Publicado em: 18/01/2017

Tremendus Garnacha+Viura 2014

 

 

A Bodega Honorio Rubio está localizada dentro da principal região vinícola da Espanha, no município de Cordovin (coração do vinho), em Rioja Alta, a noroeste da província de La Rioja, a 630 metros de altitude. Com instalações modernas, dotada de tecnologia de ponta, é considerada uma das bodegas mais bem equipadas de Rioja.  Honorio Rubio não trabalha variedades de uvas que não sejam autóctones da região de Rioja. Elabora seus vinhos sempre reivindicando a defesa das videiras locais, como a: Viura, Tempranillo e Garnacha, totalmente adaptadas ao clima de Rioja. Na linha Tremendus, defende fervorosamente o retorno às origens com o Clarete (vinho de uma noite), garnacha 100% ou viura 100%, inclusive dedicando a eles poesias que transparecem sua paixão pelos vinhos. Trata-se de uma linha atrevida, tanto em conceitos de elaboração, técnica meticulosa e apaixonada, quanto no nome da linha cujo significado é Tremendo. 

 

Tremendus Garnacha+Viura 2014 – elaborado com 70% Garnacha e  30% Viura, com amadurecimento de 6 meses sobre borras finas. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi leve, com toques violáceos e muito brilho. Os aromas mostram framboesa, cereja, amora, toques florais e algo de mineral. Na boca as sensações do olfato se repetem, num corpo leve, taninos suaves e acidez equilibrada. Agradável final, com o toque mineral se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 54,90, na Vinum Day.

 

Publicado em: 17/01/2017

Acabou indicação de puttonyos

 

 

 

O famoso vinho doce da região húngara Tokaj tornou, agora, a vida dos consumidores mais facilitada, eliminando a indicação de “puttonyos”. A sua classificação era complexa, como a de tantas especialidades vínicas por este mundo fora, sendo feita por quantidade de “puttonyos” e por nomenclatura. Por exemplo, o mais doce de todos é o Tokaji Eszencia com um mínimo de 450 gramas de açúcar por litro e grau alcoólico que pode ir de 1,2% até 8% (tradicionalmente servido numa colher especial húngara). Já o segundo mais doce chama-se Tokaji Aszú, que hoje tem de ter, pelo menos, 120 gramas de açúcar por litro e 9% de álcool, mas que até agora também era classificado numa escala de 3 a 6 “puttonyos”, em que 3 era o menos doce e 6 o mais doce, algo que acabou. As restantes categorias, Szamorodni, Forditás e Máslás, mantêm-se. Os vinhos de Tokaj mais reconhecidos são os feitos com uvas afectadas pelo fungo Botrytis Cinerea, a chamada “podridão nobre”. No entanto, estas últimas três categorias também produzem Tokaji seco.

Fonte: Revista de Vinhos

 

 

Publicado em: 17/01/2017

Chateau de Pourcieux Rosé 2014

 

 

 O Chateau de Pourcieux é propriedade da família do Marquês d’Espagnet, sendo que muitos dos anos de suas vidas também foram dedicados ao Parlamento de Provence. Um belo exemplo da arquitetura provençal, em 1993, o château foi registrado no inventário oficial de monumentos históricos. Desde tempos imemoriais, tem sido um local importante da viticultura e está entre as vinhas mais veneráveis da Provence. Vestígios romanos testemunham sua história; sob o château suas caves contem cubas monumentais que datam do século XVIII e uma coleção de barricas de carvalho que foram montadas no local e ainda estão em uso hoje. Desde 1986 Michel d’Espagnet perpetua a tradição da família em estreita colaboração com seus colegas, o “maître de chai”, Jean-Christophe de Boisgelin, e sua enóloga, Bernadette Tourrel.

 

Chateau de Pourcieux Rosé 2014- elaborado com Syrah, Grenacvhe e Cinsault, que  são vinificadas separadamente, sendo que a sangria do vinho é feita após maceração pelicular de quatro a seis horas a uma temperatura controlada. As variedades ficam então separadas em seus tanques para clareamento, filtração e posterior blend. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um salmão bem clarinho, lembrando pele de cebola, com muito brilho e limpidez. Os aromas mostram framboesa, morango, toque mineral e algo floral. Na boca apresenta frescor, equilíbrio e elegância, repetindo as sensações do olfato, com ótima acidez. Agradável final com o toque floral se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos. Oferecido pelo Osvaldir Filho.

 

Publicado em: 15/01/2017

Terra de Lobos Rosé 2015

 

 

Mais de 1100 hectares de terreno e uma tradição agrícola e vitivinícola, que ascende já a 200 anos, caracterizam esta propriedade que, desde 1775, se mantém na família Cruz Sobral. Pioneira em inovação tecnológica no Ribatejo, a quinta situada a poucos quilómetros de Almeirim acaba de sofrer nova remodelação na sua adega de 1817 (a primeira a vapor da região), uma aposta pela qualidade que sempre marcou a sua produção. Na margem esquerda do rio Tejo, as vinhas ocupam 140 hectares e possuem uma idade média de 30 anos, compondo-se sobretudo por típicas castas portuguesas: Fernão Pires, Castelão, Trincadeira e Touriga Nacional. Syrah, Merlot, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Alicante Bouchet foram as castas estrangeiras recentemente introduzidas, completando a área de exploração vitivinícola. Produz os vinhos Falcoaria, Capucho, Terra de Lobos, Quinta do Casal Branco e Espumante Monge.

 

Terra de Lobos Rosé 2015 – elaborado com Touriga Nacional (60%) e Syrah (40%), sem passagem por madeira. A coloração é de um cereja claro, com muito brilho. Os aromas mostram cereja, framboesa, morango e algo floral. Na boca apresenta taninos leves, alta acidez, que lhe confere frescor e leveza. Agradável final com o toque floral se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 60,00, no Restaurante Don Léon. Acompanhou uma paella valenciana.

 

Publicado em: 14/01/2017

Especial de Verão (2) no sábado da Bekaa

 

 

Mais uma degustação especial de Verão marcou o sábado na Bekaa. Foram degustados vinhos oferecidos a preços especiais, como tradicionalmente a Bekaa faz em janeiro. Esses vinhos integram uma relação de excelentes rótulos, com ótima relação custo/qualidade, que podem ser adquiridos na Bekaa Delicatessen

 

A família Mas tem uma longa história de vinhedos no Languedoc-Roussillon onde elabora vinho desde 1892, mas foi Jean-Claude Mas quem levou o negócio ao que é hoje. Com um olhar de Novo Mundo sobre toda a região, a vinícola possui 170 ha, com propriedades em Pézanas, Montagnac e Limoux, além de parcerias em 700 hectares. Sua linha de rótulos varietais Vin de Pays d’Oc de qualidade inclui La Forge Estate e Arrogant Frog.  Saliente-se que  os vinhos não são orgânicos, todavia, possuem certificado “Terra Vitis” que significa que o Domaine Paul Mas trabalha de acordo com as normas da “agricultura sustentável”. 

 

Arrogant Frog Tutti Frutti Blanc 2014 – elaborado com  25%  Chardonnay, 20%  Grenache Blanc, 10%  Vermentino, 4% Viognier, 30% Colombard, 8%  Sauvignon Blanc e 3%  Muscat, produzidos em vinhedos de 5 a 28 anos, com amadurecimento em tonéis de inox. Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de um amarelo palha, com nuances esverdeadas e muito brilho. Os aromas mostram maracujá, pera, maçã,  frutas cítricas e toques herbáceos. Na boca essas sensações olfativas se repetem, com um toque de acidez que lhe dá frescor. Um final agradável frutado e floral. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 66,00.

 

 

 

Glen Carlou Vineyards, localizada no Paarl Valley, Africa do Sul, foi criada em 1985 e desde 2003 pertence ao Grupo Hess, que possui o Artezime no Napa, Sequana no Russian River (Califórnia), Bodega Colomé, na Argentina e a maior parte de Peter Lehmann Wines, na Austrália. Na vinícola, além da produção de vinhos que tem sido destaques pela qualidade, existe uma das maiores Coleções Privadas de Arte Contemporânea do Mundo, oferecendo aos visitantes uma oportunidade de visitações e degustações, com destaque para o serviço oferecido pelo enólogo David Finlayson . 

 

Glen Carlou Sauvignon Blanc 2013 – elaborado com 100 % Sauvignon Blanc, com amadurecimento de 4 meses sobre as lias em cubas de inox.  Teor Alcóolico de  13%. A coloração é de um amarelo palha brilhante com toques verdeais. Os aromas são intensos e nítidos, com grapefruit, groselha, kiwi, pêssego em calda e leve cítrico. Na boca mostra um ótimo frescor, repetindo as sensações olfativas e um pêssego intenso que permanece no agradável final em meio a algo crocante. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 94,00.

 

 

 

O Grupo Peñaflor nasceu a partir da integração de adegas prestigiosas e antigas, e é hoje o maior exportador de vinhos da Argentina. Pertencem ao grupo: Finca Las Moras, Trapiche, Bodegas El Esteco, Bodegas Santa Ana, Bodegas La Rosa, Suter e  Andean Viñas. São 6140 hectares de vinhedos, localizados em Salta, Catamarca, San Juan e Mendoza. Finca Las Moras é uma vinícola pioneira dedicada à elaboração de vinhos de alta qualidade em San Juan desde a reestruturação das vinhas em 1993 por Richard Inteligente. Os vinhedos estão rodeados por amoreiras e, portanto, o nome para a adega. Finca Las Moras, com mais de 1.100 hectares de vinhedos plantados em diferentes vales, está focada em sustentabilidade.

 

Chloe Pinot Noir 2013 – elaborado com 100% de Pinot Noir, da região de Los Árboles, Valle de Uco, La Picada e Ugarteche, Mendoza. Amadurecimento sobre borras  de 9 meses em barricas novas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas (framboesa e morango), especiarias e notas amadeiradas. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves e bem integrados, acidez equilibrada e frescor. Bom final com o frutado se mostrando. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$89,00. 

 

 

 

Pago de Montal nasceu no início de 2008, parte do complexo enológico Ramón Roqueta, está localizada em Fuente-Álamo, na província espanhola de Albacete. Sua especialidade é a Monastrell, apesar de haver também vinhedos de Grenache, Syrah, Macabeo e Airen, todas típicas da região.A filosofia da vinícola é clara: obter vinhos de terroir, cor intensa e sabor, expressando a pureza do sabor varietal nativa. A adega possui 27 ha. principalmente vinhas de Monastrell. 

 

Pago de Montal Garnacha 2008 – elaborado com 100% Garnacha, com amadurecimento de 4 meses em barricas de carvalho francês de 2° e 3° uso. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intensoe brilhante Os aromas mostram cereja, framboesa, especiarias, notas de chocolate , frutas secas, alcaçuz e toque de tostado. Na boca as sensações do olfato se repetem num bom corpo, taninos suaves e bem integrados, acidez equilibrada. Bom final com o chocolate se mostrando. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$70,00. 

 

 

 

Jean-Luc Thunevin foi o responsável por criar uma nova categoria de vinhos na tradicional Bordeaux; os vinhos de “garagem”. Consagrado no mundo do vinho, esse francês nascido na Argélia, entãocolônia francesa, junto com sua mulher Murielle, desenvolveram um novo império do vinho, galgado em muita tecnologia, estudo, intuição, sorte e muito trabalho como o mais inovador e revolucionário produtor de vinhos do mundo, tem os seus produtos consumidos e admirados nos quatro cantos do planeta.

 

Calandray Reserve  2013 – elaborado com 80% Grenache e 20% Carignan, com amadurecimento de 10 meses em madeira. Teor Alcoólico de 15,5%. A coloração é de um rubi com nuances roxo, límpido e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas (cereja, framboesa, amora), alcaçuz, cacau, algo floral e toque de madeira. Na boca apresenta bom corpo, taninos suaves, bem integrados ao frutado e um leve adocicado. Longo final com amadeirado presente. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 77,00.

 

 

 

Fundada em 1975,a  Bodega Cavas de Weinert  está localizada em Lujan de Cuyo. O edifício da antiga arquitetura espanhola, um remanescente de uma antiga adega em Mendoza,  que pertenceu à família Otero até 1920. Bernardo C. Weinert, chamado de “Don Bernardo” na Argentina,  fundador e proprietário, pode ser definido como um empreendedor. Nascido em uma pequena colônia alemã no sul do Brasil, montou a sua história de negócios em transportes internacionais na América do Sul. Adquiriu a cantina construída em 1890, fez as reformas necessárias, estabeleceu um estilo para os vinhos (a marca registrada é de envelhecimento por no mínimo dois anos antes de lançar no mercado) e colocou os rótulos à venda a partir de 1976.

 

Carrascal Reserva Cabernet Sauvignon 2012 – elaborado com 100% Cabernet Sauvignon de vinhedos de 30 a 60 anos de Luján de Cuyo. Envelhecido 24 meses em grandes tonéis neutros. Teor Alcoólico: 14% .A coloração é de um rubi de média intensidade e borda mais clara. Os aromas mostram frutas vermelhas, pimenta preta, pimentão verde e algo de alcaçuz, cravo e canela. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves e bem integrados, acidez equilibrada e toque herbáceo. Agradável final, com a fruta se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 92,00.

 

 

 

 

 

Publicado em: 12/01/2017

Degustação de Sul da Italia na Confraria do Vinho

 

 

A Confraria do Vinho de São José do Rio Preto realizou, na noite de ontem, a sua reunião do mês de janeiro, tendo por local  o Restaurante Grand-Père, do Hotel Saint Paul. Presentes:  Achiles, Edilberto, Horacio,  Osvaldir, Lorga, Florêncio, Angelo e Tognola .  A seleção da noite foi feita pelo Horacio, tendo na  pauta Vinhos do Sul da Itália. Como aquecimento tivemos o AIA Vecchia Vermentino 2013. Vamos aos vinhos degustados, com as médias de avaliação e a classificação.

 

01 – Feudo  Maccari Maharis 2013 –  Média 92/100 Pontos – 2º. Lugar

 

02 – Feudo Maccari Saia Nero D’Avola  2011 – Média 92/100 Pontos – 3o . Lugar

 

03 – Villa Matilde Camarato 2005 – Média 89/100 – 5º. Lugar

 

04 - San Marzano Sessantani Primitivo di Manduria 2013 – Média 94/100 Pontos – 1º. Lugar

 

05 – Villa Matilde Taurasi 2007 – Média 90/100 – 4º. Lugar

 

Vamos aos comentários sobre os vinhos degustados, com a minha avaliação.

 

Aia Vecchia,  nome de um antigo edifício situado na zona rural toscana entre Bolgheri e Castagneto Carducci e próximo da costa do Tirreno, é o centro da adega hoje. A propriedade consiste em 104 acres divididos em duas propriedades em Bolgheri e Maremma Grossetana . Na zona de Bolgheri são plantadas: Merlot, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot, utilizadas para a produção de dois dos vinhos emblemáticos: "Lagone" e "Sor Ugo". Na adega situada em Castagneto Carducci há 2.000 barricas. O Morellino di Scansano e o Vermentino são produzidos na propriedade de Magliano in Toscana (Grosseto), onde a família Pellegrini possui 74 acres plantados com uvas Sangiovese, Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Vermentino e Viognier.

 

Aia Vecchia Vermentino 2013 – elaborado com 95% Vermentino e 5% Viognier. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um amarelo palha com reflexos verdes. Os aromas mostram damasco, pêssego, cítricos e toques florais. Na boca apresenta um corpo médio e ótimo equilíbrio entre acidez e mineralidade, com muito frescor. Bom final, com o cítrico se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 59,90, na Vinum Day.

 

 

A cantina Feudi di San Marzano, em Apulia, é o mais recente projeto de Valentino Sciotti. Ele é um homem que não somente sonha grande, com também tem visão, determinação e profissionalismo para certificar que seus sonhos se realizem. No caso da cantina Feudi di San Marzano, o conceito de Sciotti é muito simples. Ele achou a Cantina Social di San Marzano por acaso, com sua grande tradição em produção de vinho, e imediatamente viu que ali havia potencial.Com pequenas mudanças na adega, que já era um estado de arte, e instalando o brilhante Mario Ercolino como chefe para os produtores de vinho, ele foi capaz de produzir vinhos modernos com notável expressão.

 

San Marzano Sessantani Primitivo di Manduria 2013 - elaborado com 100% Primitivo, a partir de Vinhedos selecionados de Neviera e Casa Rossa, localizado no distrito de San Marzano. Amadurecimento de 12 meses em carvalho francês.Teor Alcoólico de 14%. A coloração  é de um rubi intenso e profundo com muito brilho. Os aromas  são complexos mostrando frutas maduras (amoras, cereja, ameixa, figo), além de frutas em compota, alcaçuz especiarias e toques de tabaco e chocolate. Na boca apresenta um corpo volumoso , taninos potentes, repetindo as sensações do olfato e acidez em equilibrio. Um longo final com café se mostrando. Avaliação: 97/100 Pontos. Preço: R$ 260,00, na Grand Cru de Rio Preto.

 

 

 

Feudo Maccari localizada à esquerda da península do Peloponeso e à direita do que um dia foi Cartago,  abrange cerca de 1.000 sepulturas, (antiga unidade de medida da ilha da Sicília para o monte que 1 é igual a 1.744 metros quadrados), dos quais cerca de 450 na vinha, divididos em três corpos acariciadas pela brisa do mar. A aventura de Moretti começou em 2000, com as primeiras compras. O ponto mais alto da empresa é um terraço sobre o mar Jónico  e no distrito Gerbi Timponazzo.

 

Feudo Maccari Saia Nero D’Avola  2011 –elaborado com 100% Nero d’Avola, com amadurecimento de 6 meses em barricas francesas e 6 meses em garrafas. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e concentrado. Os aromas mostram  frutas vermelhas (cereja, framboesa), geleias de frutas vermelhas, especiarias, chocolate, caixa de charutos e algo terroso. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes, repetindo o frutado do olfato e mostrando grande complexidade. Longo final com muita fruta e chocolate. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 249,00, na Grand Cru de Rio Preto.

 

Maharis era o  nome das torres de vigia que os árabes usavam para fiscalizar a costa do mar.

 

Feudo  Maccari Maharis 2013 -  elaborado com 100% Syrah, com idade de 30 a 40 anos. Passagem de 12 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um intenso rubi, com reflexos púrpura. Os aromas mostram frutas pretas, cacau, café, tostados, toques de alecrim e notas balsâmicas. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos potentes e integrados, repetindo as sensações olfativas e um picante de notas de fumaça, que permanecem no longo final. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$320,00, na Grand Cru de Rio Preto. Observação: Maharis era o  nome das torres de vigia que os árabes usavam para fiscalizar a costa do mar. Esta foi a primeira safra elaborada com 100% Syrah.

 

 

 

Ainda na década de 1960, Francesco Paolo Avallone, um advogado apaixonado por vinhos antigos, deu os primeiros passos para a fundação da hoje conhecida vinícola Villa Matilde. Por conta de seu interesse, teve uma ideia inusitada: trazer de volta à vida, séculos depois, o vinho Falernum, descrito nas contas de Plínio e na poesia de Virgílio. Com a ajuda de um grupo de amigos, incluindo professores do departamento de Ciências Agrárias da Universidade de Nápoles, Avallone foi capaz de identificar, depois de anos de estudo, as variedades de uva que tinham produzido o vinho no tempo dos romanos. Os fazendeiros locais também se envolveram no processo e replantaram um punhado de vinhas que, milagrosamente, sobreviveram à devastação da filoxera no final do século 19. E no Monte Massico, foi fundada a vinícola. Hoje, ela é gerida pelos filhos do advogado, Francesco Paolo, Maria Ida e Salvatore Avallone, que se dedicam única e exclusivamente ao sonho e projeto de seu pai. Eles não só valorizam o vasto patrimônio herdado, mas seguem olhando adiante, com novas plantações e novos projetos, que expressam toda a identidade e caráter da pitoresca região da Campanha.

 

Villa Matilde Camarato 2005 – elaborado com 80% de Aglianico e 20% de Piedirosso, com amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho, sendo 1/3 novas, 1/3 de segundo uso e 1/3% de terceiro uso e mais 18 meses em garrafa. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi médio e brilhante. Os aromas mostram frutas negras e vermelhas maduras, chocolate, pimenta-do-reino, geleia de frutas, café, baunilha, alcaçuz e toque floral. Na boca as sensações do olfato se repetem, num bom corpo, taninos firmes e acidez equilibradsa. Bom final com o alcaçuz se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$545,00, na Grand Cru de Rio Preto.

 

Villa Matilde Taurasi 2007 – elaborado com 100% Aglianico, com amadurecimento de 18 meses em carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram ameixa, amora, frutas secas, especiarias, alcaçuz e toque floral. Na boca as sensações do olfato se repetem, num bom corpo, taninos suaves, bem integrados e acidez equilibrada. Bom final frutado, com o floral se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 460,00, na Grand Cru de Rio Preto.

 

Publicado em: 11/01/2017

A Festa da Vindima no Spa do Vinho

 

 

O Hotel & Spa do Vinho, no Vale dos Vinhedos, tem uma programação especial para a Festa da Vindima, com alta gastronomia, lazer, relaxamento e bem-estar com 2 diárias.
Válidas nos finais de semana de 27 de janeiro a 28 de fevereiro de 2017 (exceto 24 a 28/02/2017).


– O pacote inclui: check-in com Coquetel Temático Italiano, Hallo Moment Mixologia, Jantar Temático “História da Vindima no Vale dos Vinhedos”, serviço de Boa Noite com Kit Festa da Colheita no primeiro dia. Prima Collazione – Café da Manhã Colonial, Festa da Colheita – Almoço Típico com Colheita e Pisa das Uvas, Noite de Queijos & Vinhos no segundo dia. Café da Manhã à francesa no Leopoldina Restaurante e Brunch no Leopoldina Restaurante no terceiro dia.


– Sua estadia inclui também: degustações orientadas na Adega Spa do Vinho. Atividades Esportivas & de Lazer (Grupos Limitados às Sextas-feiras, Sábados, Domingos e Feriados – Informações e Inscrições na Conciergerie). Acesso ao Terroir de Bem-Estar, Estacionamento, Bistrô Sabrage, Health Center, Quadras de Tênis, Sala de Jogos, Charutaria, Biblioteca, Lavanderia, Internet Wi-Fi e Lan House.


– Valores do pacote de colheita: Apartamento Regencial Solteiro: R$ 2.066,00 / Apartamento Regencial Duplo: R$ 3.158,00 / Suíte Príncipe Casal: R$ 3.598,00 / Suíte Régia Casal: R$ 3.798,00. Você pode personalizar sua experiência no Spa do Vinho.


O hotel possui política de acomodações e opções variadas de pagamento. Solicite maiores informações no momento da reserva. Informações e reservas no 54.2102.7200 ou reservas@spadovinho.com.br

 

Publicado em: 11/01/2017

Piquenique na Larentis

 

 

A Vinícola Larentis tem uma programação especial para  a Festa da Vindima 2017. Em meio aos parreirais da vinícola você pode desfrutar de um delicioso piquenique. Cesta com pão, tábua de frios (queijo, salame e copa), geleias (uva e figo), toalha xadrez, almofada, uma garrafa de vinho ou de espumante ou de suco a cada duas pessoas, e uma taça colorida personalizada por pessoa como brinde.Também são realizadas visita e degustação sem custo adicional.

 

Valores: R$70 por pessoa. Crianças de 05 a 14 anos, R$30. O pagamento é no dia, não se aceita cartão de crédito e débito.

 

O espaço é disponibilizado das 14 às 18 horas aos sábados e domingos, mediante agendamento antecipado.

 

Informações e reservas: 54.3453.6469 ou larentis@larentis.com.br

 

Publicado em: 11/01/2017

Boscato Gran Reserva Merlot 2008

 

 

Boscato Gran Reserva Merlot 2008 – elaborado com 100% Merlot, de vinhedos próprios em Nova Pádua. Amadurecimento de 10 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 12,8%. A coloração é de um rubi profundo e brilhante, com halos violáceos. Os aromas mostram frutas vermelhas, especiarias (cravo, canela) café e chocolate. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos suaves, repetindo as sensações do olfato, acidez equilibrada. Longo final frutado, com o chocolate se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 127,00, na Vinhos & Sabores.

 

Publicado em: 10/01/2017

Na Pousada Valduga

 

 

Na Pousada da Casa Valduga uma programação especial. Para a Vindima, além do tradicional pacote de final de semana, com hospedagem e alimentação na possibilidade de 2 ou 3 diárias, oferecere uma experiência diferenciada para quem o adquirir: um resgate histórico, através do café da manhã sob os vinhedos e a colheita e pisa das uvas.

 


– O pacote de quinta a domingo (03 diárias) inclui: Check-in com Welcome Drink, jantar receptivo no restaurante Maria Valduga, café da manhã ao som de piano no primeiro dia, oficinas de Capeletti e Geleia de Uva, almoço com visita na Casa Madeira, visita a Domno e Cave de Pedra, jantar no Jardim Leopoldina. Café da Manhã servido sob os parreirais no dia da colheita, trabalho em campo nas videiras da família, almoço no típico Italiano no restaurante Maria Valduga, café da tarde, visita a Capela das Neves com palestra do Historiador Remy Valduga, visita a unidade de vinificação, pisa das uvas e jantar de encerramento com atração especial.

 


– O pacote de sexta a domingo (02 diárias) inclui: Check-in com Welcome Drink e jantar receptivo no Jardim Leopoldina. Café da Manhã servido sob os parreirais no dia da colheita, trabalho em campo nas videiras da família, almoço no típico Italiano no restaurante Maria Valduga, café da tarde, visita a Capela das Neves com palestra do Historiador Remy Valduga, visita a unidade de vinificação, pisa das uvas e jantar de encerramento com atração especial.Informações e  Reservas: http://www.casavalduga.com.br / reservas@famigliavalduga.com.br /54.2105.3154

 

Per Bacco. Todos os direitos reservados.2017