhos da linha Altera, de excelente qualidade preço. No Encontro Mistral, degustamos alguns de seus vinhos.

01 – Château Kirwan (3ème Margaux) 2007 – elaborado com  47% de Cabernet Sauvignon, 28% de  Merlot, 13% de Cabernet Franc e 12% de Petit Verdot. A coloração é de um púrpura intenso, com muito brilho. Os aromas mostram intenso frutado com toques de especiarias e leve baunilha. Na boca apresenta um bom corpo, taninos aveludados e bem integrados. Um longo final com especiarias. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$420,80 , na Mistral.

02 – Les Charmes de Kirwan 2007 – elaborado com 40% de Cabernet Sauvignon, 30% de Merlot, 20% de Cabernet Franc e 10% de Petit Verdot , a partir de vinhedos do Medoc, com estágio em carvalho. A coloração é de um rubi intenso, com halos púrpura. Os aromas mostram intenso frutado, com toques de chocolate e alcaçuz. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e bem integrados e uma leve adstrigência. Agradável final co baunilha. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 252,60, na Mistral.

03 – Medoc Private Reserve 2008 – elaborado com as castas Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot, pelos proprietários do Château Lafite-Rothschild. A coloração é de um rubi intenso e muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas, toques de especiarias, chocolate e algo de herbáceo. Na boca as sensações olfativas se repetem, num médio corpo, com taninos macios e elegantes. Leve adstrigência. Médio final frutado. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 63,48, na Mistral.

04 – Saint Emilion Private Reserve 2008 – elaborado com 90% de  Merlot  e 10% de Cabernet Franc , com passagem de 12 meses em barricas de carvalho. A coloração é de um rubi vivo e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas, alcaçuz, baunilha e leve herbáceo. Na boca apresenta taninos macios, bem integrados, com acidez pontual e leve amargor. Bom final frutado, com leve chocolate. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 101,29, na Mistral.

05 – Margaux Private Reserve 2008 – elaborado com 40% de Cabernet Sauvignon, 30% de  Merlot , 20% de  Cabernet Franc e 10% de Petit Verdot de vinhedos localizados na área da AOC Margaux, com 15 meses em barricas  de carvalho de primeiro e segundo.  Coloração rubi intensa, com muito brilho. Os aromas mostram complexidade com framboesa, morango, pitanga, geléia de figo, chocolate e leve mentolado. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos vivos e elegantes, bem integrados ao frutado. Longo final com baunilha e chocolate. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 166,96, na Mistral.

06 – Bordeaux Signatures 2009 – elaborado com 66% de Cabernet Sauvignon , 30% de Merlot e 4% de Cabernet Franc, com passagem por barricas de carvalho. A coloração é de um rubi intenso, com bordas mais claras e muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas (cereja, framboesa), leve especiarias e toques herbáceos. Na boca apresenta um corpo leve, com taninos finos, leve adstrigência e toque adocicado. Um bom final frutado, com toque herbáceo. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 73,42, na Mistral.

07 – Sauternes 09 – elaborado com as castas Semillon e Sauvignon Blanc, com passagem por carvalho. A coloração é de um amarelo dourado brilhante.Delicioso bouquet, com presença marcante de botrytis. Na boca é amplo e doce, com um ótimo final. Uma das melhores relações qualidade/preço entre os vinhos de sobremesa da França. Avaliação: 90 Pontos. Preço:  R$ 115,22, na Mistral.

Publicado em: 19/07/2012

No Encontro Mistral (4)

 

Fundada em 1849, a casa Pol Roger era a favorita de Winston Churchill, ao ponto de batizar o seu melhor cavalo de corrida com o nome de Pol Roger. A Rainha Elizabeth II frequentemente seve esse Champagne em suas recepções e, em abril de 2011, o Príncipe William e Kate Middleton elegeram um Pol Roger para ser servido na recepção oficial de seu casamento. A Pol Roger é líder no mercado inglês, o mais exigente do planeta, e coleciona admiradores por todo o mundo. No Encontro Mistral, degustamos alguns de seus Champagnes, com um dos proprietários da casa: Hubert de Billy. Vamos aos degustados.

01 - Pol Roger Brut Réserve -  elaborado tradicionalmente com um terço de Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier. A coloração é de uma amarelo claro e fina perlage. No nariz mostra uma ampla presença e de fruta fresca e um belo caráter floral. Na boca o caráter frutado se repete, com acidez equilibrada e cremosidade. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 286,56, na Mistral.

02 - Pol Roger Brut 2000 – elaborado com 40% de Chardonnay e 60% Pinot Noir,mostra uma tonalidade amarelo dourado brilhante, com rica e fina perlage. O olfato é exuberante, mostrando canela, mel,frutas exóticas, abacaxi e notas de fermentado. Na boca é amplo, cremoso com suculentas frutas exóticas, pêssego, carambola e abacaxi com uma acidez perfeita. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 397,80, na Mistral.

03 - Pol Roger Cuvée Winston Churchill de 1999: tem uma tonalidade dourada brilhante e uma elegante perlage, mostrando corrente de bolhas muito finas. O olfato mostra biscoito, um pouco de mel, frutas exóticas e toque de fumaça. Na boca apresenta ótima cremosidade, equilíbrio ácido e frescor. Um vinho encantador com muita personalidade, que é fiel ao estilo Winston Churchill. Avaliação: 92 Pontos. Preço: R$ 755,20, na Mistral

04 - Pol Roger Blanc de Blancs Brut 2002: tem uma tonalidade amarelo dourada, com muito brilho.No nariz mostra frutas exóticas, toffee e mineralidade.Na boca apresenta mousse bem arredondado, com um sabor de caramelo-cremoso e agradável . Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 486,55, na Mistral.

 

Publicado em: 18/07/2012

Na Bekaa Delicatessen

 

Publicado em: 18/07/2012

No Encontro Mistral (3)

 

A Família Symington, de origem britânica, é a maior proprietária de vinhedos finos na região do Douro. São 947 hectares, divididos em 27 propriedades, com uma grande diversidade de terroirs, castas e vinhedos de diferentes idades. Tradicional na produção de vinhos do Porto (Graham’s e Quinta do Vesuvio), nas últimas décadas tem voltado sua produção também para tintos e brancos de alta qualidade. É assim o Chryseia, o Post-Scriptum, o  Quinta do Vesuvio, o Pombal do Vesuvio, o Quinta de Roriz Reserva, o Prazo de Roriz e a linha Altano, mais simples e sempre indicada entre os “Best Buys” pela crítica. Com Dominic Symington (foto)degustamos alguns de seus vinhos.

01 – Pombal do Vesuvio 2008 – elaborado com Touriga Franca 60%, Touriga Nacional 30%, Tinta Amarela 10%, a partir de vinhedos do Douro Superior e do Alto Douro, passou por barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. Coloração granada violácea, com muito brilho. Os aromas mostram frutas negras, toques florais e mentolados. Na boca apresenta um bom frutado, com taninos finos e equilibrados. Leve apimentado e um sutil chocolate que se mantem  no final. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 119,20, na Mistral.

02 – Quinta do Vesuvio 2008 – elaborado com Touriga Nacional 80%, Touriga Franca 10% e Tinta Amarela 10%, com passagem por carvalho. Foram produzidas 10.800 garrafas. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um granada intenso com muito brilho. Os aromas são intensos, com frutas silvestres, toques florais e resinosos. Na boca apresenta bom corpo, com taninos bem integrados e presentes além de herbáceos. Um final com especiarias. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 377,00, na Mistral.

03 – Prazo de Roriz 2009 – elaborado com Touriga Nacional 35%, Touriga Franca 35%, Tinta Barroca 10%, Tinta Roriz 10%, Tinta Cão 10%,
com maturação de 8 meses em barrica de carvalho francês de segundo uso. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um intenso rubi, com muito brilho.  Os aromas mostram notas de frutos vermelhos e de especiarias. Na boca o vinho combina a suavidade no palato e um imenso equilibrio com  excelente acidez. Final intenso, frutado. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 89,35, na Mistral.

04 – Post Scriptum 2009 – elaborado com Touriga Franca 40%, Touriga Nacional 40% e Tinta Roriz 20%, de uvas provenientes da Quinta Perdiz, Quinta do Vesuvio e Quinta do Bomfim com envelhecimento por 9 meses em barricas de carvalho francês de segundo ano, com capacidade de 350 a 400 litros. Teor Alcoólico de 14%.Apresenta uma cor púrpura muito jovem. Nariz de fruta madura, reforçado por sabores frescos de cereja e frutos petos e uma nuance muito discreta de carvalho francês. Na boca evidencia uma estrutura longa com taninos extremamente macios.Muito frescor. Longo final frutado.É o segundo vinho da Chryseia. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$ 139,10, na Mistral

05 – Chryseia 2008 - criado pela parceria entre Bruno Prats, antigo proprietário do Chateau Cos d'Estournel em Bordeaux, e a família Symington, o Chryseia  é considerado um dos melhores vinhos de Portugal, sendo o primeiro do país a ser indicado entre os "100 Melhores Vinhos do Mundo" pela Wine Spectator. Elaborado com  Touriga Nacional e Touriga Franca (maioria), Tinta Roriz e Tinto Cão, a partir de
uvas selecionadas provenientes da Quinta da Vila Velha, Quinta do Bomfim e Quinta da Perdiz, tendo passado 12 meses em barricas novas de carvalho francês.Intenso aromático com notas fumadas elegantes, com sugestão de cereja preta e frutos vermelhos. Na boca é sedoso e envolvente. O estilo do vinho assenta sobre uma estrutura aveludada. Taninos possantes com grande equilíbrio. Avaliação: 92 Pontos. Preço: R$ 352,03, na Mistral.

Publicado em: 18/07/2012

No Encontro Mistral (2)

 

Os vinhos da Graham’s provêm essencialmente das suas propriedades, Quinta dos Malvedos, Quinta do Tua e Quinta das Lages, no Rio Torto. A Quinta da Vila Velha e a Quinta do Vale de Malhadas, propriedade de membros da Família Symington,também fornecem a Graham’s com uvas da mais alta qualidade. Estas cinco quintas encontram-se entre as melhores do vale do Douro. A Graham’s também adquire uvas em produtores selecionados nos melhores locais da região. Alguns destes viticultores fornecem uvas à Graham’s há gerações. No Encontro Mistral degustamos, com Dominique Symington:

01 – Graham’s Porto Tawny 10 Anos – mostra cor âmbar profunda, aroma complexo, com notas doce de laranja e frutos secos. Na boca apresenta concentrados sabores de fruta madura, harmoniosamente aveludado e um final longo e deleitoso. Teor Alcoólico de 20%.  Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$148,25, na Mistral.

02 – Graham’s Porto Tawny 20 Anos – mostra cor âmbar, com toques dourados e um aroma de amêndoas e canela. Na boca apresenta-se aveludado e equilibrado, com grande complexidade e harmonia, que persiste no longo final. Teor Alcoólico de 20%.Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 237,80, na Mistral.

03 – Graham’s Porto Six Grapes - O Six Grapes é um dos lotes originais de vinho do Porto da Graham’s. A apresentação distintiva de uvas no rótulo foi sempre utilizada nos cascos para identificar o lote.  Mostra cor vermelha escura profunda, com um intensos aromas de ameixas maduras,  cerejas e especiarias. Na boca apresenta-se complexo, frutado com taninos bem presentes, e um excelente equilíbrio. Teor Alcoólico de 20%. Avaliação: 89Pontos. Preço: R$ 118,40, na Mistral.

04 – Graham’s Porto Quinta dos Malvedos Vintage 1999 – elaborado com Touriga Franca (44%), Touriga Nacional (26%), Tinta Barroca (18%) e Tinta Roriz (12%), com maturação de 3 anos em cascos de carvalho. Mostra uma cor âmbar escura, com aromas frutados e florais intensos, chocolate e especiarias. Na boca a complexidade se mantém, com licor de cassis, groselha e ameixa. Taninos presentes e bem integrados, em perfeito equilíbrio. Avaliação: 94 Pontos. Preço não disponível.

 

Publicado em: 18/07/2012

No Encontro Mistral (1)

 

Uma bela surpresa do Encontro Mistral: Mas de Daumas Gassac. Em trinta anos os seus vinhos alcançaram o raro estatuto de "Vinho culto". É considerado o "unico Grand Cru do Midi" por Hugh Johnson e chamado de "Lafite Rothschild do Languedoc-Roussilon" pela Revista Gault-Millau.O Prof. Emile Peynaud foi o enólogo responsável pela criação do Dumas Gassac e de mudar o ponto de referência da região. O vale produz vinhos desde o tempo de Carlos Magno, no Ano 780. É um terroir privilegiado, com um solo muito parecido, com o de Medoc. Para o geólogo Henri Unjalbert, da Universidade de Bordeaux, é um terroir único e ideal, capaz de produzir um Grand Cru. Daumas Gassac sempre foi explorado no meio natural e tradicional antes da chegada da família Guibert. O vinhedo é composto de 52 vinhas em clareiras. Um verdadeiro museu com mais de 40 variedades de uvas do mundo inteiro. Degustamos, com Victorine Babé (foto):

01 – Daumas de Gassac Rouge 2008 – elaborado com 80% de Cabernet Sauvignon e 20% de 10 outras uvas, passou 16 meses em carvalho de segundo uso. Teor Alcoólico de 13%. Um complexo olfativo, com bom corpo e ótima presença de boca. Criado por Emile Paynaud, no final da década de 70, é considerado o melhor vinho do sul da França. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 230,34, na Mistral

02 – Pont de Gassac Rouge 2010 - elaborado com Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah a partir de vinhedos na região de Languedoc e maturação em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 13%. Um olfativo frutado, com bom corpo e agradável final de boca.  Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 101,98, na Mistral.

03 – Moulin de Gassac Syrah 2010 - elaborado com Syrah (100%)
produzida em vinhedos de 20 anos na região do Languedoc. Não passa por madeira para mantendo  o frescor aromático. Teor Alcoólico de 13%. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 51,54, na Mistral.Um excelente custo/qualidade.

04 – Guilhem Rouge 2010 – elaborado com 30% de  Syrah, 30% de Grenache, 20% de Carignan, 10%de  Cinsault, 5% de  Alicante e 5% de Aramon.
a partir de vinhedos de 25 anos,localizados na região do Languedoc, sendo 80% da colheita manual.Passou 6 meses em tanques de inox, sem filtração.Teor Alcoólico de 13%. Um vinho agradável, de boa complexidade olfativa e bem leve, na boca. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 47,76, na Mistral.

05 – Figaro  Rouge 2010 – elaborado com as uvas Carignan e Grenache
provenientes de vinhedos de 25 anos, localizados em encostas secas de solos calcários. Sem passagem em barrica e sem filtração. Teor Alcoólico de 12,5%. Um vinho leve para o dia-a-dia. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 46,76, na Mistral.

 

Publicado em: 16/07/2012

De olho no Brasil

 

A partir do próximo dia 30 de julho e até 6 de setembro, a Essência do Vinho Brasil vai percorrer as principais cidades brasileiras promovendo o vinho português.

Trata-se de uma iniciativa organizada pela ViniPortugal que selecionou a empresa especializada na produção de eventos e comunicação enogastrômica para conduzir um plano de formação no Brasil, dirigido a profissionais do setor e a jornalistas.

 Em termos práticos, a Essência do Vinho Brasil vai dirigir 24 sessões de formação sobre os Vinhos de Portugal, para profissionais das áreas "on trade" (restaurantes, bares, hotéis) e "off trade" (supermercados e lojas). A primeira sessão está agendada para o próximo dia 30, no Rio de Janeiro, seguindo-se Niterói, São Paulo, Ribeirão Preto, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Londrina, Brasília, Belo Horizonte, Salvador e Fortaleza. As sessões serão dirigidas por Nuno Pires (foto), diretor da Essência do Vinho Brasil, e Rui Falcão, crítico de vinhos e colaborador da revista WINE-A Essência do Vinho.

Os dois especialistas vão também orientar seis jantares de harmonização com vinhos portugueses, em conceituados restaurantes de Ribeirão Preto, Curitiba, Florianópolis, Brasília, Belo Horizonte e Salvador. Muito focados em jornalistas e líderes de opinião, o objetivo principal destes jantares é o de comprovar a versatilidade de acompanhamento gastronômico que a generalidade dos vinhos portugueses possui.

Portugal é o 4º. maior fornecedor de vinhos para o Brasil, atrás  do Chile, da Argentina e da Itália.

 

 

 

Publicado em: 16/07/2012

Millaman Limited Reserve Cabernet Sauvignon 2008

 

A Hacienda El Condor está localizada em Peteroa, no Vale Curicó, com vinhedos de mais de 70 anos. Em 1946 foi adquirida por José Canepa que em 1998 criou a Viña Millaman (na língua Mapuche significa Condor de Ouro). Possui vinhedos em Casablanca, Maipo, Curicó e Maule. Em 2002 uma nova adega foi construída no mesmo lugar original, com a manutenção das paredes de adobe, com mais de 100 anos, sendo restauradas e preservadas, mantendo-se o estilo colonial chileno da vinícola.

O Millaman Limited Reserve Cabernet Sauvignon 2008 foi elaborado com 86% de Cabernet Sauvignon, 3% de Petit Verdot, 7% de Syrah e 4% de Carmenère, a partir dos vinhedos de Curicó. Passou 14 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um vermelho cereja intenso, com nuances violáceas. Os aromas mostram frutas vermelhas (cereja, ameixa, framboesa), especiarias, chocolate e toques mentolados. Na boca apresenta uma boa estrutura, com taninos maduros e bem integrados. Acidez em equilíbrio. Um longo final com chocolate e menta. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 25,69,na Speciale do Makro de Rio Preto.Excelente custo/qualidade.

 

Publicado em: 16/07/2012

Atilio Avena Reserva Roble Syrah 2010

 

Bodega Atilio Avena é uma empresa familiar que tem suas origens em 1930, quando Don Atilio Avena, filho de imigrantes piemonteses, herda a paixão e o conhecimento de que seus pais passaram na videira. Foi lentamente se espalhando suas culturas de maior produção, mas sempre focada em fornecer produtos que foram reconhecidos por sua qualidade.Está localizada no departamento de Maipu, distrito Russel.Os vinhedos estão localizados em Velha Guarda (Vistalba) com Malbec e Bonarda, The Gates (Luján de Cuyo) com Cabernet Sauvignon, Beltran (Maipu) com Tempranillo e Santa Rosa com Syrah. Hoje a bodega tem no comando a 3ª. Geração, com o trabalho do enólogo Santiago Palero.

O Atilio  Avena Reserva Roble Syrah 2010 foi elaborado com 100% da cepa, produzida em vinhedos de Santa Rosa, em Mendoza,sendo que 90% do vinho passou 5 meses em barricas de carvalho (70% americanas e 30% francesas). Teor Alcoólico de 13,8%. A coloração é de um rubi intenso, com toques violáceos e muito brilho. Os aromas mostram frutas maduras (cereja, framboesa, ameixa), leve baunilha e toques herbáceos. Na boca as sensações frutadas se repetem, num corpo médio, taninos macios e bem integrados. Leve amargor que persiste no final, com baunilha. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 33,59, na Speciale do Makro de Rio Preto.

 

Publicado em: 16/07/2012

Catena em propaganda do Itau

 

Nicolás Catena Zapata é protagonista da nova fase da campanha global  do Itaú: “I am a Global Latin American.” O empresário argentino dono da centenária bodega Catena Zapata, de Mendoza, a principal região vinícola da Argentina, se une a um time que conta com outros grandes nomes latinoamericanos, como a bailarina Paloma Herrera, o estilista da Calvin Klein Francisco Costa, a atriz Alice Braga e o artista plástico Vik Muniz.
“Continuamos com a estratégia de ampliar o reconhecimento da marca Itaú nos mercados onde não temos presença física, com o objetivo de falar diretamente com o investidor estrangeiro sobre a expertise do banco nesse mercado, ajudando assim a atrair ainda mais investimentos e desenvolvimento sustentável para a região”, afirma Fernando Chacon, diretor executivo de Marketing do Itaú Unibanco.
Anúncios, que vão circular em grandes veículos internacionais, levam a assinatura de Bob Wolfenson e mostram Zapata em uma de suas adegas em meio a taças e toneis. Mas dessa vez, Itaú não ficou restrito às peças de mídia impressa e de mídia exterior. A produtora Paranoid fez um documentário sobre a vida de Zapata. O filme de 3 minutos destaca o desejo do empresário de transformar uma empresa familiar num negócio internacional e ainda assim manter as características que fizeram dos vinhos de Zapata se destacarem em todo mundo. Além de romper barreiras e colocar a América Latina em condições de igualdade com outros mercados pelo mundo.
“Temos buscado cada vez mais utilizar diferentes mídias, criando um mix interessante em torno das nossas campanhas. O documentário com Catena Zapata, com bela fotografia e linguagem cinematográfica, é mais uma forma interessante que encontramos para posicionar nossa marca de forma inovadora”, completa Chacon.
A estreia na mídia impressa acontece na revista The Economist. Além disso, em maio o Itaú foi a Nova York e vestiu o MoMA com sua campanha de marketing internacional, para receber cerca de 300 convidados em evento exclusivo com show de Bebel Gilberto. O coquetel aconteceu durante a 7ª edição do Itaú BBA CEO Latam Conference que o banco realizou na Big Apple reunindo CEOs de grandes empresas latinoamericanas e investidores americanos.

Fonte: adNews

 

Publicado em: 15/07/2012

La Cacciatora Pinot Grigio Veneto 2010

 

O La Cacciatora Pinot Grigio Veneto 2010 foi elaborado com 100% da cepa. Teor Alcoólico de 12%. A coloração é de um amarelo com tons dourados, muito brilhante. Os aromas, sem muita intensidade,  mostram frutas brancas (maçã verde, pêra, lichia), frutas cítricas,toques florais e algo de mineral. Na boca as sensações do olfato se repetem, com baixa acidez, o que torna o vinho chato. Final levemente floral. Avaliação: 82 Pontos. Preço: R$ 18,49, na Speciale Makro de Rio Preto.

Publicado em: 15/07/2012

Encontro Mistral (2)

 

Muitas personalidades do mundo do vinho, que já se fizeram presentes em edições anteriores, retornam para o 6º Encontro Mistral Assim,. do Velho Mundo retornam ao evento, como os portugueses Carlos Campolargo, que inaugurou a vinícola Campolargo em 2000 e já foi eleito duas vezes Produtor do Ano” (pela revista Wine e Revista de Vinhos), o genial Luis Pato, “revolucionário da Bairrada” que não para de se reinventar, e Francisco Olazabal, da Quinta do Vale Meão, produtor do tinto português mais pontuado na história da Wine Spectator.

 

Da Itália, reencontraremos Paolo Coppo, proprietário da centenária Coppo, a “rainha” do Barbera, Mario Cordero, da Vietti, uma das primeiras famílias do Piemonte a elaborar Baroli e Barbareschi com uvas de um único vinhedo, Marco Pallanti, da Castello di Ama, ícone de Chianti Classico e o produtor italiano que mais tem impressionado Robert Parker nos últimos anos, e a brasileira Noemia D'Amico, que comanda a D’Amico, uma das emergentes propriedades da região de Lazio.

 

Da Espanha, Miquelangel Cerdá, da Ánima Negra, que desenvolve “cult wines” em minúsculas quantidades na ilha de Mallorca, e Christopher Cannan, das bodegas Clos Figueras, Clos Mogador e Celler Laurona, responsáveis por colocar a hoje cultuada região do Priorato no mapa do vinho. E da França, Pascal Jolivet, um dos novos personagens do Vale do Loire, e Patrick Peyrelongue, da Maison Delamain, um dos mais antigos e reputados nomes em Cognac.

 

Também estão de volta ao Encontro Mistral diversas estrelas do Novo Mundo, como o sul-africano Marc Kent, da Boekenhoutskloof, a Vinícola do Ano 2012” pelo respeitado guia Platter’s South African Wines. Da América do Sul, Laura Catena, da Catena Zapata, filha do visionário Nicolás Catena, maior nome da Argentina e primeiro sul-americano escolhido “Homem do Ano” pela Decanter, em 2009, e Daniel Pisano (foto), da Pisano, melhor produtor do Uruguai pela crítica Jancis Robinson e por Steven Spurrier, que elegeu o seu Etxe Oneko Tannat, como o “Melhor Vinho Doce”. Do Brasil, encontraremos novamente Luis Henrique Zanini, proprietário e enólogo da Vallontano, que elabora vinhos finos, elegantes e com identidade própria.

 

 

Publicado em: 15/07/2012

Encontro Mistral (1)

 

Começa amanhã e vai até quarta-feira, no Grand Hyatt Hotel,em São Paulo, a 6ª. Edição do Encontro Mistral, o maior evento do gênero no Brasil. No comando Ciro Lilla (foto do último Encontro), que fala sobre o Encontro. “Estarão presentes diversos rótulos estrelados, recebedores de muitos elogios e altas notas da crítica especializada, como os Champagnes Bollinger Grande Année Vintage 2002, um dos "melhores vinhos do mundo" para Robert Parker, com 94 pontos da Wine Spectator (safra 1999), e Pol Roger Cuvée Winston Churchill 1999, lançado em 1984 em homenagem a Sir Winston Churchill.

Entre os vinhos da Bourgogne, está o Charmes-Chambertin Grand Cru 2008, (Joseph Drouhin) e o Cuvée L’Or de Parigot Brut (Parigot), um magnífico espumante rosé com flocos de ouro de 24 quilates, e de Bordeaux, o Château Kirwan 2007, o Château Cos d’Estournel 2004 e o Château La Lagune 2008.

Da tradicional Toscana, serão servidos vinhos prestigiados, como Brunello di Montalcino DOCG 2007 (Biondi Santi), o Schidione IGT 2001 (Castello di Montepò), o Vigna L’Apparita Merlot 2008 (Castello di Ama) e o Chianti Classico Rancia Riserva 2007 (Fèlsina).

Há ainda o excepcional Pesquera Janus Gran Reserva 2003, da Ribeira del Duero, o cultuado e disputadíssimo argentino Angelica Zapata Malbec 1995 (Catena Zapata) e o vinho de sobremesa austríaco Cuvée Eiswein 2009 (Alois Kracher)”.

 

O público também poderá provar muitas novidades no evento, como os portugueses Quinta da Pellada Primus 2010, Altano Reserva Quinta do Ataíde 2008 e Tapada de Coelheiros Petit Verdot 06 (Herdade de Coelheiros), e os espanhóis Plic Plic Plic 2009 (Ánima Negra), Finca Montepedroso Verdejo 2011 (Martinez Bujanda) e Trasnocho 2006 (Remirez de Ganuza). Da América do Sul, tem os novos Vallontano Espumante Extra Brut Luis H. Zanini 2010, Outer Limits Pinot Noir 2010 (Viña Montes) e Altos Las Hormigas Malbec Single Vineyard 2006.

 

Publicado em: 15/07/2012

Larentis Merlot Reserva Especial 2005

 

OLarentis Reserva Especial Merlot 2005 foi elaborado com 100% da casta, produzida em vinhedos próprios no Vale dos Vinhedos,  com passagem por carvalho. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é vermelho rubi, com bordas alaranjadas, evidenciando a evolução do vinho e muito brilho. Os aromas são marcantes, com frutas vermelhas maduras (amora, framboesa, ameixa), frutas passificadas, toques florais e leve tostado. Na boca mostra um bom volume, com os taninos macios e bem integrados à fruta. Acidez equilibrada. Um longo final frutado, com toque de especiarias. Boa evolução em relação a degustações anteriores. Avaliação: 89 Pontos. Acompanhou Codeguim assado e se deu bem!

Publicado em: 14/07/2012

Degustando Penfolds

 

Participamos, ontem,na Bekaa Delicatessen, da apresentação de vinhos da Penfolds, tradicional produtora da Austrália. Vamos a um pouco da empresa e os comentários a respeito dos vinhos degustados.

Em 1844 o médico inglês Christopher Rawson Penfold e sua esposa Mary Penfold compraram a Magill Estate em Adelaide, propriedade com 500 hectares. Nasce então a vinícola Penfolds. Inicialmente plantada com a cepa Grenache, seus vinhos eram prescritos como remédio para pacientes com anemia. O estilo Penfolds é a produção de vinhos ricos e generosos, com fruta madura abundante, com influência correta da madeira e taninos redondos. São mais de 2500 hectares de vinhedos próprios espalhados pelas principais regiões vitivinícolas. Graças a esta diversidade de 'terroirs' a Penfolds consegue criar cortes únicos. Clare Valley 145 hectares com Chardonnay, Riesling, Merlot, Shiraz e Cabernet Sauvignon; Barossa Valley Localizado a 45 milhas da cidade de Adelaide. É a casa do vinhedo Koonunga Hills; Magill (Adelaide); Mclaren Valley situado ao sul de Adelaide e produz Shiraz e Cabernet Sauvignon; Coonawarra Na lingua aborígena significa 'Madressilva'. Localizado a 250 milhas de Adelaide ,produz Shiraz e Cabernet Sauvignon usadas na linha'BIN'.

Hoje os vinhos Penfolds apresentam no mercado uma grande diversidade em qualidade e preços: Grange, Clarete Canawarra, Block 42, Bin 60, Bin 620, Celler Reserve, Bin Range (10 varietais e um Riesling envelhecido), Hyland, Koonunga Hill, Rawson’s Retreat, Club Reserva  e Grandfather.  Degustamos Koonunga Hill e Rawson’s Retreat. Vamos a eles.

01 – Penfolds Koonunga Hill Chardonnay 2011 – elaborado com 100% da cepa, produzida em vinhedos de diversas regiões do Sul da Austrália, sendo que parcela dele permaneceu por 8 meses em carvalho. Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de um amarelo palha muito brilhante. Os aromas mostram frutas cítricas, pêssego, melão, toques florais e um leve amendoado. Na boca apresenta um corpo leve, com textura cremosa e um final frutado. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 88,80.

02 – Penfolds Rawson’s Retreat Cabernet Sauvignon 2011 – elaborado com 100% da cepa a partir de uvas provenientes de diferentes vinhedos do Sudeste da Austrália, sendo que parcela do vinho passou por carvalho novo e de segundo uso. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi intenso, com reflexos violáceos. Os aromas mostram frutas negras (amora, mirtilo), especiarias, toques tostados e mentolados. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos macios e bem integrados, leve adstrigência e amargor. Um final frutado, permanecendo o toque amargo. Avaliação: 86 Pontos. Preço: $ 74,60. O nome Rawson é uma referência para a casa de pedra construída em 1845 pelo Dr. Christopher Rawson Penfold.

03 – Penfolds Koonunga Hill Cabernet Merlot 2010 – elaborado com 74% de Cabernet Sauvignon e 26% de Merlot, a partir de uvas procedentes de diversos vinhedos do Sul da Australia. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi intenso, com bordas mais claras. Os aromas mostram ameixa, groselha, cereja, framboesa, especiarias e toque achocolatado. Na boca as sensações olfativas se repetem, num bom corpo, taninos macios e bem integrados. Leve amargor, que persiste no final. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 88,80.

04 – Penfolds Koonunga Hill Shiraz 2010 – elaborado com 100% da cepa, a partir de uvas procedentes de diversos vinhedos, com passagem por barricas pequenas de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas mostram cereja, framboesa, toque de pimenta, algo de herbáceo e chocolate. Na boca apresenta um bom corpo, com sensação tâmica e leve amargor. Um bom final frutado com chocolate, Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 88,80.

05 - Penfolds Koonunga Shiraz Cabernet 2010 – elaborado com 60% de Shiraz e 40% de Cabernet Sauvignon, a partir de uvas de vários vinhedos do Sul da Australia e passagem de 10 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um intenso rubi, com muito brilho. Os aromas mostram cereja, mírtilo, cassis, toques de pimenta, baunilha, alcaçuz e leve mentolado. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos equilibrados e bem integrados. Final frutado com toques de baunilha. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 88,80.

 

Publicado em: 13/07/2012

No Encontro Mistral

 

A importadora Mistral traz ao Brasil mais de 90 consagrados produtores de vinho para o Encontro Mistral 2012. Criado em 2003 e realizado a cada dois anos, o evento chega a sua 6ª edição como um dos mais respeitados do mundo do vinho. Em São Paulo, acontece nos dias 16, 17 e 18 de julho, no hotel Grand Hyatt, e no Rio de Janeiro, dia 19 de julho, no Sofitel Copacabana.

Estarão presentes prestigiadas vinícolas de 15 países, representadas, na maioria, por seus proprietários ou enólogos, servindo ao público cerca de 585 dos seus melhores rótulos. “Muitos destes produtores não costumam participar nem dos principais eventos de vinhos na Europa. Vê-los juntos no Brasil, apresentando pessoalmente seus vinhos e conversando com nossos clientes, é uma grande satisfação”, diz Ciro Lilla, presidente da Mistral.

Algumas das maiores celebridades do vinho participam do Encontro Mistral pela primeira vez. Entre eles, Serge Hochar (foto), do libanês Château Musar, que foi eleito em 1984 o primeiro "Man of the Year" da revista Decanter, Hubert de Billy, da Pol Roger, produtora de excepcionais Champagnes safrados que foram servidos até no casamento do príncipe William e Kate Middleton, o talentoso e irreverente Dirk Niepoort, que inspirou toda a nova geração de enólogos do Douro e impulsionou os “Douro Boys”, o californiano Paul Hobbs e o espanhol Fernando Remírez de Ganuza, ambos recebedores da mítica nota 100 de Robert Parker.

 

 

Publicado em: 12/07/2012

Taurino de Chile Reserva Merlot 2009

  

A Agricola Santa Cristina está localizada no Valle de Rapel, Roncagua. Produz as linhas São José de Apalta, Alicanto, Tierra Nueva e Taurino. O Taurino de Chile Reserva Merlot 2009 foi elaborado com 100% da cepa, com 70% passando 12 meses em barricas de carvalho de 225 litros. Teor Alcoólico de 14,5% A coloração é de um rubi intenso com muito brilho. Os aromas mostram frutas maduras (amora, ameixa), chocolate e toques de café torrado e de canela. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos macios e bem integrados. Um bom final com leve madeira e café. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 17,89, na Speciale do Makro de Rio Preto. Um excelente custo/qualidade.

Publicado em: 12/07/2012

Terramater Limited Reserve Sangiovese 2008

 

Terramater Limited Reserve Sangiovese 2008 foi elaborado com 100% da cepa, a partir de uvas dos vinhedos Fundo Caperana, da Isla de Maipo. Passou 12 meses por carvalho de 1º. e 2º. usos, sendo 90% francês e 10% americano. Sem filtração.  Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um púrpura intenso e profundo, com ótimo brilho. Os aromas são complexos, com frutas vermelhas maduras (ameixa, framboesa, amora), frutas passificadas, especiarias, toques de alcaçuz e de madeira. Na boca mostra um bom corpo, com taninos secos e integrados e acidez presente. Rusticidade típica da casta, lembrando os Toscanos. Ótimo final, com chocolate se mostrando. Evoluiu bem em relação a avaliação anterior.Um excelente custo/qualidade. Avaliação: 88 Pontos. Preço:  R$22,19, na  Speciale do Makro de Rio Preto.

Publicado em: 12/07/2012

Salton 100 Anos 2008

 

O Salton 100 Anos 2008 foi elaborado com 50% de Cabernet Sauvignon, 40% de Merlot e 10% Cabernet Franc. Passou 16 meses em carvalho novo. Teor Alcoólico de 13%. Foram elaboradas 13 mil garrafas.Esta é de número 03698. A coloração é de um rubi escuro, com muito brilho. Os aromas são complexos aparecendo muita fruta madura e passificada, chocolate, café torrado, especiarias e uma madeira marcante. Na boca as sensações olfativas se repetem mostrando um  vinho de muito corpo, com taninos macios bem integrados às frutas e a madeira. Longa persistência com muita fruta e tostado. Ótima evolução em relação a última avaliação.Deve  evoluir ainda mais, embora já esteja pronto. Sem dúvida, um marco positivo da Salton. Avaliação: 90 Pontos. Preço: R$ 100,00, no varejo da vinícola.Importante: degustado assistindo ao Parmera conquistar a Copa do Brasil!

Publicado em: 11/07/2012

Os dourados no Concurso Mundial de Bruxelas - Brasil

 

Florianópolis recebeu, no Costão do Santinho,  o 9º. Concurso Mundial de Bruxelas (Vinhos Finos e Destilados do Brasil), considerado o maior concurso de vinhos e destilados do mundo, realizado sempre em uma cidade européia. O diretor do concurso de Bruxelas, Baudouin Havaux, há 10 anos apostou no potencial dos produtos brasileiros no mercado externo e trouxe para o país a versão brasileira do concurso. Confira a lista dos premiados com Grande Medalha de Ouro e Medalha de Ouro.

 

Grande Medalha de Ouro

Quinta Don Bonifácio Rosé Demi Sec (Quinta Don Bonifácio)

Anima Vitis 2005 (Boscato)

Kranz Cabernet Sauvignon 2009 (Vinícola Kranz)

Icewine Pericò Rosé Licoroso 2009 (Vinícola Pericó)

Dezem Atmo Cabernet Sauvignon 2005 (Dezem Vinhos Finos)

Casa Valduga Leopoldina Gran Chardonnay (Casa Valduga)

Marcus James Espumante Brut (Cooperativa Vinícola Aurora)

Basaltino Pinot Noir 2011 (Vinícola Pericó)

Suzin Cabernet Sauvignon 2008 (Suzin)

 

Medalhas de Ouro

Kranz Cabernet Sauvignon 2008 (Vinícola Kranz)

Boscato Pinot Noir 2010 (Vinícola Boscato)

Cave Antiga Espumante Moscatel 2012 (Cave Antiga)

Miolo Cuvée Giuseppe Merlot-Cabernet Sauvignon 2010 (Vinícola Miolo)

Marco Luigi Grande Reserva Cabernet Sauvignon 2006 (Vinicola Marco Luigi)

Salton Flowers Demi sec (Vinhos Salton)

Quinta da Neve Sauvignon Blanc 2011 (Quinta da Neve Vinhos)

Quinta da Neve Cabernet Sauvignon – Merlot 2010 (Quinta da Neve Vinhos)

Cave Pericó Brut (Vinícola Pericó)

Cave Antiga Brut Chardonnay 2011 (Cave Antiga)

Casa Valduga Leopoldina Premium Merlot 2010 (Casa Valduga)

Núbio Sauvignon Blanc 2011 (Sanjo)

RAR Collezione Pinot Noir 2011 (Vinícola Miolo)

Peruzzo Extra Brut Champenoise (Vinícola Peruzzo)

Quinta Don Bonifácio Brut (Quinta Don Bonifácio)

Maestrale Rosé Brut 2008 (Sanjo)

Dunamis Cabernet Franc 2011 (Dunamis)

Quinta da Neve Pinot Noir 2010 (Quinta da Neve)

Salton Volpi Merlot 2008 (Vinhos Salton)

Toril Cabernet Sauvignon 2008 (Vinícola Hiragami)

Kranz Sauvignon Blanc 2011 (Vinícola Kranz)

Casa Venturini Tannat Reserva 2009 (Vinícola Góes e Venturini)

Miolo Reserva Tempranillo 2011 (Vinícola Miolo)

Salton Talento 2007 (Vinhos Salton)

 

Publicado em: 11/07/2012

Museu do vinho e do pão

 

Onze anos depois do inicio do projeto, o Museu de Favaios, em Alijó, no Douro, será inaugurado no próximo sábado, fazendo uma homenagem aos principais produtos deste território: o pão e o vinho moscatel.

E é uma representação destas duas principais atividades econômicas e culturais locais que se vai poder ver no museu.

Depois da recepção, numa primeira sala de exposições, o protagonista é o vinho e a casta que está na sua origem: a Moscatel Galego, fazendo referência ao solo, aos cheiros e cores do favaios.

Depois, numa segunda sala, as atenções  estão voltadas para o pão, desde o cereal, à moagem e ao amassar deste produto. Pela vila, espalham-se 10 padarias.Esta instalação contou com a ajuda das padeiras desta região.

Numa terceira sala, um ecrã táctil revela informações com o patrimônio e os monumentos locais.

"Queremos que este museu seja a porta de entrada para uma visita a toda a vila e concelho", frisou Artur Cascarejo, presidente da Câmara de Alijó.

 

Publicado em: 11/07/2012

Santa Angelica Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2007

 

Viña Ravanal é uma das mais antigas do Vale de Colchagua. Foi fundada em 1936, por Don Teodoro Ravanal, e hoje está nas mãos do filho Mario e dos netos Pia e Mario Sebastian. Possui vinhedos próprios em Placilla e San Jose de Manantiales, onde estão vinhedos com mais de 100 anos. O  Santa Angelica Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2007 foi elaborado com 100% da cepa, com  passagem  de 14 meses em barricas de carvalho francês e americano. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração  é de um rubi intenso com bom brilho e boa transparência. Os aromas mostram muita fruta,  especiarias, tabaco, baunilha  e toque herbáceo. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios,  bem integrados e leve adstrigência. Um bom final frutado com baunilha e tostado. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 26,19, no Makro Speciale de Rio Preto. Um excelente custo/qualidade.

Publicado em: 10/07/2012

Descorchados 2012

 

O tradicional guia Descorchados está no mercado. Mostra-se prático, completo, objetivo e traz notas de degustações, harmonizações e apresentação de vinícolas e regiões produtoras do Chile e da Argentina.

 Na edição  de 2012 as degustações foram feitas em dois formatos distintos: primeiro juntamente com os enólogos responsáveis pelos vinhos, possibilitando a avaliação e troca de informações durante as degustações.Depois os melhores vinhos, com maior pontuação, foram degustados novamente, porém no sistema antigo, às cegas.

Foram provados mais de 3.000 rótulos e visitadas cerca de 250 vinícolas chilenas e argentinas.

“Ter a informação de primeira mão dos responsáveis pelos vinhos latino-americanos é uma experiência tremenda que te deixa a par do que acontece, que te mantém alerta às novidades, às experimentações, às tendências, às descobertas e que, no melhor dos casos, te permite entender o que se passa em algumas das mentes mais brilhantes da enologia deste lado do planeta”, resume Patrício Tapia (foto).

 

Publicado em: 10/07/2012

La Cacciatora Nero D'Avola Sicilia 2010

 

La Cacciatora Nero D’Avola Sicilia 2010 foi elaborado com 100% da cepa, a partir de uvas da Província de Agrigento. Teor Alcoólico de 12%. A coloração é de um rubi vivo, com reflexos violáceos e muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas (cereja, framboesa), leve especiarias e toques herbáceos. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos leves e bem integrados, com leve amargor. Um bom final, com frutado presente. Avaliação: 84 Pontos. Preço: R$ 13,69, no Makro Speciale de Rio Preto. Um ótimo custo/qualidade, para o dia-a-dia.

Publicado em: 10/07/2012

Los Vascos Sauvignon Blanc 2010

 

Viña Los Vascos foi fundada no começo da década de 80 exclusivamente para a exportação de vinhos finos. Porém, como propriedade vinícola, existe há mais de 200 anos. Em 1988 Gilbert Rokvam, que na época era Diretor Técnico do Chateau Lafite, viajou ao Chile com a incumbência de encontrar um lugar para criar um vinho com as melhores características de qualidade. Depois de visitar mais de 30 propriedades diferentes em todo o país, a prestigiada marca francesa se associou com a família Eyzaguirre, com a intenção de criar o melhor vinho que aquela terra pudesse produzir ”um vinho chileno, mas com toque francês”.Os vinhedos cobrem aproximadamente 650 hectares, possuem 35 anos em média (os mais antigos têm cerca de 60 anos e os mais jovens foram plantados em 1998)  e estão localizados no Vale Cañeben, Colchagua. O Los Vascos Sauvignon Blanc 2010 foi elaborado com 100% da cepa, a partir de uvas de Casablanca (maior parte), Colchagua e Leyda. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é amarelo palha com reflexos verdeais. Os aromas mostram frutas cítricas, maçã verde, pêssego, lichia e notas vegetais. Na boca apresenta-se com acidez equilibrada, repetindo as sensações frutadas do olfato. Curto final com cítricos aparentes. Avaliação: 84 Pontos.

 

 

Publicado em: 10/07/2012

Lançamento de Penfolds na Bekaa

 

Publicado em: 09/07/2012

É argentina a nova presidente da OIV

 

Pela primeira vez na história uma mulher assume a presidência da Organização Internacional da Uva, a maior entidade internacional da atividade da viticultura e do Vinho (OIV). Mais do que isso, pela primeira vez o cargo é ocupado por um profissional da América Latina: Claudia Quini. Ela é professora de análise sensorial de vinhos da Universidade de Mendoza, ocupando também a presidência da Comissão Oficial da Degustação da Argentina e a gerência do Instituto Nacional de Vitivinicultura da Argentina, onde construiu uma trajetória de 28 anos.

A presidente entende que ampliar as representações junto à OIV seja um de seus desafios. A intenção é atuar com uma dinâmica de trabalho diferente, que ajude a aumentar o consumo de vinhos no mundo, além de inserir países produtores emergentes como a Bolívia, por exemplo, na organização. “Ampliar a mesa da OIV é um desafio que certamente facilitará o comércio, as relações e a competitividade”, destaca. Na lista de Claudia também aparece os Estados Unidos e a China, esta já prevendo uma incorporação gradual. “Sei que não será fácil e que isso também depende do interesse do setor de cada país, mas estaremos atuantes nesse sentido”, garante.

Outra medida da nova presidente será trabalhar na promoção de vinhos mais jovens e ligeiros. O objetivo é atrair o público mais jovem.

Quini esteve em Bento Gonçalves participando do 6o. Concurso Internacional de Vinhos do Brasil.

Publicado em: 09/07/2012

No espaço

 

Um projeto que irá testar o processo de fermentação do vinho em micro-gravidade está em desenvolvimento na Estação Espacial Internacional. Ele foi idealizado pelos estudantes Max Holden, de 15 anos, e a colega Paige D’Andrea, de 14 anos,do  Chaminade College, em West Hills, na Califórnia.

O projeto foi enviado numa cápsula e o que se pretende saber é como a gravidade – ou a falta dela – afeta a velocidade de fermentação do vinho. Enquanto isso, na terra, a idéia é fazer o mesmo processo de forma a comparar as duas amostras de vinho. «Achamos que o vinho irá fermentar mais rápido», afirmou Max Holden, um dos estudantes responsável pelo projeto. «Além disso, vamos medir o teor alcoólico, entre outras coisas», rematou.

 

Publicado em: 09/07/2012

Os Dourados do Concuso Internacional do Brasil

 

Bento Gonçalves recebeu, no período de 3 a 6 de julho, o VI Concurso Internacional de Vinhos do Brasil. O evento reuniu 503 amostras de 17 países que foram avaliadas por um júri formado por 45 degustadores de 11 nacionalidades.Os Estados Unidos e a República Eslováquia foram os únicos países a conquistar uma Medalha Grande Ouro, prêmio conferido a quem atinge 93 ou mais pontos. O concurso premiou, ainda, 61 produtos com Medalha de Ouro e 85 com Medalha de Prata. Vamos aos premiados com Medalha de Ouro. 

ALEMANHA

Weingut Anselmann Anselmann Riesling Sekt Brut 2009

ARGENTINA

B y B SRL de Carlos A. Balmaceda Arroba Carlos Balmaceda Malbec 2009

Bodega Zemlia Zemlia Cabernet Sauvignon 2010

Bournett S.A Bournett Cabernet Sauvignon IG 2011

Viñedos de La Patagonia Malma Colecion Malbec 2009

Vinícola Geisse Ltda El Sueño Malbec 2007

ÁUSTRIA

Erich Scheiblhofer Jois 2010

Erich Scheiblhofer Perfection Merlot 2010

BRASIL

Chesini Gran Vin 2005

Monte Paschoal Virtus Cabernet Sauvignon 2011

Monte Paschoal Frisante N/S

Monte Paschoal Espumante Moscatel N/S

Boscato Touriga Nacional 2010

Ouro Negro Reserva Merlot 2005

Calza Espumante Tradicional Brut N/S

Gran Fabian 2005

Casa Geraldo Espumante Moscatel N/S

Casa Valduga Arte Tradicional Espumante Brut 2010

Decima Gran Reserva Tannat 2005

Cordon D’or Espumante Brut N/S

Giuseppe Garibaldi Espumante Brut 2012

Santa Colina Estilo Chardonnay 2011

Castellamare Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2011

Castellamare Chardonnay 2012

Dezem Tempranillo 2008

Pizzato Espumante Tradicional Brut 2010

Matiz Cabernet Sauvignon 2011

Espumante Moscatel N/S

DC Dom Cândido Merlot 2009

Bueno Cuvée Prestige 2009

Cave Amadeu Espumante Brut Rosé N/S

Kranz Cabernet Sauvignon 2009

Maximo Boschi Espumante Brut Speciale 2007

Maximo Boschi Espumante Tradizionale Brut 2009

Miolo Cuvée Tradition Brut 2010

Terranova Espumante Brut Rosé N/S

Casa Pedrucci Espumante Tradicional 18 Meses N/S

Casa Perini Tannat 2010

Perini Fração Única Merlot 2010

Salton Volpi Cabernet Sauvignon 2009

Zanella Espumante Brut N/S

Gran Legado Espumante Champenoise Brut N/S

CHILE

Yali Gran Reserva Syrah 2008

LFE 900 Bieno 2009

Luis Felipe Edwards Reserva Carmenère 2011

El Sueño Cabernet Sauvignon 2008

ESTADOS UNIDOS

Wente Riva Ranch Chardonnay 2008 Grande Ouro

FRANÇA

La Forge Viognier 2010

Antoine Moueix 2009

PORTUGAL

Casa Ermelinda Freitas Petit Verdot 2010

Adega de Pegões Colheita Selecionada Branco 2011

Magna Carta 2008

Quinta de Lemos Touriga Nacional 2007

Quinta de Lemos Dona Georgina 2007

REPÚBLICA ESLOVÁQUIA

J e J Ostrozovic Tokaj 5 Putnovy 2004 Grande Ouro

VMD Veltlínke Zelené 2010

Pol’nohospodarske Druzstro Vajnory Feteasca Regala 2011

URUGUAI

Antigua Bodega Stagnari OsirisTannat 2006

Antigua Bodega Stagnari Finitezza Tannat 2009

Antigua Bodega Stagnari Cantharus Tannat 2009

Bertolini & Brogolio Tannat Premium 2011

Pizzorno Tannat Reserva 2010

 

 

Publicado em: 09/07/2012

Porto aumenta produção

 

 

A Região Demarcada do Douro (RDD) vai transformar em vinho do Porto 96.500 pipas  (550 litros cada)em 2012, mais 11.500 do que na vindima anterior, conforme fixou o conselho interprofissional do IVDP.

 O presidente do IVDP, Manuel de Novaes Cabral(foto), afirmou que se trata de um aumento significativo em relação ao ano passado, ou seja, mais 11.500 pipas.

Em dez anos, o benefício foi reduzido em 45 por cento, de 145 mil pipas em 2001 para as 85 mil em 2011. A redução entre 2010 e o ano passado atingiu as 25 mil pipas. Nesta década, o vinho do Porto perdeu 12 milhões de garrafas, correspondendo a uma perda de valor de 37 milhões de Euros.

 

Publicado em: 09/07/2012

Viñestral Rioja 2009

 

O Viñestral Rioja 2009 foi elaborado com 50% de Tempranillo e 50% de Garnache, com passagem de 12 meses em carvalho. Teor Alcoólico de 13,4%. A coloração é de um rubi brilhante e translúcido. Os aromas apresentam frutas negras toques de especiarias e baunilha. Na boca mostra um corpo médio, repetindo as sensações olfativas, evidenciando-se goiaba,  com taninos um pouco rascantes, porém bem integrados. Bom final com frutado e baunilha. Avaliação: 84 Pontos. Preço: R$ 14,69, no Makro Speciale de Rio Preto. Um ótimo custo/qualidade.

Publicado em: 09/07/2012

Villa Rògole Sangiovese Maremma Piemonte 2009

 

OVilla Rògole Sangiovese Maremma Toscana 2009 foi elaborado com 100% de Sangiovese. No rótulo a indicação de engarrafado pela C.V.Z. (Casa Vinícola Zonin), não havendo nenhuma referência ao produtor. Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de um rubi intenso, com halos mais claros  e brilhante. Os aromas mostram muita fruta vermelha, especialmente framboesa, cereja e morango, frutas passificadas, toque floral e herbáceo. Na boca apresenta um corpo médio, repetindo as sensações olfativas, com taninos tênues. Leve adocicado. Médio final frutado. Avaliação: 85 Pontos. Preço: R$ 31,00, na Bekaa Delicatessen de São José do Rio Preto.

Publicado em: 09/07/2012

La Cacciatora Piemonte Barbera 2010

 

A Casa Vinicola Caldirola nasceu em 1897 como uma taberna,em Contra Brianza. Nos anos 60, Gaetano Caldirola assumiu o comando e a produção de 8 linhas diferentes de vinhos, dentre elas a linha Cacciatora. O Cacciatora Piemonte Barbera 2010 foi elaborado com 100% da casta, sem passagem por carvalho. Teor Alcoólico de 11,5%. A coloração é de um rubi claro, com reflexos violáceos e muito brilho. Os aromas são frutados (framboesa, morango, cereja), com leve especiarias e algo de balsâmico. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos macios e bem integrado. Acidez pontual e leve adocicado. Um final frutado. Avaliação: 84 Pontos. Preço: R$ 13,69, no Makro Speciale.

Publicado em: 07/07/2012

Regulamentação para os vinhos artesanais

 

A legalização da produção artesanal de vinho está mais próxima. Uma proposta consensual será concluída no início de agosto para gerar um projeto de lei substitutivo, reunindo o entendimento obtido entre as lideranças do setor vitivinícola brasileiro e os deputados Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e Pepe Vargas (PT-RS), hoje ministro do Desenvolvimento Agrário, autores de dois projetos sobre o assunto. A decisão foi tomada nesta sexta-feira (6), em audiência pública da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados, no auditório da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves (RS), sob a coordenação do deputado federal Alceu Moreira (PMDB-RS), relator dos dois projetos de lei (PL 3183/2012, de Onyx Lorenzoni; e o PL 2693/2011, de Pepe Vargas).
O caminho escolhido para legalizar a produção artesanal de vinho é enquadrar os pequenos viticultores nas regras da agricultura familiar. Assim, estariam isentos de impostos, como o ICMS, os produtores de uva, vinho e derivados, com produção limitada às regras da agricultura familiar, uso de 100% de matéria-prima própria, área de até quatro módulos rurais e faturamento bruto anual de 15 mil UPFs (cerca de R$ 196 mil, pelo UPF-RS) com toda a atividade produtiva rural.
Quem estiver enquadrado nestas regras poderá comercializar o vinho artesanal ou colonial exclusivamente na sua propriedade ou então em feiras de agricultores familiares realizadas dentro do seu Estado. As limitações a este produtor – que não precisa registrar empresa para não perder a condição de segurado especial do INSS – será não vender seus produtos a estabelecimentos comercias como armazéns e restaurantes. Sua venda deverá ser exclusivamente ao consumidor final.

Publicado em: 07/07/2012

Peller Estates Icewine Cabernet Franc 2008

 

O Peller Estates Icewine Cabernet Franc 2008 foi elaborado com 100% da cepa, fermentado e envelhecido em tonéis de inox. Teor Alcoólico de 11%, com 208 g/l de açúcar residual. A coloração é de um vermelho cereja, com muito brilho e transparência. Os aromas são complexos, com muita fruta vermelha, especiarias e mel. Na boca há uma explosão do frutado e de especiarias e um delicado complexo adocicado, com uma persistência de limão fresco. Um vinho muito agradável. Avaliação: 88 Pontos. Foi trazido pelo Osvaldir Filho, em sua recente viagem ao Canadá. Valeu!

Publicado em: 07/07/2012

Ventisquero Grey Merlot (Glacier) 2009

 

O Ventisquero Grey Merlot (Glacier) 2009 foi elaborado com 85% de Merlot, 10% de Carmenère e 5% de Syrah, a partir de uvas do Vale Colchagua, tendo permanecido por 10 meses em barricas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi intenso, com halos violáceos, muito brilho e transparência. Os aromas  mostram cereja, framboesa, ameixa, especiarias, tabaco e baunilha. Na boca mostra um corpo médio, com taninos macios e bem integrados às frutas e em perfeito equilíbrio com o álcool. Leve adstrigência. Um bom final, com frutado e baunilha. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 99,00, na Bekaa Delicatessen.

Publicado em: 07/07/2012

Ventisquero Grey Chardonnay (Glacier) 2010

 

O Ventisquero Grey Chardonnay (Glacier) 2010 foi elaborado com 100% da cepa, produzida em Casablanca, sendo fermentado em barricas de carvalho francês de 228 (50% de primeiro uso e 50% de segundo uso), onde permaneceu 10 meses, com batônnage, para maximizar o contato e o aporte de borras finas. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração mostra um amarelo claro, com tons dourados. Os aromas apresentam frutas cítricas, mamão, manga, abacaxi e um toque de baunilha. Na boca as sensações olfativas se repetem, com untuosidade, e uma acidez equilibrada. Longo final frutado e com frescor. Avaliação: 88 Pontos. Preço: R$ 99,00, na Bekaa Delicatessen.

Publicado em: 06/07/2012

Trinta anos de Porto Vintage

 

  • Aproveitando os  100 Pontos atribuídos a um Porto Vintage, o 1963,  por Parker, vamos aos Vintage dos últimos 30 anos, conforme o catálogo do  Instituto do Vinho do Porto
  • 2007 - Meses de Novembro e Fevereiro especialmente chuvosos, tendo voltado a ocorrer precipitação acima da média em Maio e sobretudo em Junho, principalmente no Douro Superior. Entre Maio e Agosto as temperaturas foram abaixo das médias, em particular no Douro Superior. Apesar de o ano vitícola ter principiado com doenças na vinha, as temperaturas amenas de Agosto e um Setembro seco e quente permitiram obter uvas equilibradas. Vinhos de excelente qualidade, elegantes, finos com estrutura e taninos aveludados. Maior declaração de Vintage até à data.
  • 2003 - Inverno normal e chuvoso. Primavera seca. Temperaturas normais para a época excepto o final de Julho e inicio de Agosto (45º durante o dia e 30º à noite). Temperaturas anormalmente altas durante a vindima. Vinhos encorpados com taninos que lhes conferem bom potencial de envelhecimento. Qualidade excepcional.
  • 2000 - Inverno seco, com menos 15/40% de chuva. Fevereiro e Março quentes, chuva em Abril e Maio. Alguma chuva de Junho a Agosto. Maturação lenta: vindima atrasada duas semanas. Temperatura em Setembro a rondar os 40º. Vinhos de excelente qualidade, concentrados e apelativos desde novos, fruta muito evidente.
  • 1997- Ano atípico. Inverno seco caracterizado por um mês de Fevereiro quente. Primavera chuvosa e o mês de Maio frio. Verão longo, quente e seco. Vinhos ricos em taninos, sendo alguns de excelente qualidade.
  • 1994 - Um Vintage «monumental», ainda mais intenso que o de 1992, com concentração de taninos e fruto. Segundo escreveu James Suckling, na revista americana Wine Spectator que, em 1997, atribuiu a classificação máxima (100 pontos) aos Vintage da Taylor e da Fonseca, e o primeiro lugar entre os cem melhores vinhos do ano, «Grandes Vintage Ports como os deste ano acontecem poucas vezes numa vida inteira». Declaração geral. Tempo excelente, vindimas em condições ideais, com uvas perfeitas.
  • 1992 - Vintage excepcional, com concentração de taninos e fruto.
  • 1991 - Vintage excelente, harmonioso e rico. Verão quente e seco, apenas com chuvas ligeiras no início de Setembro. Vindima em condições ideais.
  • 1989 - Verão muito quente. Vindima precoce, com condições climáticas ideais. Alguns vinhos excelentes.
  • 1987 - Inverno e Primavera muito secos. Maturação lenta. Verão muito quente e seco. Vindima precoce, no início de Setembro. Não foi ano Vintage, devido à baixa produção. Poucas casas declararam, embora fossem feitos vários single-quinta. Vinhos muito finos e frutados.
  • 1985 - Vinhos de aroma muito fino. Qualidade excepcional. Um Vintage clássico, com aromas intensos e uma estrutura firme em frutado e taninos. Quase todas as empresas declararam. Tempo excelente. Início do Inverno frio, mas Fevereiro e Março quentes. Alguma chuva na Primavera e temperaturas normais até ao Verão. Junho muito quente, a que se seguiu um Verão normal. Vindima em condições perfeitas.
  • 1983 - Inverno seco e grande parte da Primavera chuvosa. Floração pobre em muitas vinhas. Ano anormalmente frio, incluindo o mês de Agosto. Setembro quente. Vindima tardia e perfeita. Alguns Vintage excepcionais. Algumas casas não declararam, porque optaram por declarar o ano anterior, embora o de 1983 seja considerado melhor por diversos enófilos. Rico em taninos, muito aromático e com grande capacidade de envelhecimento.
  • 1982 - Ano muito seco. Inverno frio. Boa floração. Verão muito quente. Uma das vindimas mais precoces. Fraca produção, mas boa qualidade, vinhos delicados e elegantes, com grande concentração de aromas. Muitas empresas declararam.
  • 1980 - O Inverno foi seco. A floração (pobre) decorreu com tempo chuvoso e frio, mas o Verão foi quente e seco, chovendo apenas em finais de Setembro, antes das vindimas. Qualidade excepcional, mas quantidade abaixo do normal. Vinhos retintos e frutados. Quase todas as empresas declararam.
  • Vinhos para se desfrutar!

Publicado em: 06/07/2012

Porto recebe 100 Pontos de Parker

 

Robert Parker bebeu o Fonseca 1963 num jantar comemorativo de um grande enólogo de Maryland e seu amigo, Bert Basignani, onde estiveram presentes outros grandes vinhos, tendo apenas o Fonseca 1963 e o Pichon Longueville Comtesse de Lalande 1982, recebido 100 pontos. 

'Também abrimos o lendário, Fonseca 1963', diz Robert Parker, num artigo que acaba de publicar no seu website, e prossegue: ‘Decantado três horas antes, exibia um elixir de pétalas de rosa cristalizadas, fruta preta e vermelha, alcaçuz, cassis e kirsch. Com quase 50 anos de idade, este deslumbrante porto Vintage parece ter ainda mais 20 a 25 anos de vida', e atribui ao Vintage Fonseca 1963, 100 pontos!

Esta classificação adiciona mais um vinho de 100 pontos aos quatro vintages da Fonseca que receberam 100 pontos na Wine Spectator (1927, 1948, 1977 e 1994).

 

Publicado em: 06/07/2012

Garrafa de papel

 

A primeira garrafa de vinho feita totalmente de papel vai ser colocada no mercado em breve. Criada pela empresa britânica GreenBottle, o vinho será vendido, numa primeira fase, em Manchester, Inglaterra.

GreenBottle está negociando com um supermercado importante no Reino Unido, para expandir as vendas até o final do ano.

A garrafa possui um material semelhante ao plástico no seu interior,  igual ao bag-in-box, para manter a temperatura da bebida. Pesa 55 gramas, ou seja, dez vezes mais leve do que as garrafas tradicionais, o que diminui drasticamente os preços de transporte e exportação, para além de libertar apenas 10% do carbono da produção de uma garrafa de vidro.

O fundador da empresa, Martin Myerscough, revelou que "o telefone não para de tocar, são ligações de várias partes do mundo. Até mesmo alguns produtores franceses mostraram interesse". Contudo, afirma que o foco agora "é conseguir o mercado britânico".

 

Publicado em: 06/07/2012

Cadastro Vitícola

  Até  o mês de novembro, todos os viticultores gaúchos deverão realizar o recadastro vitícola, no qual informam as áreas de cultivo, a quantidade de uva produzida de cada variedade, o destino da produção de uvas e outros dados importantes da safra de 2012, nos Sindicatos Rurais, na internet ou na sede da Emater, em algumas localidades com poucos viticultores.
De acordo com a coordenadora do Cadastro Vitícola, pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho, Loiva Maria Ribeiro de Mello (foto), o cadastro é uma ferramenta estratégica para o diagnóstico da produção de uvas para processamento, para a definição de políticas de interesse setorial, para estudos de zoneamento vitícola e para o controle de qualidade pela fiscalização. “É fundamental que os viticultores façam a atualização dos seus dados anualmente. Ao venderem suas uvas, os produtores devem apresentar às empresas vinícolas do Estado do Rio Grande do Sul o comprovante do seu recadastro do ano anterior à safra”, destaca a coordenadora.
Serve como um instrumento indispensável para: dar suporte à fiscalização de vinhos e demais produtos vitícolas, apoiar o desenvolvimento da pesquisa e, em conjunto com outras informações disponíveis, possibilitar a construção de cenários para a tomada de decisão da iniciativa privada e pública, em prol do desenvolvimento da vitivinicultura do Estado do Rio Grande do Sul.
Neste ano, além das informações sobre a safra de 2012, os viticultores também irão responder a uma pesquisa sobre mão-de-obra nas propriedades. “É importante termos informações precisas sobre a sucessão familiar para dar continuidade à produção de uva. Os dados individuais são sigilosos e serão usados apenas para estudos, de uma forma global, por município,” esclarece Loiva.


Publicado em: 05/07/2012

Larentis Merlot 2011

 

Há mais de 10 anos vimos acompanhando as atividades da Vinícola Larentis, que, ao longo do tempo vem definindo os melhores padrões de vitivinicultura na serra Gaucha. E, agora, numa busca de  reposicionamento de seus produtos no mercado, a vinícola também inova na forma de apresentar os vinhos para o consumidor final. Os rótulos  bem modernos e muito mais descontraídos, destacam a variedade da uva que originou o vinho, ao invés da marca, uma forma de facilitar e promover o consumo da bebida no País. O Larentis Merlot  foi elaborado com 100% da cepa, produzida em vinhedos próprios no Vale dos Vinhedos, com 30% passando por carvalho. Teor alcoólico de 12%. A coloração mostra um rubi intenso, com halos violáceos,  ótimo brilho e transparência. Os aromas são de frutas vermelhas maduras, com destaque para amora e cereja, toques de especiarias e baunilha. Na boca mostra um  corpo médio, taninos macios e bem integrados, acidez pontual, leve adocicado e um excelente final, com persistência de frutas  e baunilha. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 23,00.

Publicado em: 04/07/2012

Comemorando a Independência

 

Hoje comemora-se, nos Estados Unidos, a independência do país. Para marcar a festa , a Chandon lançou uma garrafa especial com embalagem contendo listras das cores da bandeira americana, em um desenho simples e sofisticado. A edição comemorativa será vendida apenas em território americano.

Publicado em: 04/07/2012

Na Bekaa Delicatessen

 

Publicado em: 04/07/2012

Os melhores do Semestre

 

Ao término do primeiro semestre de 2012 , vamos à lista dos vinhos que obtiveram acima de 90 Pontos, em nossas avaliações, nesse período. Foram dezenas de degustações e centenas de vinhos degustados e compartilhados. A lista é só uma referência, já que a melhor avaliação é aquela que você faz, nas condições e nas companhias que, certamente, influenciarão no resultado.  Vamos lá .

Blandy’s Terrantez 1976  - 98 Pontos

Dom Pérignon Vintage 2000 – 97 Pontos

Viña Seña 2008 – 96 Pontos

 Poças Porto Vintage 2007 – 96 Pontos

Viña Tamaya Winemaker`s Gran Reserva Syrah 2010 – 95 Pontos

Aalto OS (Pagos Seleccionados) 2006 – 95 Pontos

Don Melchor 2008 – 94 Pontos

Néyen Espirito de Apalta 2007 – 94 Pontos

Cuvelier Los Andes Grand Malbec 2007 – 94 Pontos

Bramare Malbec Viñedo Marchiori  2008 – 94 Pontos

Arzuaga Gran Reserva 2001 – 94 Pontos

EQ Syrah 2009 – 94 Pontos

Pio Cesare Barolo Ornato 2007 – 94 Pontos

Quinta Sardonia 2005 – 94 Pontos

Viña Mayu Syrah Reserva 2009 – 94 Pontos

Glaetzer Amon-Ra Shiraz 2009 – 94 Pontos

Peter Lehmann Stonewell Shiraz 2006 – 94 Pontos

Viña Casa Silva Doña Dominga Reserva Andes Vineyard Carmenère  2009 – 93 Pontos

Tenimenti Fontanafreda Lazzarito Barolo 2001 – 93 Pontos

Craggy Range Pinot Noir 2009 – 93 Pontos

Pio Cesare Barolo 2007 – 93 Pontos

Loma Larga Vineyards Malbec 2008 – 93 Pontos

Sequana Pinot Noir 2008 – 93 Pontos

Clos Apalta 2009 – 93 Pontos

Domaine Château de L’Hers Cuvée Prestige Châteauneuf Du Pape 2007 – 93 Pontos

Henriques & Henriques Medium Rich Single Harvest Safra 1998 – 93 Pontos

Saurus Barrel Fermented Pinot Noir 2008 – 93 Pontos

Néyen Espirito de Apalta 2006 – 92 Pontos

Gil Luna Toro Reserva Especial 2005 – 92 Pontos

Marchese Antinori Chianti Classico Riserva 2006 – 92 Pontos

 Pio Cesare Barbaresco 2006 – 92 Pontos

DiamAndes 2008 – 92 Pontos

Doña Silvina Reserva Malbec 2007 – 92 Pontos

Bouza Albariño 2010 – 92 Pontos

Val de Flores 2005 – 92 Pontos

Lídio Carraro Grande Vindima Tannat 2005 – 92 Pontos

La Fou 2007 – 92 Pontos

A Crux 2003 – 92 Pontos

Wild Rock Pinot Noir 2008 – 92 Pontos

Remhoogte Valentino Shiraz 2009 – 92 Pontos

De  Angeles 2008 – 92 Pontos

Altas Quintas Colheita 2006 – 92 Pontos

San Fabiano de Calcinaia Cerviolo Toscana 2004 – 92 Pontos

Quinta do Vallado Touriga Nacional  2006 – 92 Pontos

Rouge d`Enfer du Valais 2006 – 92 Pontos

Kuleto Estate Syrah 2006 – 92 Pontos

Viña De Martino Viejas Tinajas Cinsault 2011 – 92 PontosCossartGordon Bual 15 Years Old Medium Rich – 92 Pontos

EQ Pinot Noir 2009 – 92 Pontos

PradoRey Elite 2005 – 92 Pontos

Arzuaga Reserva Especial 2004 – 92 Pontos

Peter Lehmann Eigh Songs Shiraz 2006 – 92 Pontos

Abadia Retuerta Selección Especial 2006 – 92 Pontos

Amaya Arzuaga Colección 2007 – 92 Pontos

PradoRey Gran Reserva Ribera Del Duero 2004 – 91 Pontos

Morandé Golden Reserve 2001 – 91 Pontos

Syrah Maître de Chais 2007 – 91 Pontos

Domaine Evêché 2007 – 91 Pontos

Viña Alicia Tiara 2008 – 91 Pontos

Quinta do Vallado Reserva Field Blend Douro – 91 Pontos

Pai Chão 2008 – 91 Pontos

Flor de Pingus 2008 – 91 Pontos

Cossart Gordon Bual 10 Years Old Medium Rich – 91 Pontos

Peter Lehmann Mentor Cabernet Sauvignon 2006 – 91 Pontos

Valtuille Cepas Centenarias 2003 – 91 Pontos

Sabor Real Viñas Centenarias 2007 – 91 Pontos

Viña Morandé Edición Limitada Sauvignon Blanc 2010 – 91 Pontos

Craggy Range Te Kahu 2008 – 91 Pontos

Villard L’Assemblage Grand Vin Magnum 2007 – 91 Pontos

Viña Casa Marin Estero Vineyard Sauvignon Gris 2010 – 91 Pontos

Urban Tempranillo 2010 – 91 Pontos

Hook & Ladder The Tillerman 2007 – 91 Pontos

Quinta do Vallado Reserva Douro Branco2010 – 91 Pontos

Château Cheval Noir  Saint Emilion  Grand Cru Cuvée Le Fer 2009 – 91 Pontos

Justin Isosceles 2006 – 91 Pontos

Cossart Gordon Bual 15 Years Old Medium Rich = 91 Pontos

Ruca  Malén Malbec 2010 – 91 Pontos

Rocca Delle Macie Ser Gioveto  2006 – 91 Pontos

Basilisco Aglianico Del Vulture 2004 – 91 Pontos

Rodney Strong Cabernet Sauvignon 2008 – 91 Pontos

 Pervini Dunico Primitivo 2007 – 91 Pontos

Kilikanoon Riesling 2009 – 91 Pontos

Cuvée Edmond 2002 – 91 Pontos

Amancaya 2009 – 91 Pontos

Tapada dos Coelheiros 2008 – 91 Pontos

Pio Cesare Oltre Langhe 2008 – 91 Pontos

Tres Lunas Toro Reserva 2007- 91 Pontos

Luigi Bosca Cabernet Sauvignon Reserva 2008 – 91 Pontos

Hobo Zinfandel 2008 – 91 Pontos

Château De La Gardine Châteauneuf du Pape  Cuvée Générartions “Gaston Philippe” 2006 – 91 Pontos

Luigi Bosca De Sangre 2008 – 91 Pontos

Cuvée Alexandre Merlot 2008 – 90 Pontos

Arzuaga Reserva 2006 – 90 Pontos

Caliterra Tributo Edicion Limitada 2006 – 90 Pontos

Colomé Malbec Estate 2009 – 90 Pontos

Tenuta Podernovo Aliotto 2009- 90 Pontos

Riglos Gran Corte 2007 – 90 Pontos

Mas des Mas Corbières 2009 – 90 Pontos

Strabon Oro 2001 – 90 Pontos
 Reichsrat Von Buhl Grauburgunder 2010 – 90 Pontos

Terranoble Gran Reserva Merlot  2009 – 90 Pontos

Le Cèdre 2008 – 90 Pontos

Bouza Tannat Parcela B6 2009 – 90 Pontos

Lidio Carraro Elos Touriga/Tannat 2008 – 90 Pontos

Villaggio Grando Innominabile Lote IV – 90 Pontos

Don Laurindo Tannat 10 Anos Reserva  2005 – 90 Pontos

Lahuen Carmenère Cabernet  2008 – 90 Pontos

Reichsrat Von Buhl Riesling “Grosses Gewächs” Forster Ungeheuer 2009 – 90 Pontos

José Pariente Fermentado em Barrica 2009 – 90 Pontos

Chianti Classico Riserva Cellole 2005 – 90 Pontos

Kunde Zinfandel 2007 – 90 Pontos

Reichsrat Von Buhl Deidesheimer Herrgottsacker Riesling 2010 – 90 Pontos

Justino’s Madeira Malvasia – 90 Pontos

Marques de Montemor Colheita Selecionada Touriga Franca 2010 – 90 Pontos

El Maestro Sierra Oloroso 15 años – 90 Pontos

Lidio Carraro Tannat Grande Vindima 2006 – 90 Pontos

Familia Schroeder Pinot Noir Barrel 2008 – 90 Pontos

Elena Walch Lagrein 2010 – 90 Pontos

Warre’s Optima 10 anos – 90 Pontos

Altas Quintas Reserva 2005 – 90 Pontos

Schild Estate Shiraz 2008 – 90 Pontos

Terramater Unusual Mighty Zinfandel 2008 – 90 Pontos

Anima Vitis 2005 – 90 Pontos

Fox Creek Short Row Shiraz 2006 – 90 Pontos

Heartland Shiraz 2009 – 90 Pontos

Syrah Villány 2004 – 90 Pontos

Luis Cañas Seleccion Reserva de La Familia 2004 – 90 Pontos

Château La Bastide Corbieres Eidos – 90 Pontos

Cossart  Gordon Bual 10 Years Old Medium Rich – 90 Pontos

Paul Blanck Riesling Alsace 2007 – 90 Pontos

Medici Ermete Lambrusco Reggiano Concerto 2011 – 90 Pontos

Albariño D’Fefiñanes 2010 – 90 Pontos

Vallado Douro Tinto2009 – 90 Pontos

Peter Lehmann Art Series Shiraz 2008 – 90 Pontos

Peter Lehmann Art Series Shiraz/Grenache 2009 – 90 Pontos

Conde Valdemar Gran Reserva 2004 – 90 Pontos

Tamaya Reserva Chardonnay 2010 – 90 Pontos

Clos des Fous Chardonnay 2010 – 90 Pontos

Casa Del Nono  Goethe Spumante Brut – 90 Pontos

Besllum 2008 – 90 Pontos

Chateau Ksara Chateau 2007 – 90 Pontos

Loosen Bros  Riesling 2009 – 90 Pontos

Louis Jadot Beaune Clos des Ursules 2006 – 90 Pontos

Gradum El Paso de Las Eras Cabernet Sauvignon 2007 – 90 Pontos

Casa de Santa Vitoria Touriga Nacional 2008 – 90 Pontos

SMV The Bernard Series Small Barrel 2009 – 90 Pontos

Adega Covilhã Colheita do Socio Reserva 2006 – 90 Pontos

Quinta das Baceladas Tinto 2005 – 90 Pontos

Château de Poucieux Côtes de Provence 2011 – 90 Pontos

Albariño D’Fefiñanes III Año 2007 – 91 Pontos

Guatambu Espumante Nature – 90 Pontos

Trimbach Riesling Cuvée Frederic Émile 2004 – 90 Pontos

Zuccardi Serie A Malbec 2010 – 90 Pontos

Zuccardi Q Cabernet Sauvignon 2008 – 90 Pontos

Ruca Malén Syrah 2008 – 90 Pontos

Lo Mon 2007 – 90 Pontos

Alión 2006 – 90 Pontos

Norton Elegido Lote Azul No.7 – 90 Pontos

Paraduxx 2006 – 90 Pontos

Novy Syrah 2009 – 90 Pontos

Amalaya 2010 – 90 Pontos

B Crux 2008 – 90 Pontos

Almaúnica Reserva Syrah 2010 – 90 Pontos

Señorio de Andion 2002 – 90 Pontos

EQ Chardonnay 2009 – 90 Pontos

Rutini Cabernet Malbec 2008 – 90 Pontos

Raventós i Blanc Reserva Brut 2008 – 90 Pontos

Urban Merlot/Carignan/Cabernet Sauvignon 2007 – 90 Pontos

 Don Candido 4a. Geração Marselan 2008 – 90 Pontos

Don Laurindo Reserva Estilo 2008 – 90 Pontos

Panizzon Maximus  - 90 Pontos

 

Publicado em: 03/07/2012

Boscato Reserva Merlot 2005

 

O Boscato Reserva Merlot 2005 foi elaborado com 100% Merlot, dos vinhedos próprios em Nova Pádua,  com alto grau de maturação, passagem por carvalho e amadurecimento por 12 meses nas caves. Teor alcoólico de 12,5%. A coloração é de um  rubi muito vivo, com halos alaranjados, muito brilho e ótima transparência.  Os aromas mostram muita fruta vermelha (ameixa, framboesa, cereja, amora), especiarias e baunilha. Na boca apresenta um corpo médio, repetindo-se o frutado do olfato e mostrando taninos suaves, macios e bem integrados,com acidez pontual. Um bom final, com toques de especiarias e leve  adocicado . Tem mostrado uma excelente evolução em relação a degustações anteriores.  Avaliação: 88 Pontos.

Publicado em: 03/07/2012

É amanhã

 

Publicado em: 01/07/2012

Clos Mogador 2007

 

Clos Morgador está localizada em Gratallops, no centro do Piorato, com seus 13 hectares de vinhedos plantados em terraços ingremes, acima do rio Siurana. É um dos mais renomados produtores da região, tendo Rene Barbier Jr. no comando. O Clos Morgador 2007 foi elaborado com 40% de Garnacha (vinhas de mais de 80 anos), 20% de Cabernet Sauvignon, 20% de Syrah e 20% de Carignan (todas vinhas com mais de 30 anos). Passou 18 meses em carvalho. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um intenso e brilhante rubi. Os aromas complexos mostram muita fruta madura (ameixa, cereja, amora, lichia), licor de cassis, toques animais e notas de fermentação, com baunilha ao final. Na boca apresenta um bom corpo, com muito volume, taninos bem integrados ao álcool, acidez e frutas intensas. Um longo final, com cacau e tostados. Avaliação: 94 Pontos. Preço: R$ 312,00, na Mistral 

 

Publicado em: 01/07/2012

Da Real Sitio de Ventosilla

 

A Bodega Real Sitio de Ventosilla, em Ribera Del Duero, com 3000 hectares e 520 vinhedos, tem mais de 500 anos. Nela fica um palácio erguido em 1600, que servia de abrigo ao Rei Felipe III, em suas andanças. Daí o nome. No Decanter Wine Show degustamos alguns de seus vinhos. Vamos a eles.

01 - PradoRey Classic Rueda Verdejo/Sauvignon Blanc – foi elaborado com 95% de Verdejo e 5% de Sauvignon Blanc, a partir de vinhedos de Rueda, com permanência de 3 meses sur lies. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de umarelo brilhante com traços verdeais e muito brilho. Os aromas mostram frutas cítricas, frutas tropicais (abacaxi,maracujá), toques balsâmicos e herbáceos. Na boca as sensações olfativas se rerpetem, com uma acidez equilibrada, que lhe transmite frescor. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$ 48,30.

02 – PradoRey Ribera Del Duero Rosado 2010 – foi elaborado com 50% de Tempranillo e 50% de Merlot, a partir de uvas de 7 pagos diferentes, numa área de 80 hectares. Permaneceu sur lies por 4 meses. Teor Alcoólico de 13,8%. A coloração é de um cereja intenso com muito brilho e  transparência. Os aromas indicam um agradável frutado (groselha, framboesa, cereja), toques de especiarias e balsâmicos. Na boca mostra um corpo médio, com uma acidez pontual e o frutado do olfativo. Um agradável final, com toque mineral. Avaliação: 87 Pontos. Preço: R$66,20.

03 – PradoRey Ribera Del Duero Roble 2008 – foi elaborado com 95% de Tinta Fina (de 11 clones locais da Tempranillo), 3% Cabernet Sauvignon e 2% Merlot. Envelheceu 3 meses em barricas de carvalho americanas novas, um mês em tonéis de carvalho francês e 5 meses em garrafa. Teor Alcoólico de 13,5%.  Apresenta coloração rubi intensa, com reflexos de granada, muito brilho e transparência. Aromas de frutas vermelhas maduras, adocicado e leves toques de especiarias. Na boca mostra-se com bom corpo, com álcool, taninos e acidez em equilíbrio. Aveludado. Ótima persistência. Avaliação: 86 Pontos. Preço: R$ 80,50.

04 - PradoRey Ribera Del Duero Crianza 2006 – foi elaborado com 95% de Tinta Fina (clone Quintana), 3% Cabernet Sauvignon e 2% Merlot. Passou 12 meses em barricas de carvalho americano novas e 5 meses em tonéis de carvalho francês e 24 Meses em garrafas, antes da comercialização.. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas apresentam muita fruta silvestre madura, côco, cedro e baunilha. Toques de especiarias (cravo e canela). Na boca apresenta um ótimo corpo, com taninos macios e acidez em equilíbrio. Uma longa persistência, com baunilha ao final. Avaliação: 89 Pontos. Preço: R$117,50.

05 - PradoRey Gran Reserva Ribera Del Duero 2004 – foi elaborado com 95% de Tempranillo, 3% de Cabernet Sauvignon e 2% de Merlot, permanecendo  24 meses em barricas de carvalho americano, 6 meses em cones  de carvalho francês e 36 meses em garrafas, antes da comercialização. Teor Alcoólico de 14%. A coloração mostra um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas apresentam muita complexidade, com frutas maduras, frutas em compota, especiarias, notas balsâmicas e notas minerais, que vão se mostrando ao longo do tempo. Na boca mostra um bom corpo, com taninos macios e bem integrados e um final longo e aveludado. Avaliação: 92 Pontos. Preço: R$ 267,55.

06 - PradoRey Elite 2005 – foi  elaborado com 100% de Tinta Fino  (clone Elite). Passou 18 meses em carvalho, sendo 12 em carvalho francês e 6 em carvalho americano. Teor Alcoólico de 15%. A coloração é de um intenso vermelho rubi, com tons iodados, muito brilho e opaco. Os aromas são complexos, aflorando cassis, groselha, cereja,amora, em meio a uma elegante madeira. Completa-se com compotas de frutas. Na boca a riqueza olfativa se repete, com bom corpo, muita intensidade e taninos em equilíbrio. O agradável sabor frutado se mantém ao final. Avaliação: 91 Pontos. Preço: R$ 267,50.

 

Per Bacco. Todos os direitos reservados.2014