Publicado em: 23/07/2016

Uma promoção especial

 

GE DIGITAL CAMERA

 

 

Este sábado na Bekaa foi especial, com a degustação de alguns vinhos, que se encontram na relação de dezenas de outros, à venda com descontos de até 50%. A promoção continua até o dia 30 de julho. É, sem dúvida, uma boa oportunidade para abastecer sua adega. Vamos aos vinhos degustados.

 

Araldica Espumante Asti – elaborado com 100 Moscato Bianco, com rápida permanência em tanques de inox, para maximizar a aromaticidade. Fermentação em autoclaves com controle de temperatura e pressão pelo método ''Asti'' de tomada de espuma na primeira fermentação. Teor Alcoólico  de 7%. A coloração é de um palha claro e brilhante, perlage finíssimo e persistente. Aromas tipicos de uva Moscato, com flores brancas, mel e limão siciliano. Na boca apresenta-se  cremoso na boca, suave e vivaz, muito elegante. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 71,50. Observação: apresenta resíduo final de açúcar de aproximadamente 90g/l (classificação quanto à dosagem de açúcar - Dolce: acima de 50 gramas/litro).

 

Chloe Torrontés 2014 – elaborado com 100% de Torrontés, da região de Cafayate, Salta. Amadurecimento de 6 meses em inox sobre borras. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um verde limão brilhante. Os aromas mostram toques cítricos, lichia e flores intensos. Na boca apresenta corpo médio, fresco e persistente, repetindo as sensações do olfato, que se mantém no longo final. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 69,00. 

 

ASSOBIO ROSÉ 2013 – elaborado com Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca e Tinta Francisca. Teor Alcoólico de  13,5%. A coloração é de um cereja claro, com toques violáceos. Os aromas mostram frutas vermelhas (framboesa, cereja) e algo herbáceo. Na boca apresenta suavidade e equilíbrio, com o frutado se destacando e permanecendo no bom final. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$68,50.

 

Viu Manent Vibo Viñedo Centenario 2011 – elaborado com 51% Cabernet Sauvignon, 44% Malbec e Petit Verdot 5%, provenientes de vinhas velhas com mais de 100 anos localizadas em San Fundo, Carlos de Cunaco, Colchagua. Amadureceu 15 meses em barricas de carvalho francês. Teor Alcóolico de 14,5%. A coloração é de cereja vermelho intenso, com tons violeta. Os aromas são complexos, com frutas vermelhas (cassis, cereja, amora, ameixa), notas tostadas sutis,  Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e bem integrados, acidez equilibrada e toque mineral. Longo final elegante, com o mineral se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 184,80

 

Caliterra Edicion Limitada A 2010 – elaborado com 46% Carménère e 54% Malbec , com amadurecimento de 18 meses em barricas de carvalho francês, 30% novas. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um púrpura concentrado e muito luminoso. Os aromas mostram amora,  ameixa, pimenta ,tabaco e café. Na boca apresenta um bom corpo, untuosidade,  repetindo as sensações do olfato, com taninos firmes e leve adstringência. Muito equilibrado. Longo final com o toque  de café se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$131,00.

 

Altas Quintas Reserva DO 2005 – elaborado com Trincadeira e Alicante Bouschet, com  fermentação em balseiros de carvalho francês. Amadurecimento de  24 meses em barricas novas de carvalho francês e americano, e após uma filtração grosseira, permaneceu em garrafa, até atingir um equilíbrio e uma harmonia que permitiu o seu lançamento no mercado. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um granada intenso e brilhante. Os aromas mostram ameixa,amora negra, notas de especiaria, chocolate negro, toques florais, nuances minerais  e algo tostado. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos  firmes e sedosos e leve mineralidade. Longo final frutado. Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$177,00.

 

De Loach Zinfandel 2014 - elaborado com 82% Zinfandel, 11% Petite Syrah, 6% Petite Verdote e 1% Cabernet Sauvignon. Envelhecido em tanques de aço inoxidável e barricas de carvalho americano. Teor Alcoólico  de 13,5%. A coloração é de um rubi de boa  concentração e muito brilho. Os aromas mostram frutado com toques de morango e ameixa, e uma pitada de torrada. Na boca é um vinho de médio corpo, com taninos suaves, bem integrados e acidez pontual. Final longo com o frutado se mostrando . Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$81,00.

 

Damijan Prelit 2010 – elaborado com 70% Merlot e 30% Cabernet Sauvignon, com amadurecimento de 3 anos em grandes cubas de carvalho de 20-30 hl. Não há clarificação ou filtração. Teor Alcoólico  de 15%. A coloração é de um rubi profundo e brilhante. Os aromas mostram ameixa, cereja, fumo, depois carne defumada e notas balsâmicas. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes, bem integrados e acidez equilibrada. Boa potência. Longo final com o toque balsâmico se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 299,60.

 

Araldica Espumante Asti – elaborado com 100 Moscato Bianco, com rápida permanência em tanques de inox, para maximizar a aromaticidade. Fermentação em autoclaves com controle de temperatura e pressão pelo método ''Asti'' de tomada de espuma na primeira fermentação. Teor Alcoólico  de 7%. A coloração é de um palha claro e brilhante, perlage finíssimo e persistente. Aromas tipicos de uva Moscato, com flores brancas, mel e limão siciliano. Na boca apresenta-se  cremoso na boca, suave e vivaz, muito elegante. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 71,50. Observação: apresenta resíduo final de açúcar de aproximadamente 90g/l (classificação quanto à dosagem de açúcar - Dolce: acima de 50 gramas/litro).

 

 

Publicado em: 23/07/2016

Uma degustação festiva

 

 

Confraria do Vinho de São José do Rio Preto realizou sua reunião festiva do mês de julho, tendo por local o Restaurante Flor de Sal. Presentes: Lorga, Achiles, Angelo, Horacio, Edilberto, Renato e Osvaldir. Uma excelente noitada enogastronômica, em que cada um escolheu um vinho para a degustação. Vamos aos vinhos.

 

De Martino, vinícola fundada em 1934, hoje na quarta geração, tem vinhedos por todo Chile, já que busca o lugar mais apropriado para cada variedade.  Tem vinhedos de Cabernet Sauvignon em Cachapoal , de Chardonnay  no vale de Limari, Cinsault e Moscatel no vale de Itata e Syrah em Choapa. E são deles os mais altos vinhedos chilenos, em Elqui, de onde vem Syrah e Petit Verdot. Em 2011 a De Martino, tendo à frente o enólogo Marcelo Retamal, começou a acabar com a padronização (colheita tardia para obter uvas muito maduras,açucaradas, muita madeira, muita levedura), em que os vinhos não têm identidade e todos se parecem. A mudança: nada de ácido tartárico (para dar acidez às uvas ultra maduras), nada de leveduras adquiridas em mercado, nada de barricas novas para os tintos,  leveduras nativas e foudres para os vinhos tops. A De Martino faz hoje vinhos de Novo Mundo no estilo Velho Mundo: vinho mais suave, magro, elegante, fino, fresco e gastronômico. Eleita a melhor vinícola do Chile, em 2011.

 

De Martino Quebrada Seca Chardonnay 2013 –  elaborado com 100% de Chardonnay, produzida no Valle Limari (vinhedo de Quebrada Seca, a apenas 19km do mar, recebendo diretamente os efeitos da fria corrente de Humboldt) , com passagem de 12 meses em barricas de carvalho francês Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é palha, com toques verdeais, com muito brilho e transparência. Os aromas marcantes são de frutas brancas (pêra, maçã verde), frutas tropicais, amanteigado, com notas tostadas e algo de mineral. Na boca mostra-se untuoso, com um toque de acidez marcante e intenso frescor. Um longo e agradável final onde o tostado se mostra. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 194,00, na Enoteca Decanter. Vinho do Lorga.

 

 

 

Susana Esteban começou a se interessar por vinhos aos 18 anos. Ganhou uma bolsa de estudo para fazer um estágio num país da União Europeia, e foi aí que escolheu Portugal e o Vale do Douro, especificamente. Em 2007, trocou o Douro pelo Alentejo e desde então trabalha  como consultora de diferentes produtores do Alentejo, nomeadamente Tiago Cabaço Wines, Herdade do Barrocal, Monte dos Cabaços e Monte da Raposinha. No final do ano 2009 Susana Esteban decidiu dar início ao seu projeto pessoal com o objetivo de fazer vinhos com um caráter diferente do Alentejo tradicional.  Em Portalegre encontrou uma vinha tradicional plantada numa zona muito mais fresca que o resto do território do Alentejo. Uma vinha misturada que reúne um conjunto alargado de castas tradicionais de produção baixíssima que acrescenta uma frescura e complexidade pouco habituais. Da combinação destas duas parcelas nasceu um vinho o“Procura”. Em 2012, depois de encontrar várias outras parcelas de vinha com características ideais para o seu projeto, decidiu elaborar o “Aventura”, um vinho sem madeira e com uma frescura e caráter acentuados. Além dos vinhos Alentejanos elaborados na sua adega, situada na vila de Mora Susana, Esteban estabeleceu em 2011 uma sociedade com a sua amiga e igualmente enóloga, Sandra Tavares, para elaborarem vinho em parceria. O primeiro fruto desta parceria tomou o nome “Crochet”, um vinho do Douro que é elaborado no Pinhão. Com início na colheita 2014 este foi acompanhado por um irmão alentejano, igualmente tinto, que se chama “Tricot”, produzido em Mora.

 

Aventura Tinto 2013 – elaborado com 40% Aragonês, 40% Touriga Nacional e 20% castas tradicionais, de vinhedos antigos, de Portalegre. Teor alcoólico de 13,4%. A coloração é de um rubi intenso com nuances violáceas. Os aromas mostram frutas vermelhas (framboesa, cereja,ameixa, cassis)e toques florais. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves e bem integrados, acidez presente,  muito equilíbrio e elegante. Bom final com frutado se mostrando. Produção de 12.000 garrafas. Avaliação: 90/100 Pontos.  Preço: R$167,00, na Dom Castilho. Vinho do Horácio.

 

 

 

A Bodega San Pedro de Yacochuya está localizada em Cafayate, cerca de 190km da cidade de Salta, a 1.600m de altitude. Sua produção é praticamente toda voltada para a uva Malbec com algumas pequenas parcelas de Torrontés e Tannat. A bodega tem como sócio o famoso Michel Roland, que em 1998 foi convidado pela familia Etchart, para dar consultoria para a bodega em troca de uma participação societária. Ele aceitou e fez uma verdadeira transformação na forma de produzir vinhos por lá. A bodega é relativamente pequena e a cave armazena cerca de 300 barricas 100% francesas .O estilo dos vinho de Yacochuya reflete a marca degistrada de Roland – vinhos de muito corpo e estrutura provenientes das uvas de longa maturação debaixo do Sol impiedoso da região .Os vinhos são divididos em 3 linhas :Coquen, linha básica feita com uvas próprias e compradas de outros produtores, San Pedro linha intermediária, somente uvas próprias de vinhedos de cerca de 10 anos, e Yacochuya, top de linha, feitos apenas com vinhas próprias e com vinhedos de até 100 anos.

 

San Pedro de Yacochuya 2013 – elaborado com 93% Malbec e 7% Cabernet Sauvignon, com 12 meses em barril de carvalho. Teor Alcoólico de 15%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram jabuticaba, cereja negra, mírtilo, cassis e café com um leve toque de mineralidade. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos firmes e bem integrados. Acidez equilibrada. Longo final, com o toque mineral se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 206,00, na Grand Cru. Vinho do Osvaldir.

 

 

 

Desde 1996 Vito Catania vinifica as uvas que sempre foram produzidas pela família Catania na sua própria empresa agrícola, localizada em Chiaramonte Gulfi, na Província de Ragusa, na Sicilia. Hoje tem cerca de 70 hectares de vinhas nas melhores áreas do leste da Sicília. É referência em vinhos orgânicos e elabora seus vinhos focados na exposição de micro parcelas.

 

Gulfi Nerosanlore 2007 -  elaborado com 100%  de Nero d’Avola, em 2,5 hectares  da Vigna San Lorenzo – Val di Noto, de mais de 40 anos de idade, a uma altitude de 10 metros. Passou 24 meses em pequenas barricas de carvalho e 24 meses em garrafa antes da comercialização.  Sem filtração. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi de média concentração e bela luminosidade. Os aromas mostram muita fruta vermelha e negra, especiarias (zimbro, pimenta preta, tomilho, alecrim) e um fundo mineral marcante. Na boca as sensações olfativas se potencializam, num ótimo corpo, com potente estrutura de taninos e suculenta acidez. Um vinho raçudo. Um longo final, com o toque mineral se destacando. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 346,00, na Decanter. Vinho do Renato.

 

 

 

O nome Rothschild é conhecido em todo o mundo, mas sua historia está intimamente ligada a região de Bordeaux, França. Nesta região a empresa produz dois dos seis Premiers Grand Cru Classe, vinhos místicos, caros e raros. Mas além destes dois vinhos fabulosos, produz uma linha que se tornou a cara de Bordeaux mundo afora. Trata-se do Mouton Cadet, um vinho acessível, produzido pela família na região de Bordeaux. São consumidos em mais de 150 países todos os anos mais de 12 milhões de garrafas de vinho da família Rothschild. A companhia tem parceria com a Mondavi Wines e com a Concha y Toro, produzindo vinhos também na Califórnia (o renomado Opus One) e no Chile (o premiado Almaviva e o Escudo Rojo).

 

Mouton Cadet 2012 – elaborado com 65%  Merlot, 20% Cabernet Sauvignon  e 15% Cabernet Franc , com amadurecimento  curto em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um granada profundo cintilante. Os aromas mostram frutas negras, com toques de tostado e especiarias finas. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves, acidez equilibrada e leve adocicado. Bom final, com as frutas se mostrando. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 119,00, no Bacco’s. Vinho do Edilberto.

 

Mouton Cadet Reserve 2013 –  elaborado com 85%  Merlot, 8% Cabernet Sauvignon  e 7% Cabernet Franc, com amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 12,8%. A coloração é de um rubi escuro e brilhante. Os aromas mostram frutas negras, tabaco, especiarias, caramelo e café. Na boca apresenta taninos maduros, bem intewgrados, acidez equilibrada e leve amargor. Bom final frutado com tostado se mostrando. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 156,90, no Bacco’s. Vinho do Achiles.

 

 

 

William Fèvre, um dos produtores mais importante da França, produzindo um dos melhores Chablis, tornou-se famosa no negócio do vinho dedicando-se mais de 30 anos em aperfeiçoar a arte da vinificação. Em 1991, ele decidiu procurar melhores terroirs e com sua ampla experiência levou-o para o país com o maior potencial de vinificação :Chile.  A Vinícola William Fèvre fica localizada em San Juan de Pirque, uma pequena aldeia ao sul de Santiago, nas margens do rio Maipo em Muy Alto Maipo a quase 1.000 metros sobre o nível do mar. A vinícola está implantando um novo conceito de vinhos: MOUNTAIN GROWN – VINHOS NA MONTANHA. Enquanto todos iam para próximo do mar, William Fevre começou seu plantio na montanha, aos pés da Cordilheira dos Andes.

 

William Fèvre Chacai 2011 –elaborado com 85% Cabernet Sauvignon e 15% Cabernet Franc, com uvas do Vale de Maipo. Amadurecimento de 16 meses sendo 45% barricas novas, e 55% barricas de  2 e 3 anos. Teor Alcoólico de 13,7%. A coloração é de um rubi violáceo intenso e brilhante. Os aromas são complexos mostrandocassis, amora, frutas passificadas, pimenta, ligeiro herbáceo, especiarias, baunilha, alcaçuz  e tostado. Na boca apresenta um ótimo corpo, suculento, potencializando as sensações do olfato, com taninos firmes, bem integrados e acidez equilibrada. Longo final potente, com toque balsâmico se mostrando. Avaliação: 94/100 Pontos. Preço: R$ 324,00, na North Wine.  Vinho do Angelo

 

Publicado em: 21/07/2016

A seleção de julho do Bekaa Wine Club

 

 

A seleção de julho  do Bekaa Wine Club apresenta dois vinhos argentinos e um vinho chileno, oferecidos aos membros do clube a preços especiais,  com excelentes custo/qualidade. Vamos aos vinhos.

 

Bodegas Luis Segundo Correas está localizada em Medrano, Mendoza. Foi fundada em 1860, por Don Segundo Correas, que plantou os primeiros vinhedos e construiu a primeira bodega. Em Medrano, nos anos 30, Julián Correas fundou a Bodega El Ciprés, que se tornou famosa pelo seu Cabernet Sauvignon. Em 1972, Luis Segundo Correas, da 3ª.geração modertnizou a bodega e hoje mantém a administração junto com os filhos Luis, Julián, Francisco e Diego. Tem 8 Fincas, sendo 6 em Medrano, uma em Maipú e outra em Luján de Cuyo, num total de 400 hectares de vinhedos. A prevalência é de Malbec, com 130 hectares. Alguns vinhedos tem mais de 70 anos de idade. Está presente em inúmeros países com as marcas de exportação Julian Correas, Luis Segundo, Valle Las Acequias, El Ciprés e Cuatro Rios. Tem capacidade para 4 milhões de litros.

 

Valle Las Acequias Clase A Malbec/Syrah 2011 – elaborado com 70% Malbec e 30% Syrah, com amadurecimento 6 meses em barricas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um vermelho rubi profundo.  Os aromas mostram ameixa, amora, figos e frutas secas, notas especiadas, café e um leve tostado. Na boca apresenta boa estrutura, com taninos bem integrados, balanço correto entre álcool e acidez. Final de boa persistência com o toque tostado se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 48,00,aos membros do Bekaa Wine Club.

 

 

 

Casarena Winery and Vineyards está localizado na rua Brandsen, no coração do distrito do departamento de Perdriel, Luján de Cuyo. Apenas a 20 minutos da cidade de Mendoza, este projeto vinho abriu as suas portas em 2007, após a restauração completa de uma vinícola centenária, que ainda mantém a sua fachada, agora destinada exclusivamente para a produção de vinhos premium. Casarena nasceu com um grande objetivo – fazer vinhos sinceros. “Reafirmamos ser possível elaborar vinhos de alta qualidade a preços razoáveis, que atendam as expectativas do consumidor”. O adequado e minucioso manejo dos vinhedos e as frequentes degustações da matéria prima determinam o melhor momento da colheita, e esses são fatores fundamentais para a elaboração de vinhos. Sob o comando do viticultor Gastón Tello, a bodega possui 150 hectares de vinhedos com baixa densidade de plantio. A média de produção é de apenas 1kg de uva por planta e essa menor produção dá origem a frutos concentrados e vinhos robustos, complexos e ao mesmo tempo elegantes. A elaboração dos vinhos está sob a responsabilidade da Enóloga Gabriela Celeste.

 

Casarena 505 Vineyard Esencia 2014 – elaborado com 50% Malbec , 30% Cabernet Sauvignon e 20% Merlot, com amadurecimento de 3 meses em carvalho francês. Teor Alcoólico de 13,9%. A coloração é de um violeta intensa, brilhante e atraente. Os aromas mostram complexidade, com frutas negras, compota, especiarias, menta e algo balsâmico. Na boca as sensações complexas do olfato se potencializam, num bom corpo, taninos suaves, bem integrados e acidez equilibrada. Longo final com muita fruta e o balsâmico se mostrando. Um excelente blend. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 53,00,aos membros do Bekaa Wine Club. Observação: A linha recebeu o nome de 505 referente ao número da casa centenária que originou a Bodega.

 

 

 

Vistamar é propriedade de Empresas Juan Yarur, Grupo Belém , que reúne marcas de vinho consolidadas no mercado chileno e no exterior, tais como Viña Morandé, Mancura e FL, bem como a Argentina Thrush Bodegas.  Vistamar está situada no Rapel Vale, 122 km ao sul de Santiago. Tem a capacidade de  12,2 milhões de litros em aço inoxidável, 800 mil litros de envelhecimento em carvalho americano e carvalho francês. Possui vinhedos em Limari, onde as primeiras vinhas foram plantadas em meados do século XVI; Casablanca, que recebe a influência do “Camanchaca”, uma névoa fria que vem do Oceano Pacífico, que desliza no período da manhã, onde crescem as variedades Chardonnay, Sauvignon Blanc e Pinot Noir e  Maipo, cujas condições climáticas favorecem o desenvolvimento de vinhos tintos, especialmente Cabernet Sauvignon; e Cachapoal, onde as principais variedades identificadas com este vale são Merlot, Carmenere e Syrah. Desde 2011, as várias unidades de negócios agrupadas sob o nome de Grupo Belem, levam  suas marcas a mais de 45 países, com destaque para os mercados mais importantes do mundo, como EUA, Inglaterra, Brasil, Japão e China.

 

Vistamar Sepia Reserva Cabernet Sauvignon 2011 – elaborado com 100% Cabernet Sauvignon , com amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho francês e americano. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi vivo e brilhante. Os aromas mostram ameixa, cereja, pimentas, cassis, pimenta do reino, cravo e baunilha. Na boca apresenta um corpo médio taninos suaves e bem integrados ao frutado, acidez equilibrada e toque picante. Bom final com a baumilha se mostrando. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 39,00,aos membros do Bekaa Wine Club.

 

Para participar dessa seleção mensal do Bekaa Wine Club é só contatar o wineclub@bekaa.com.br ou pelo  telefone (17)98151-8384. Vale a pena

 

Publicado em: 20/07/2016

Promoção de inverno

 

Publicado em: 19/07/2016

Os espanhóis do sábado na Bekaa

 

 

Sob o comando do Sérgio Musolino , a Bekaa Delicatessen realizou a sua tradicional degustação dos sábados, onde os amigos das taças se encontram. Em pauta, desta vez, vinhos espanhois. Todos os vinhos são oferecidos a preço especial, no evento. Vamos aos vinhos.

 

CAVA FREIXENET ELYSSIA –  elaborado pelo método tradicional, com as castas Chardonnay, Macabeo, Parellada e Pinot Noir, com fermentação em garrafa por 15 meses. Teor alcoólico de 12%.  Os aromas mostram  flor de acácia e mel, fundo elegante de frutas maduras (abacaxi e pêssego). Na boca apresenta-se  suave e macio, com agradável acidez, final persistente e harmônico. Fermentação feita em garrafa por 15 meses. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 285,00.

 

Chozas Carrascal Los 3ces branco 2013 – elaborado com Chardonnay,  Sauvignon Blanc e Macabeo. Fermentação em carvalho, com amadurecimento  de 2-4 semanas sobre borras finas . Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um amarelo palha com reflexos verdes, limpido e claro. Os aromas mostram flores brancas, frutas cítricas e frutas tropicais com um toque sutil de baunilha e mel. Na boca apresenta cremosidade, repetindo as sensações do olfato, com acidez equilibrada. Agradável final onde o toque de mel se destaca. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 118,00.

 

Bodegas Exopto Dominio del Viento Crianza 2011 – elaborado com  Tempranillo (vinhedos de 30 anos) (80%) e Graciano (20%), com amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho e mais 6 meses na garrafa. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi violáceo, com muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas (amora, cereja), especiarias finas (açafrão), baunilha e toques balsâmicos. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes e bem integrados, com toques amadeirados. Bom final, com o frutado se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos.  Preço: R$ 110,00

 

Artero Tempranillo – Merlot Reserva 2011 – elaborado com 65% Tempranillo e 35% Merlot, vinhas de mais de 20 anos, com amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho francês e americano de 1º, 2º e 3º usos. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso com halos de evolução. Os aromas mostram fruta vermelha, frutas passificadas,  tostados e toque balsâmico. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, taninos firmes, bem integrados e acidez equilibrada. Bom final com o frutado e o toque balsâmico se mostrando. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 129,00.

 

La Hormiga Roja Monastrel 2014 – elaborado com 100% Monastrel , com amadurecimento em tanques de inox. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante Os aromas mostram frutas vermelhas (cereja, framboesa), geléia de morango, toque de ervas e especiarias. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos finos e bem integrados ao frutado, acidez  pontual. Bom final com o frutado se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 81,00.

 

Finca Enguera Crianza 2012 – elaborado com  Monastrell (Mourvèdre) e Tempranillo, com envelhecimento de 12 meses em carvalho francês e americano. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram cereja, amora, framboesa, cramberry, especiarias e algo de herbáceo. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e bem integrados, acidez equilibrada e um toque balsâmico. Longo final com frutado evidente. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 128,00.

 

Benjamin Romeo Predicator 2013 – elaborado com  96% Tempranillo, 2% Garnacha, 1% Graciano e 1% Mazuelo, vinhas de 15 parcelas diferentes, entre 20 e 35 anos. Envelhecimento de 16 meses em barricas de carvalho francês com um ano de uso. Teor Alcoólico de 14,6%. A coloração é de um rubi, de alta intensidade e muito brilho. Os aromas são complexos e mostram  frutas vermelhas e negras, madeira fina, especiarias e notas minerais. Na boca as sensações do olfato se repetem, com taninos potentes e bem integrados, acidez equilibrada e o toque mineral presente. Longo final frutado, complexo, com a madeira se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 480,00. Observação: foram utilizadas ainda uvas que normalmente são destinadas para a produção de La Viña de Andrés Romeo e Contador, que não foram elaborados nessa safra

 

Publicado em: 18/07/2016

Terrassos Syrah 2012

 

 

A Vinícola Terrassos está  localizada no Km. 137, da SP 352,  estrada de Amparo à Itapira. A vinícola, com 10 hectares, está localizada numa área privilegiada, cerca de uma reserva florestal em uma altitude de 870 metros. Com uma construção que lembra vinícolas da Toscana, tem no comando Luiz Nascimento e o filho Fábio Luiz do Nascimento, engenheiro de produção formado pela Politécnica de São Paulo, autodidata, que adquiriu o conhecimento enológico através do estudo de várias publicações, nacionais e internacionais e  com experiência de vinificação no Brasil e em Israel.  Formado em "Master Cellar" pelo instituto acadêmico Tel Chai em Israel  mundo  tendo, ainda, o  certificado da instituição Inglesa WSET, nível 3 (avançado) em Vinhos e Destilados. . Utiliza-se a tecnologia  da poda invertida, que permite a colheita das  uvas  em condições ideias de maturação no inverno, alcançando níveis impossíveis nas condições de nosso verão. 

 

Terrassos Syrah 2012 – foi elaborado com 100% da cepa, sem passagem por madeira, filtração ou clareamento. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante, com média transparência. Os aromas mostram complexidade, com  frutas vermelhas (morango, cereja, framboesa), leve toque de especiarias, algo floral e mentolado. Na boca as sensações olfativas se repetem, num corpo médio e taninos suaves, bem integrados. Agradável final com floral se mostrando. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 35,00, na Vinícola.

 

Publicado em: 14/07/2016

Ridge Three Valleys 2011

 

 

Ridge Vineyards é uma adega californiana especializada emvinhos  premium de Cabernet Sauvignon , Zinfandel , e Chardonnay. As instalações da adega original estão localizados a uma altitude de 700 m, em Monte Bello  (Santa Clara) , na Santa Cruz Mountains  (sul de Los Altos), e oeste de Cupertino, Califórnia . As outras instalações da adega de Ridge estão em Lytton , no Dry Creek Valley AVA , Sonoma County .   Embora Ridge Vineyards tenha sido fundada no início dos anos 1960, a produção de vinho em Monte Bello tem uma história muito mais antiga. Vinhas foram plantadas pela primeira vez em Monte Bello Ridge  por Osea Perrone, um médico imigrante italiano , em 1885. O primeiro vinho Monte Bello foi produzido em 1892. A vinha em Monte Bello passou pelas mãos de vários enólogos amadores até que foi comprado em 1959 por David Bennion , Charles Rosen , Hewitt guindaste , e Howard Zeidler , todos os engenheiros do Stanford Research Institute (SRI) . Ridge Vineyards produziu o seu primeiro vinho  comercial, o Monte Bello Cabernet Sauvignon, em 1962. Em 1987  a Ridge Vineyards foi adquirida por uma empresa japonesa, a Otsuka EUA, uma subsidiária da Otsuka Pharmaceutical Co Ltd , produtora de bebidas nutricionais e outros produtos farmacêuticos operando um centro de vinificação experimental perto de Fuji, no Japão. A reputação internacional do vinho Monte Bello produzido por Ridge Vineyards foi estabelecida quando alcançou o quinto lugar no "Julgamento de Paris" , contra nove outros vinhos franceses e da Califórnia. Monte Bello Cabernet Sauvignon foi aclamado em competições subseqüentes, incluindo o julgamento de Paris 30th Anniversary , a reanálise no 30º aniversário dos mesmos vinhos tintos avaliados em 1976. Nesta prova , realizada simultaneamente nos EUA e no Reino Unido, os juízes de ambos os países classificaram o Ridge Monte Bello em primeiro lugar entre os vinhos julgados. Em 1991, Ridge Vineyards comprou a vinha Lytton,  no Vale AVA Dry Creek . Práticas orgânicas foram introduzidas e os primeiros vinhedos foram certificados em 2011. Hoje é o maior produtor de uvas cultivados organicamente em Sonoma County, e na denominação Santa Cruz Mountains.  Em 2014 Ridge Vineyards foi eleita a melhor adega na América .

 

Ridge Three Valleys 2011 – elaborado com 65% Zinfandel (de  três vinhedos distintos), 20% Petit Syrah, 9% Carignam, 3% Mataro, 2% Alicante Bouschet e 1% Grenache, de vinhedos orgânicos. Amadurecimento de 10 meses em carvalho, sendo 10% novos, 32% de 1 e 2 anos e 58% de 3 a 6 anos. Teor Alcoólico de 13,8%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram framboesa, cereja, amora, anis, algo picante, baunilha e algo balsâmico. Na boca as sensações do olfato se repetem, num ótimo corpo, suculento, com taninos suaves e bem integrados, acidez equilibrada e toque adocicado. Longo final com o frutado e a baunilha se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos. Um presente do Dr. Alexandre Parma. Observação: obteve 91 pontos Wine Enthusiast.

 

Publicado em: 14/07/2016

Redução do IPI do vinho

 

 

A perda de competitividade e as dificuldades enfrentadas pela vitivinicultura brasileira em função dos impostos incidentes sobre a cadeia produtiva pautaram reuniões realizadas na manhã de ontem e na tarde de terça-feira, em Brasília, de representantes do setor e políticos gaúchos, com o Ministro da Casa Civil, Elizeu Padilha, com o Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e com o presidente interino, Michel Temer. O objetivo foi mobilizar o Governo Federal para a emissão de decreto que estabeleça a redução para o IPI dos vinhos e licores em 5% e das cachaças em 17%.

 

“Com a alta carga tributária ocorre um aumento de custos que é repassado ao consumidor. Isso acaba diminuindo as vendas, gerando menor retorno para o governo em impostos, o que não é benéfico para ninguém”, resumiu o diretor de Relações Institucionais do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Carlos Paviani.

 

Na reunião da manhã ontem, com Padilha – que demonstrou grande receptividade ao tema –, também estiveram presentes representantes do Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac) e da Associação Brasileira de Exportadores e Importadores de Alimentos e Bebidas (ABBA). O encontro ocorreu após articulação entre o setor vitivinícola e o líder do governo na Câmara dos Deputados, André Moura, o deputados Afonso Hamm e Mauro Pereira, coordenador da Frente Parlamentar de Defesa e Valorização da Produção Nacional de Uvas, Vinhos, Espumantes e Derivados e a senadora Ana Amélia Lemos.

 

Já a apresentação dos argumentos sobre a redução do IPI feita por Paviani e por Hamm para Temer e Maggi ocorreu na tarde de terça-feira, durante reunião da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA).

 

O deputado Afonso Hamm salientou que o setor de bebidas artesanais brasileiro tem perdido competitividade no mercado, especialmente em relação aos produtos importados, consequência da tributação que incide sobre as vinícolas, os alambiques e as microcervejarias. “O vinho, por exemplo, foi tributado de forma exorbitante, em média 300% a mais, o que tem prejudicado a produção. E, a cada dez garrafas de vinhos consumidos no Brasil, oito são de vinhos importados”, relata.

 

De acordo com Hamm, Temer foi receptível ao tema e se comprometeu em dar sequência ao assunto. O presidente recebeu duas garrafas de vinhos da Serra Gaúcha e da região da Campanha das mãos do deputado e do diretor do Ibravin.

 

Na reunião com o ministro Padilha também participaram os deputados federais Giovani Cherini (PR/RS), Nelson Marquezelli (PTB/SP), Domingos Sávio (PSDB/MG), Edinho Bez (PMDB/SC), Ronaldo Benedet (PMDB/SC) e Herculano Passos (PSD/SP).

 

Fonte: IBRAVIN

 

Publicado em: 14/07/2016

Premiação dos vinhos da Aurora

 

A Vinícola Aurora encerra o mês de junho com a conquista de 16 medalhas em competições internacionais realizadas em quatro países. O mais recente foi o The Best Of Wine Weekend, realizado no dia 26, que elegeu os melhores vinhos inscritos que estariam à venda na feira Wine Weekend 2016, realizada em São Paulo de 31 de junho a 3 de julho, na Bienal do Ibirapuera, com rótulos de todas as regiões produtoras do mundo. Nesse concurso, três vinhos da Vinícola Aurora foram consagrados como os melhores em suas categorias: “Vinho Doce de Ouro 2016” com o Aurora Colheita Tardia 2015 e “Vinho Tinto de Ouro” com oAurora Millésime 2012 e o Aurora Pequenas Partilhas Notáveis da América Carmenère 2014. No The Best Of Wine Weekend a vinícola recebeu ainda duas medalhas de prata para os vinhos Aurora Reserva Chardonnay 2015 e Espumante Aurora Procedências Brut Rosé e uma de bronze, para o Pequenas Partilhas Notáveis da América Cabernet Franc. Este mesmo Pequenas Partilhas acabara de receber medalha de ouro no México, no Concurso Internacional Ensenada Tierra del Vin, certame internacional organizado pela Universidade Autônoma de Gastronomia de Baja California, realizado de 10 a 12 de junho.

 

 

 

Com o Espumante Aurora Moscatel Branco, a vinícola recebeu medalha de ouro no Sélections Mondiales des Vins, em Quebec (Canadá), concurso que rendeu à Aurora outras duas de prata, para os espumantes Aurora Brut e Marcus James Brut. O concurso do Canadá confirmou a excelência do Espumante Aurora Moscatel, o produto mais premiado da vinícola que em fim de maio recebeu medalha de ouro também no Cittadelles du Vin, concurso internacional realizado durante a Vinexpo, em Bordeaux (França).

 

 

 

As outras seis medalhas da Aurora em junho foram conquistadas no Decanter World Awards 2016, o disputado concurso realizado pela mais importante publicação de vinhos do mundo, a britânica Decanter. Medalha de prata para o Espumante Aurora Brut, medalhas de bronze para os vinhos Aurora Procedências ChardonnayAurora Reserva Merlot e dois vinhos da marca de exportação Brazilian Soul (muito bem posicionada em importantes redes de varejo no Reino Unido): Cabernet Sauvignon e Moscato Espumante, além de uma menção honrosa para o Brazilian Soul Premium Selection Tannat.

 

 

 

Fonte: Vinícola Aurora

 

Publicado em: 14/07/2016

Astica Torrontes 2011

 

 

Bodegas Trapiche nasceu em 1883. Sua história remonta a um pequeno vinhedo chamado El Trapiche, na cidade de Godoy Cruz, onde começou a produção de vinhos finos. Com mais de 130 anos de experiência, Trapiche é reconhecida como uma marca pioneira em aspectos como: a introdução de videiras francesas, a produção de vinhos varietais, barris de carvalho importados da França e da utilização de tanques de aço inoxidável. Fiel à sua história, hoje Trapiche continua todos os dias em busca de novas e melhores práticas. Trapiche está localizado na cidade de Maipu, rodeado por uma paisagem natural. O edifício foi construído em 1912 com um estilo florentino e é reconhecido como um ícone da arquitetura Mendoza vinificação. Possui 6 hectares de vinhedos biodinâmicos , com 5 anos de Idade e 55 ha de vinhedos orgânicos. Vendem para 83 países.

 

Astica Torrontes 2011 – elaborado com 100% Torrontes, sem passagem por carvalho. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um amarelo esverdeado com traços dourados. Os aromas mostram frutas cítricas e toques florais. Na boca repete as sensações do olfato, com uma acidez equilibrada, que lhe dá frescor, e leve mineral. Bom final, com os cítricos se mostrando. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 36,49, na Adega do Vinho. Acompanhou Lula à dorê e foi bem.

 

Per Bacco. Todos os direitos reservados.2016