Publicado em: 01/09/2015

Um baile Imperial

 

Vivenciar a experiência única de estar em um luxuoso Baile Imperial com direito a banquete, alta gastronomia, figurino típico e trilha sonora original do século XIX. É com essa proposta que o Spa do Vinho realiza no próximo sábado, 5 de setembro o seu tradicional Baile Imperial. Inspirado nas grandiosas festas da corte portuguesa, o evento celebra o feriado da Independência em grande estilo. “Resgatamos em detalhes a atmosfera do período imperial para que os convivas sejam transportados para o século XIX. É uma experiência absolutamente sensorial, que nos permite conhecer um pouco mais da história e dos costumes daquela época, que apesar de tão importante do ponto de vista da história do nosso país, é muito pouco celebrada. É história viva, acontecendo diante dos nossos olhos”, revela a sócia-diretora do Spa do Vinho, Deborah Villas-Bôas Dadalt.

O Baile começa às 20h30min. Trombetas irão anunciar o seu início com a chegada da Corte em trajes de época. Já na entrada, os participantes serão presenteados com máscaras em couro características da época e poderão dançar valsas e minuetos, sendo embalados pela Orquestra Imperial. Ao som de Ópera, um grandioso Corpo de Baile reviverá acontecimentos marcantes do processo da Independência. Além do espetáculo, será possível degustar iguarias autênticas daquele tempo, como Tillapini, Bacalhau, Faisão e Stinco de Cordeiro, em cinco pratos assinados pelos chefs Felipe Pinelli e Evandro Comiotto. O banquete é harmonizado unicamente com vinhos brasileiros e todos os anos sedia o lançamento de um novo rótulo premium. Este ano será a vez do legítimo Merlot VE 2011, representante da D.O. Vale dos Vinhedos e elaborado pelo Condomínio Vitivinícola do Spa do Vinho em parceria com a Vinícola Miolo. Este vinho se tornou objeto de colecionadores por que é elaborado apenas em excelentes safras, em quantidades reduzidíssimas e ainda conta com a assinatura do enólogo Adriano Miolo. O VE 2011 será vendido unicamente dentro do Spa do Vinho, ao preço de R$ 170,00 a garrafa.

 

 

Publicado em: 01/09/2015

Degustação de José Maria da Fonseca

 

Publicado em: 01/09/2015

Lona apresenta e-book

 

Adolfo Lona está apresentando o seu e-book.

“Escrito por insistência de meu amigo Paulo Ledur da editora AGE, que ao perceber que todo o material acumulado dos Cursos de Vinhos realizados na De Lantier desde junho de 1988 poderia resultar numa obra didática e atual, o livro Vinhos e Espumantes - Degustação, elaboração e Serviço teve a finalidade de introduzir no mundo maravilhoso da uva e do vinho os novos apreciadores.
Procurei utilizar a linguagem fácil e descomplicada porque sobram pessoas que ao falar num enologés quase indecifrável distanciam as pessoas do vinho.
Recentemente acrescentei um longo capítulo sobre espumantes porque achei que este vinho mereceria um maior destaque devido à excelente performance comercial nas últimas décadas.
A decisão de fazer uma versão e-book foi tomada em conjunto com Ledur para possibilitar recoloca-lo no mercado já que a versão impressa estava esgotada há muito tempo e os custos não viabilizavam novas.
Busque seu exemplar no site da livraria Saraiva e boa leitura!!!


http://www.saraiva.com.br/vinhos-e-espumantes-degustacao-elaboracao-e-servico-9013069.html

 

Publicado em: 01/09/2015

Uma importadora diferenciada

 

Focada na importação de vinhos de produtores renomados pela altíssima qualidade, a VIND’AME, que tem Michael Schütte e Ana Cristina Lins como proprietários,  chega ao mercado com o compromisso de oferecer um portfólio que retrate a riqueza dos diversos terroirs de excelência.Com uma seleção refinada de rótulos, inicialmente focada no Velho Mundo, a VIND’AME tem como principal objetivo ser referência no mercado brasileiro para vinhos de terroir de altíssima qualidade.  

 Segundo Michael Schütte, sócio administrador da VIND’AME, “o mercado brasileiro foi invadido por vinhos produzidos industrialmente, não necessariamente de sabor ruim, mas que deixaram de lado a riqueza da origem, da diversidade de solos e microclimas, resultando em gradação de texturas e sofisticação de sabores, a verdadeira alma do terroir lapidada pelo viticultor”.

Atualmente, a VIND’AME traz vinhos de três países: Alemanha, França e Itália, num total de 73 rótulos. Em breve, pretende complementar o portfólio com outros produtores franceses e italianos, e introduzir vinhos da Espanha. O próximo passo será vinhos do Novo Mundo, sempre com o mesmo conceito de vinhos de terroir.

A empresa possui uma loja virtual (www.vindame.com.br/loja), um showroom em São Paulo e conta com a consultoria do Dr. Arthur Azevedo, na indicação dos produtores que são visitados por eles ao redor do mundo.

Fonte: Artwine

Publicado em: 31/08/2015

Sasyr 2011

 

Rocca delle Macie nasceu em 1973, quando Italo Zingarelli, o cineasta), decidiu realizar o sonho de sua vida através da compra do "Le Macie" - 85HA dos quais apenas dois vinhedos - para dar à luz a uma adega no coração de Chianti Classico. O amor e paixão para Toscana foram passadas aos filhos Sergio Italo, Sandra e Fabio. Em 1985, Sergio começou a trabalhar  com seu pai e em 1989, com sua esposa Daniela, que assumiu a liderança de empresa.  Simultaneamente, o irmão mais velho Fabio, que se tornou um arquiteto, pessoalmente supervisionou a renovação do povoado de Fizzano e a nova adega da empresa, e seguirá nos próximos anos com a restauração das várias propriedades. Hoje, a empresa tem cerca de 600ha, dos quais mais de 200 vinhas e 80 de, divididos entre os seisregiões: Le Macie, Santo Afonso, Fizzano e Tavolelle no Chianti Classico, e Campomaccione Casamaria em Maremma na área de Morellino di Scansano.

Sasyr 2011 – elaborado com 60%e Sangiovese e 40%  Syrah, dos vinhedos de Maremma, Toscana, sendo que 15% do Sangiovese passou 6 meses em carvalho francês. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é rubi com nuances purpúreas e muito brilho. Os aromas mostram fruta madura  (mirtilo, cereja) , couro, tabaco, azeitona preta e pimenta. Na boca apresenta um corpo médio, textura aveludada, com taninos bem integrados às frutas. Longo final frutado. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 101,00. Oferecido pelo Tadei ao final de reunião da Confraria do Vinho de São José do Rio Preto.

 

Publicado em: 30/08/2015

Degustação de Bouza na Decanter Rio Preto

 

O  sábado na Enoteca Decanter Rio Preto, sob o comando do Sérgio Musolino,  teve na pauta os vinhos da uruguaia Bouza. Uma excelente degustação. Vamos aos vinhos.

Bouza Tannat 2013 – elaborado com 100% Tannat, dos vinhedos de Melilla, com amadurecimento de 14 meses em barricas de carvalho francês e americano sobre suas borras. Teor Alcoólico de 15,5%. A coloração é de um rubi intenso, com toques violáceos. Os aromas mostram ameixa,  groselha, amora , alcaçuz, violeta e notas de anis ao fundo. Na boca apresenta  um corpo médio, com taninos potentes, leve amargor e leve adstrigência. Repete as frutas do olfato, com bom frescor. Final frutado, com algo de café. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 99,20.

Bouza Albariño 2014 - elaborado com 100% Albariño  dos vinhedos deMelilla, com amadurecimento de 3 meses sobre as lias finas em inox. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um amarelo claro muito brilhante. Os aromas  intensos mostram banana, pêssego, frutas tropicais, toque floral  e mel. Na boca apresenta um corpo untuoso, com acidez equilibrada e muito frescor, repetindo as sensações do olfato. Um bom final com abacaxi. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$137,30.

Monte Vide Eu 2010 - elaborado com 45% Tannat, 30% Tempranillo, 25% Merlot, sendo que as cepas foram amadurecidas separadamente num período de 11 a 15 meses em barricas novas de carvalho francês e americano (tostagem média). Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram muita complexidade e potência, com intenso frutado (ameixa em destaque), notas de especiarias (cravo, tomilho), alcaçuz, grafite, toques herbáceos e tostados. Na boca apresenta um ótimo corpo, com taninos potentes, aveludados e bem integrados. Um longo final com café. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$308,80.

Bouza Chardonnay 2013 - elaborado com 100% de Chardonnay , produzido a partir de videiras de 21 anos, dos vinhedos de Las Violetas, Canelones, com prensagem direta sem desengace. A fermentação ocorreu em barricas novas de carvalho francês,  sendo que 65% do vinho passou 8 meses sobre as lias nessas barricas. Teor Alcoólico de 13,5%. A  coloração é dourada de média intensidade, cristalina e luminosa. Os aromas apresentam frutas cítricas, melão, muito abacaxi, notas tostadas e de especiarias da barrica. Na boca mostra um frutado limpo, de boa polpa, toque mineral e acidez presente. Um delicado final de abacaxi e amêndoas tostadas. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$99,20.

Monte Vide Eu 2012 - elaborado com 50% Tannat, 25% Tempranillo, 25% Merlot, de Melilla, sendo que as cepas foram amadurecidas separadamente num período de 12 a 15 meses em barricas novas de carvalho francês e americano (tostagem média). Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi profundo e brilhante. Os aromas mostram muita complexidade e potência, com intenso frutado (ameixa em destaque), notas de especiarias (canela, baunilha), alcaçuz, café e tostados. Na boca apresenta um ótimo corpo, com taninos potentes e bem integrados. Leve adstrigência. Um longo final com café e coco tostado se mostrando. Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$308,80.

Bouza Merlot B9 Parcela Única 2011 - elaborado com 100% Merlot, de vinhedo parcela B9, a 5km do Rio Santa Lucía. Amadurecimento de 10 meses em barricas novas de carvalho francês. Sem filtração.Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi profundo e brilhante. Os aromas mostram frutas negras, notas de café, chocolate, especiarias e leve herbáceo. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos suaves, acidez pontual e um leve adocicado. Longo final frutado, com o adocicado presente. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 249,50.

Bouza Merlot-Tannat Viñas Viejas 2012 - elaborado com 60% Merlot e 40% Tannat, videiras de  30 a 40 anos, dos vinhedos de  Las Violetas, Canelones. Amadurecimento de 7 meses em barricas de carvalho francês e americano. Sem filtração. Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de um rubi com halos  e muito brilhante. Os aromas mostram ameixa, cereja framboesa, tabaco, alcaçuz e algo de tostado. Na boca as sensações do olfato se repetem, num corpo médio, com taninos suaves e leves, bem integrados. Um vinho elegante. Bom final com o frutado se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$137,30.

Lembrando que nas degustações do sábado os vinhos são oferecidos com descontos especiais. Vale a pena participar.

 

Publicado em: 29/08/2015

Os vinhos da noitada especial

 

Vamos aos vinhos degustados na noite de ontem, na noitada especial na casa do Paulo Cesar/Andréa.

Villard  Expresión Reserve Syrah 2012- elaborado com 100% Syrah de vinhedos plantados em arbustos, alta densidade, sendo que 65% do vinho amadureceu 7 meses em barricas de carvalho francês e americano. Teor Alcóolico de 13,5%. A coloração é de um rubi-violáceo concentrada e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas (amora, cereja, framboesa), defumado, pimenta preta, balsâmico e algo mineral. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos suaves e bem equilibrado com a acidez e a madeira. Leve mineral, que permanece no longo final frutado. Avaliação: 90/100 Pontos.

Villard Estate Expresión Reserve Cabernet Sauvignon 2011 - elaborado com 100% Cabernet Sauvignon, com amadurecimento de 13 meses em barricas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso, com halo violáceo e brilhante. Os aromas mostram amora, cassis, licor de groselha, pimenta preta,menta e especiarias doces. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos suaves e bem integrados ao frutado. Leve adstringência e acidez pontual. Bom final com o frutado se mostrando, num toque de pimenta. Avaliação: 89/100 Pontos.

De Martino Reserva Carmenère 2013 – foi elaborado com 100% de Carmenère, com passagem de 8 meses em barricas de carvalho americano e francês. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um intenso rubi, com halo violáceo e muito brilho. Os aromas mostram  ameixa, framboesa, amora, cassis, toques de especiarias doces e leve herbáceo. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos firmes e bem integrados, leve adstrigência e pontual acidez. Bom final frutado. Avaliação: 88/100 Pontos.

De Martino Gallardia del Itata Cinsault 2011 - elaborado com 100% Cinsault, do Vale Itata-Guariligüe, com 30 anos de idade, plantados em pé franco. Amadureceu por 7 meses em tanques de inox. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi brilhante, com toques violáceos intensos. Os aromas mostram cereja, framboesa, toques florais e leve especiaria. Na boca apresenta um ótimo equilíbrio e muita elegância, com taninos finos e macios, num médio corpo. Ótimo final, levemente adocicado. Avaliação: 89/100 Pontos.

Herman Bossa  No.4 Moscatel – elaborado com Moscato Bianco, Moscato Giallo e Malvasia, pelo processo Asti, amadurecendo em autoclaves sobre as leveduras. A coloração é de um palha claro e brilhante. Os aromas mostram frutas tropicais (abacaxi, mamão papaya), mel e flores brancas. Na boca repete as frutas tropicais envoltas em acidez deliciosa. Avaliação: 88/100 Pontos.

 

Os vinhos foram adquiridos na Enoteca Decanter Rio Preto.

Ao final, o Paulo Cesar oferceu um Mafalda 2011, que elaboramos durante o Projeto Winemaker, realizado na Miolo. Valeu!

 

Publicado em: 29/08/2015

Uma noitada especial

 

Na noite de ontem participamos, eu e Mafalda,  de uma bela noitada enogastronômica, na casa do filho Paulo Cesar/Andréa. Presentes, além dos anfitriões, um grupo de casais amigos, que se reúnem periodicamente, para festejar o bom da vida: José Augusto/Lucilene, Luciano/Fabiana e Roberto/Luciana. Conversamos um pouco sobre o mundo do vinho e degustamos os vinhos De Martino Gallardia del  Itata Cinsault 2011, De Martino Estate Reserva Carmenère 2013, Villard Expresion Reserve Syrah 2013, Villard Expresion Reserve Cabernet Sauvignon 2011 e Mafalda 2011. Para harmonização ,Tortelline de Cordeiro, Tortellone de Damasco com Mussarela de Bufala, além da sobremesa de Morango com Chantilly. Tudo perfeito. Valeu! No próximo post falaremos sobre os vinhos.

Publicado em: 29/08/2015

Os vinhos da degustação festiva (2a. Parte)

 

Vamos aos vinhos degustados na reunião festiva da confraria Clube dos Amigos do Vinho de São José do Rio Preto (2ª.Parte) 

 

A Matias Riccitelli é uma jovem vinícola de Mendonza, de propriedade do enólogo Matias Riccitelli definido como enólogo prodígio por Robert Parker.É considerado pela crítica especializada como o novo príncipe da Malbec na Argentina. O título príncipe da Malbec faz referência ao pai de Matias,  Jorge Riccitelli, enólogo chefe da Bodega Norton e eleito o melhor enólogo do mundo em 2012 pela Wine Enthusiast.  A Riccitelli Wines foi eleita a Bodega Revelação pelo Guia Descorchados 2014, onde seus tintos tiveram grande destaque. Os vinhos de Matias são modernos, elegantes e divertidos, despertam curiosidade e instigam a degustá-los.

Matias Riccitelli Republica del Malbec 2012 – elaborado com 100% Malbec, videiras de 100 anos, de Vistalba, Mendoza, com  amadurecimento de  18 meses em barricas novas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi intenso, com reflexos violáceos. Os aromas mostram intensidade, com notas de amora, ameixa, alcaçuz,toques florais,  chocolate  e especiarias. Na boca apresenta-se como  um vinho imponente, de taninos de textura aveludada, álcool generoso sem incomodar, fruta intensa sobre uma fundo lácteo. Impressiona por sua expansão, com final longo, sedoso e elegante. Sem dúvida, um grande, e típico Malbec. Garrafa número 3834, de 6000. Escolha do Osvaldir Pai. Avaliação: 94/100  Pontos

 

A história da bodega Escorihuela Gascón remonta 1880, quando Miguel Escorihuela Gascón, então com 19 anos, imigrou da Espanha para a Argentina. Depois de um período curto em Buenos Aires, mudou-se para Mendoza e adqui­riu 17 hectares de terra e iniciou a construção da bodega. Administrou e desenvolveu a bodega até sua morte em 1933, quando foi assumida por seus herdeiros, que continuaram a investir e divulgar o mundo do vinho, tornando-a extremamente conhecida e respeitada. Era inovadora e suspeita-se que o primeiro vinho 100% Malbec foi feito pela Escorihuela Gascón. Em 1993, passa a pertencer ao “winemaker” Nicholas Catena, que investiu pesadamente na modernização da bodega para adequá-la às exigências do mercado atual. Atualmente, a bodega encontra-se modernizada, mas mantem-se em seu charmoso prédio de origem com um maravilhoso restaurante  – chamado 1884 – em seus porões. Vale uma visita de que passar por Mendoza. Na verdade, trata-se da mais antiga vinícola de Mendoza, ainda em atividade.

Escorihuela Gascon Pequeñas Producciones Cabernet Sauvignon 2009 – elaborado com 100% de Cabernet Sauvignon , com passagem de 12 meses em carvalho francês. Teor Alcoólico de 13,8%. A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas mostram frutas negras, baunilha, chocolate, café e algo de pimenta. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos marcantes e bem integrados ao frutado, acidez equilibrada e leve adstringência, que se mantém no longo final frutado. Escolha do André. Avaliação: 92/100  Pontos

 

Terre di Sava foi fundada em 2008 a fim de proteger e utilizar uma série de ” Old Vines ” Primitivo, muitos com mais de 100 anos de idade, perto da cidade histórica de Sava, em Puglia. Com a deterioração contínua da economia da Itália, algumas destas vinhas velhas estavam sob ameaça de serem replantadas com videiras jovens de maior rendimento e menor qualidade.  Terre di Sava foi fundada para comprar estes vinhedos e usá-los para produzir os melhores vinhos possíveis . O vinho emblemático da Terre di Sava é o Luccarelli Pazzia  Primitivo di Manduria.

Luccarelli Pazzia Primitivo di Manduria 2008 – elaborado com 100% Primitivo de Manduria a partir de vinhedos com mais de 100 anos, de Sava. Amadureceu por 18 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um violeta escuro, com média transparência e ótimo brilho. Os aromas mostram uma grande complexidade, com frutas maduras (morango, cereja, amora, ameixa), geléia de frutas, tabaco, ervas secas,  baunilha, notas defumadas  e toques de pimenta. Na boca apresenta-se encorpado, com taninos potentes e bem integrados ao frutado. Perfeito equilíbrio fruta/álcool/acidez e um adocicado marcante, lembrando um Amarone. Longo final, elegante, com  café, baunilha e chocolate.Esco lha do José Luiz. Avaliação: 95/100  Pontos.

 

Bodega Noemia foi fundada pela condessa Noemi Marone Cinzano e pelo enólogo dinamarquês Hans Vinding-Diers, na sequência da sua descoberta de uma antiga vinha Malbec no Vale do Rio Negro Argentina.  Os vinhedos estão localizados no Vale do Rio Negro, localizado 998 km ao sul de Buenos Aires, 450 km a leste da Cordilheira dos Andes, a 500 km a oeste do Oceano Atlântico e 1996 km de Tierra del Fuego. Em outras palavras, ele está localizado no meio do deserto. Um quarto das uvas são provenientes de  próprias vinhas plantadas em 2004 no Vale Azul, no deserto, que é cultivado com técnicas orgânicos e biodinâmicos e de irrigação por gotejamento. Os outros 3/4 das uvas são do INTA (Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária) e um produtor da região.

Noemia A Lisa 2012 –  elaborado com 90% de Malbec,9% de Merlot e 1% de Petit Verdot, tendo passado 10 meses em barricas de carvalho de terceiro uso. Teor Alcoólico de 14%. A coloração  é de um rubi intenso com reflexos violáceos. Os aromas mostram frutas negras, coma sobreposição de tostados, especialmente café, e algo  herbáceo. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos e acidez equilibrado e um leve adocicado. Final longo com as frutas se apresentando , fechando com o café torrado. Escolha do Marco Antonio. Avaliação: 92/100  Pontos.

 

A história dos vinhos Canepa está ligada à vida aventurosa de José Canepa Vaccareza, que deixou sua terra natal, Gênova, Itália, em 1930,para procurar um terroir no Chile, que viria a dar à luz a uma adega, e deixou sua marca na história vitivinícola do país. No período de 1973 a 1978 passou por uma completa reestruturação, quando assumiu o comando, em face ao falecimento do pai, José Canepa Sarochi. A filosofia consiste em criar vinhos de qualidade premium, com foco na inovação como guia da proposta de vinificação. Em 2007, um novo capítulo na história da Canepa começa com uma aliança estratégica com a Concha y Toro Grupo. Alma italiano, chileno do solo. Em  1990 nasce o “Magnificum” vinho ícone da casa  até hoje.

Canepa Magnificum 2011 – elaborado com 97%  Cabernet Sauvignon e 3%  Cabernet Franc, com uvas, de Puente Alto, no Valle de Maipo. Maturação de 18 meses em barricas francesas. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram amora, cassis, floral, tâmara, terroso,  chocolate, café e marcante tostado. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos finos, untuoso, repetindo o olfativo.  Longo final elegante e frutado. Escolha do José Manoel. Avaliação: 93/100  Pontos.

 

 

Publicado em: 28/08/2015

Os vinhos da degustação festiva (1a. Parte)

 

Vamos aos vinhos degustados na reunião festiva da confraria Clube dos Amigos do Vinho de São José do Rio Preto (1ª.Parte) 

Vistalba é uma propriedade rural familiar constituída por uma longa extensão de vinhedos, onde é realizado o plantio e colheita das uvas e também o armazenamento dos vinhos. A fazenda localiza-se na cidade de Mendonza, Argentina, onde o progresso da viticultura começou cedo, no século XVI, junto com a colonização espanhola. A história da marca Vistalba começou há mais de 60 anos, quando a família Pulenta iniciou o plantio de videiras na região. Carlos Pulenta, atual proprietário da Bodega Vistalba, faz parte da segunda geração. Ele recorda que em sua infância percorria uma grande extensão de vinhedos junto a seu pai. Revela também que cresceu ao redor dos barris de vinho e possui imensa paixão pelo assunto. A linha Tomero é composta de outros vinhos, sendo o Malbec o único Gran Reserva. Também apresenta os vinhos: Tomero Malbec, Tomero Cabernet Sauvignon, Tomero Sauvignon Blanc, Tomero Malbec, Tomero Petit Verdot Reserva, Tomero Pinot Noir Reserva e Tomero Torrontés 

Tomero Gran Reserva Malbec 2010 – elaborado com  100% Malbec,da  Finca Los Álamos, Alto Valle de Uco, Mendonza, envelhecido em barricas de carvalho francês durante 20 meses e em garrafas durante nove meses antes de ser comercializado. Teor Alcoólico de 15%. A coloração é de um  rubi profundo com reflexos violáceos. Os aromas mostram frutas vermelhas (framboesa, amora, cereja), especiarias e baunilha. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos robustos e bem integrados, acidez equilibrada e leve adocicado. Longo final com o toque doce e a baunilha se mostrando. Escolha do Pablo. Avaliação: 92/100 Pontos

 

A história da Bodega Navarro Correas começa em  1800, quando Don Juan de Dios Correas plantou suas primeiras vinhas localizadas no sopé da Cordilheira dos Andes. Por mais de cem anos, a família Correas vendeu suas uvas a produtores da região. Foi Don Edmundo Navarro Correas, descendente da família Correas, que decidiu produzir vinhos sob o seu próprio nome. Em 2002, a fim de aumentar a capacidade de processamento e armazenamento de vinho, foi decidida a  construção uma nova adega, integrada a bela paisagem que a rodeia. Em maio de 2004, Navarro Correas inaugura sua nova adega em Godoy Cruz. Rodeado por um parque e plenamente integrado na paisagem circundante. Todo o edifício é baseado em uma arquitetura minimalista, sóbrio, reforçando as características dos materiais utilizados. Em setembro de 2009, Finca Agrelo é inaugurada, iniciando-se a produção da linha Structura Ultra.

Navarro Correas Structura Ultra Rare Barrels 2011 – elaborado com  60% Malbec, 30% Cabernet Sauvignon, 7% Cabernet Franc e 3% Merlot, do Uco Valley, regiões de Tunuyán, Tupungato e San Carlos envelhecido durante 24 meses em barricas novas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 14,8%. A coloração é de um  rubi intenso e profundo, com muito brilho. Os aromas mostram ameixa, amora, cereja cristalizada, trufas, grafite e especiarias. Na boca apresenta um bom corpo, complexidade, com  taninos encorpados e redondos que proporcionam uma textura sedosa. Ótimo equilíbrio entre álcool, acidez e fruta. Longo final com intenso frutado. Escolha do Paulo Sérgio. Avaliação: 93/100  Pontos

 

 

Apesar de a vinícola Pulenta ter iniciado as suas atividades somente no ano de 2002, a história da família com a vitivinicultura argentina começou 100 anos antes. Em 1992, Angelo Pulenta e Palmina Spinsonti chegaram de Ancona, na Itália, na Argentina e lá fincaram as raízes de sua família (e de suas vinhas). Passadas três gerações, os Pulenta resolveram transformar a paixão em trabalho e abriram as portas da Pulenta Estate, que mesmo depois do reconhecimento manteve o ambiente familiar, onde cada vinho nasce e é cuidado como um integrante da família.

Pulenta Gran Cabernet Franc XI 2011 – elaborado com 100% de Cabernet Franc, do Bloco 11 da Finca La Zulema  , Agrelo, Lujan de Cuyo, passando 18 meses de envelhecimento em barricas novas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi intenso, com muito brilho. Os aromas mostram jabuticaba, ameixa, amora, compota de frutas, pimentão assado, eucalipto e especiarias. Na boca apresenta um bom corpo, taninos finos, acidez equilibrada, sabores complexos repetindo as sensações do olfato, com leve adocicado. Longo e elegante final com o toque de eucalipto. Escolha do Osvaldir Filho. Avaliação: 94/100 Pontos.

 

Mauricio Lorca é um dos mais respeitados enólogos da Argentina. Ainda muito jovem, aos 21 anos, iniciou carreira na Bodega Esmeralda, do Grupo Catena Zapata. Depois seguiu pra Michel Torino, Luigi Bosca e Finca La Celia, até partir para vôo próprio, na Bodega y Viñedos Mauricio Lorca.A pouco mais de 100 km,numa fazenda secular , em Vista Flores, no Vale do Uco, a 1.020 metros acima do nível do mar e aos pés da Cordilheira dos Andes, instalou 29 hectares de vinhedos, em 1999. Cultiva as cepas Sauvignon Blanc, Viognier, Malbec, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Syrah e Petit Verdot, colhidas manualmente. Lorca desenvolve projetos personalizados. Foi o que ocorreu com o Chicleteiro, um bom Malbec feito para a banda baiana Chiclete com Banana a pedido da Ana Marques, mulher do Bel e dona da maior importadora de vinhos para o Nordeste, a Ana Import. Esse projeto já está extinto.

Mauricio Lorca Inspirado 2009 – elaborado com as cepas Malbec, Syrah, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Petit Verdot, passando por amadurecimento de 16 meses em barricas novas de carvalho francês (85%) e americano (15%), com 24 meses de afinamento em garrafa. Produção limitada a 4 barricas A coloração é de um rubi profundo, quase negro e muito brilhante. Os aromas mostram frutas escuras e especiarias com chocolate e baunilha. Na boca apresenta um potente corpo, repetindo as sensações olfativas, com taninos potentes e bem integrados. Longo final com o chocolate se mostrando.Escolha do Toninho. Avaliação: 93/100 Pontos.

 

A maior parte das vinhas da Bodega Tacuil tem mais de 100 anos. A fazenda que  fica a 210 quilômetros de Salta e cinco horas de distância, era parte da Hacienda San Pedro Nolasco de Mollinos, de propriedade de Nicolas Severo Isasmendi, o último governador real. A filha herdou a terra depois de sua morte em 1837, e casou-se com o primeiro salteño Davalos, José Benjamin, que mais tarde tornou-se governador da província e morreu no exercício do seu mandato. Desde então, Tacuil está incorporada na família Dávalos. Em Tacuil há vinhas entre 2.400 e 2.600 metros, tornando-se a adega com os vinhedos em produção mais altos do mundo. É vizinha da  Colomé, comprado de Dávalos em 2001 pelo Grupo de Hess.  Tacuil só produz vinhos sem madeira, envelhecendo seus vinhos em tanques de cimento, exceto Doña Ascensão, originalmente concebido para exportação. As outras linhas: Viña Dávalos, Mayuco Malbec, Mayuco Torrontes, Blend RD e 33 Dávalos.

Viñas de Dávalos 2012 – elaborado com 80% Malbec e 20% Cabernet Sauvignon, da  Finca Tacuil, Valle Calchaquí, Molinos, Salta, a 2630 metros de altitude, sem envelhecimento em carvalho.  A coloração é de  um roxo profundo, quase negro. Os aromas mostram muita intensidade, com frutas vermelhas, compota de frutas, chocolate escuro, alcaçuz, pimentão e azeitona preta. Na boca apresenta um corpo denso, excelente concentração e profundidade de frutas, com taninos intensos e perfeitamente integrados, com tons adocicados, que permanecem no longo final. Escolha do Pradela. Avaliação: 92/100 Pontos.

 

Per Bacco. Todos os direitos reservados.2015