Publicado em: 04/05/2016

Villaggio Larentis Reserva Malbec 2012

 

 

Villaggio Larentis Reserva Malbec 2012 –elaborado com 100% Malbec, passando 4 meses em barricas de carvalho e 6 meses na garrafa antes da comercialização. Teor Alcóolico  de 12,4%. A coloração é de um vermelho rubi intenso com reflexos violáceos, com ótima transparência e brilho. Os aromas mostram cereja, amora, framboesa, chocolate e algo de tostado. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e bem integrados ao frutado e uma acidez pontual. Bom final frutado. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 49,00, na vinícola. Foram elaboradas 1800 garrafas, sendo a nossa a 1323. O vinho vem evoluindo bem, em relação a degustações anteriores.

 

Publicado em: 03/05/2016

Gran Lomo Malbec 2015

 

 

Pertencente ao Grupo Concha y Toro, fundada em 1996, Trivento Bodegas y Viñedos conta com um amplo portfólio de vinhos, continuamente merecedores de importantes reconhecimentos em concursos internacionais e revistas especializadas. As instalações para a elaboração dos vinhos estão equipadas com tecnologia de última geração. A uva recebe os melhores cuidados desde a colheita até o engarrafamento, o que garante a qualidade dos vinhos. Além disso, em uma sala especial estão 4000 barris de carvalho francês e americano, que são usados para envelhecimento de vinhos premium. A experiência e o investimento se combinam na busca constante por novas técnicas e tecnologias que permitam obter vinhos de qualidade excepcional. Uma excelente equipe de enólogos e técnicos especializados trabalha com afinco para otimizar a expressividade e a qualidade de cada variedade. A adega tem 8 propriedades nas melhores áreas de cultivo de Mendoza, Valle de Uco, Luján Maipú- Oasis e Oasis Médio. Trivento tornou-se a marca de vinho argentino com a maior cobertura, posicionamento em mais de 100 mercados em todo o mundo. Em 20 anos, a empresa se destaca entre os 5 maiores exportadores do país. O amplo portfólio, Trivento Eolo, Trivento Ouro Reserve, Trivento Amado Sur, Trivento Reserve e Trivento Tribu é continuamente recompensada com prêmios em concursos e revistas especializadas nos mercados de maior prestígio.

Gran Lomo Malbec 2015 – elaborado com 100% de Malbec , sendo que após a extração e moagem dos grãos, 50% do mosto passa por termovinificação e 50% por vinificação tradicional. Teor alcoólico de 12.5%. A coloração é de um  rubi com reflexos violeta. Os aromas mostram frutas vermelhas, anis, pimenta branca, com toque de carvalho, chocolate e baunilha. Na boca apresenta taninos profundos e doces, bem integrados ao frutado e acidez pontual. Bom final com o anis se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Oferta do Osvaldir Filho.

Publicado em: 03/05/2016

De Chansac Syrah 2014

 

 

Languedoc é uma região que todo amante de vinhos deveria conhecer. À beira-mar ou nas montanhas com clima mediterrâneo. Uma região privilegiada, onde as montanhas dos Pirineus encontram o mar Mediterrâneo. Duzentos quilômetros de costa aproximadamente. Paisagem ensolarada, calorosa. Terroir rico em diversidade. As variedades de uvas se expressam de maneira diferente dependendo do clima, exposição à luz solar, relevo, e solos. A Região de Pays d'OC possui uma tradição de mais de 2600 anos de vinicultura e tradição vinícola. No século V a.C, os Gregos foram os primeiros a plantar videiras. A mistura destas áreas de vinhedos Pays d'Oc cria uma expressão única destas variedades. Tornando-a uma respeitada região de vinhos de qualidade.

 

De Chansac Syrah 2014 – elaborado com 100% de Syrah, que é desengaçada e dividida em três porções. Uma pequena parte passa por um moderno processo de maceração com contato com as cascas quentes. A maior parte das uvas é fermentada sobre as cascas por cerca de três semanas a fim de extrair as qualidades aromáticas do varietal. Após este procedimento, parte do vinho estagia por seis meses em barris de carvalho francês. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um púrpura intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas, especiarias doces (alcaçuz, baunilha), tabaco e algo de pimenta preta. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes e bem integrados ao frutado. Acidez equilibrada. A baunilha se destaca. Bom final com o toque de alcaçuz se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos.  R$ 69,90, na Vinum Day.

 

Publicado em: 03/05/2016

Domaine Oriental Chardonnay 2015

 

 

Domaine Oriental Chardonnay 2015 – elaborado com 100% Chardonnay de vinhedos de 15 anos de idade localizados no Valle do Maule no Chile. Estagiou por 3 meses em barricas de carvalho americano e cerca de 40% do vinho foi mantido em tanques de inox com a finalidade de aumentar o seu caráter aromático. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um amarelo palha brilhante e halos prateados. Os aromas mostram frutas tropicais (banana, manga e  abacaxi), e notas sutis de mel. Na  boca apresenta-se  um vinho seco, carnoso e de bom ataque com bela acidez. Longo final com as frutas em destaque. Avaliação: 89/100 Pontos.

 

Publicado em: 03/05/2016

Domaine Oriental Carmenère 2015

 

 

A Vinha Casadonoso nasceu em 1989, quando um grupo de empresários estrangeiros adquiriu a fazenda “La Oriental”, um histórico “domaine” no coração do Vale do Maule, que pertencia à senhora Lucia Donoso Gatica. Com o tempo, o tamanho da vinha duplicou, incorporando outros terroirs na área de San Javier, um pouco mais ao sul do fazenda original, na mesma região do Maule. A expansão também compreendeu outros 472 hectares na zona norte do vale, em San Vicente. Atualmente a vinha ocupa uma área de cerca de  710  hectares.No início de 2011, a vinha registrou uma mudança de propriedade que significou a incorporação de novas energias empresariais para o projeto. Quem responde pela elaboração dos vinhos do Projeto Leyendas de Familia é o enólogo Rafael Tirado, uma das referências do país em vinhos da uva Sauvignon Blanc, que retornou ao Chile após estágios pela Europa.

 

Domaine Oriental Carmenère 2015 – elaborado com 93% Carmenère e 7% Cabernet Sauvignon, provenientes de vinhedos de mais de 15 anos de idade localizados no Valle do Maule no Chile. Estagiou em barricas de carvalho americano por 3 meses. Teor Alcoólico de 13,5%.  A coloração é de um rubi intenso com reflexos violáceos. Os aromas mostram ameixa, groselha, toques sutis de especiarias (cravo, alcaçuz e  pimenta do reino, alecrim), tabaco e menta. Na boca as sensações do olfato se repetem, potencializando a pimenta, num corpo médio e taninos finos. Bom final com toque de alcaçuz. Avaliação: 89/100 Pontos.

 

Publicado em: 02/05/2016

Um encontro com Paulo Laureano

 

 

O Passeio Enogastronômico Adega Alentejana, que ocorreu em nossa cidade, numa parceria com a Enoteca Abadesco, nos propiciou a oportunidade de um bom papo com  Paulo Laureno, um dos mais conceituados enólogos portugueses e uma referência dos vinhos no Alentejo.

 

Com simpatia, bom humor e um bigode personalíssimo (faz parelha com o do Dr. Adalberto Lorga), que para ele é também uma imagem de marca dos seus vinhos,  Paulo Laureano define-se como um enólogo minimalista:  coloca em um copo tudo aquilo que distingue o vinho – a influência do clima, do solo e das uvas – de uma forma bem visível. Acredita que os vinhos devam ser uma expressão do terroir. É isso o que deve ser visível, e não qualquer tecnologia, o que tornaria o vinho um produto padronizado. Para ele,  desenhar vinhos é uma paixão, desvendar os seus aromas e sabores, avaliar e otimizar as razões da sua identidade e personalidade, promovendo-os como verdadeiras fontes de prazer, são os pontos-chave da sua filosofia . A sua aposta exclusiva nas castas portuguesas, traduz a sua maneira de estar, encarando o vinho como fator de cultura e civilização.

 

“A minha vinícola começou em 1999, reflexo do meu desejo de fazer um vinho em que pudesse empregar minha paixão de desenhar vinhos em uma das melhores regiões vitivinícolas portuguesas: o Alentejo”, disse. E prosseguiu: “quero  deixar algumas marcas claras nessa área em torno das uvas portuguesas. Recentemente, fizemos a reativação da Tinta Grossa, que era uma uva praticamente extinta. Esse é um primeiro sinal, mas, dentro de algum tempo, podem esperar outras surpresas”.

 

Sobre as castas portuguesas: “ a aposta é desenhar vinhos exclusivamente com castas portuguesas, vinhos feitos com o que é nosso, aquilo de que todos nos orgulhamos.Sobre as castas tintas: usamos a Aragonez (Tinta Roriz) para contribuir com um componente aromático doce e atrativo  que aumenta a complexidade dos nossos vinhos e lhes confere elegância. A Trincadeira (Tinta Amarela) de longa tradição no Alentejo, com os seus níveis de acidez, os sólidos taninos e o seu elegante aroma, para complexarem vinhos de elevados padrões de qualidade e longevidade. A Alicante Bouschet é uma casta tintureira, com cor na película e na polpa, pelo que os seus vinhos mostram uma cor profunda e de grande intensidade, com uma enorme concentração de taninos. A Alfrocheiro traz a elegância que confere aos vinhos onde está presente, a sua frescura e os aromas mais exóticos. A Tinta Grossa enriquece o nosso pelo seu exotismo, qualidade e raridade. A Touriga Nacional é, certamente,  a mais conhecida das castas tintas portuguesas, não sendo típica do Alentejo por aqui se implantou facilmente nos últimos anos. É elegante, marcante e de grande personalidade. Sobre as castas brancas: a Antão Vaz, autóctone da região da Vidigueira, é certamente uma das melhores, senão a melhor casta branca do Alentejo. Constitui a base de todos os vinhos brancos desenhados na nossa adega, com produções controladas mostra um bom equilíbrio de acidez e a sua estrutura é sempre marcante e persistente. A Arinto é, talvez, a casta portuguesa mais utilizada, por todo o país para o desenho de vinhos de grande qualidade. Mostra uma enorme frescura, o que confere aos vinhos maior equilíbrio e longevidade. A sua ligação aos vinhos do Alentejo é muito antiga e não a dispensamos nos nossos vinhos brancos, devido à sua enorme qualidade. A Roupeiro mostra o seu melhor, associada a vinhos destinados a um consumo mais precoce. Quando se pretende aumentar-lhe a longevidade outras variedades como o Arinto ou o Antão Vaz são necessárias. A Verdelho é uma casta que renasce no Alentejo, com  uma boa estrutura e acidez relançou o interesse na sua utilização. Com uma pequena área de produção, nas nossas vinhas, integrará vinhos monovarietais”.

 

Paulo Laureano, que já foi escolhido em 2004 o melhor do ano em Portugal, apresentou seus vinhos discorrendo sobre os aspectos de suas personalidades. Vamos a eles.

 

Paulo Laureano Premium Branco 2013 –elaborado com Arinto, Fernão Pires e Antão Vaz, sendo que o Antão Vaz estagiou 6 meses em barricas novas de carvalho de francês e o Arinto estagiou em inox. Teor Alcoólico: 13,5%. A coloração é de um citrino brilhante. Os aromas mostram frutas tropicais, toques florais, ervas secas, algo de madeira e notas minerais. Na boca apresenta boa textura, repetindo as sensações do olfato, com uma acidez marcante e muito frescor. Longo final com o toque mineral e o amadeirado se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos.

 

Paulo Laureano Reserve Branco 2013 – elaborado com 100% Antão Vaz. Estagiou 8 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico: 13,5%. A coloração é de um citrino brilhante. Os aromas mostram frutas tropicais, toques cítricos, leve floral e especiarias. Na boca apresenta boa untuosidade, acidez equilibrada e muito frescor, que se mantém no agradável final. Avaliação: 91/100 Pontos.

 

Teresa Laureano Rosé 2014 - elaborado com Touriga Nacional, Alfrocheiro e Tinta Grossa, em garrafas escuras. Teor Alcoólico: 13,5%. A coloração é de um salmão intenso e brilhante. Os aromas mostram framboesa, groselha, ameixa, frutos silvestres e algo de especiarias. Na boca apresenta uma boa textura, com uma acidez marcante e  muita elegância. Bom final frutado com toque de cravo. Produção de 3.500 garrafas numeradas. Avaliação: 91/100 Pontos.

 

Paulo Laureano Premium Vinhas Velhas 2013 – elaborado com Trincadeira, Aragonez e Alicante Bouschet. Estagiou 6 meses em barricas de carvalho francês. Teor Alcoólico: 14%. A coloração é de um granada intenso e brilhante. Os aromas mostram ameixa, amora, cereja, compotas de frutas, chocolate e algo de tostado. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e bem integrados ao intenso frutado e acidez equilibrada. Longo final, elegante, com o tostado aparecendo. Avaliação: 92/100 Pontos.

 

Paulo Laureano Reserve Tinto 2013 – elaborado com Trincadeira, Aragonez e Alicante Bouschet. Estagiou 18 meses em barricas novas de carvalho francês. Teor Alcoólico: 14,5%. A coloração é de um granada intenso e brilhante. Os aromas mostram amora, ameixa, cassis, ameixa passa, pimenta vermelha, menta,  especiarias, algo de madeira e tabaco. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos suaves e acidez em equilíbrio. Longo final com as frutas e o toque de madeira se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos.

 

Dolium Escolha Branco 2013 – elaborado com 100% Antão Vaz, com fermentação em barricas novas de carvalho francês a 15°C durante 30 dias. Estágio de 8 meses em barricas de carvalho com batonnage, antes do engarrafamento. Teor Alcoólico: 13,5 %. A coloração é de um amarelo-citrino intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas cítricas e tropicais, notas minerais, florais e sutil toque de especiarias. Na boca apresenta untuosidade, repetindo o olfato, com boa acidez. Agradável final com o toque cítrico e floral se mostrando. Avaliação: 93/100 Pontos.

 

Paulo Laureano Selectio Touriga Nacional 2011 – elaborado com 100% Touriga Nacional. Estagiou 12 meses em Barricas Novas de Carvalho Francês e 12 meses posteriormente em garrafa. A coloração é de um granada intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas negras, frutas passificadas, especiarias, algo de balsâmico e floral. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes, bem integrados ao intenso frutado e acidez pontual. Longo final com um complexo aromático e o toque de madeira se mostrando. Um vinho da mais alta qualidade, com  tudo que a casta maior portuguesa pode dar.Avaliação: 95/100 Pontos.

 

Dolium Reserva 2009 – elaborado com Aragonez, Trincadeira, Alicante Bouschet. Fermentação malolática em barricas novas de carvalho francês e americano pelo período de 12 meses. Estágio de 18 meses em garrafa. Teor Alcoólico: 14,5%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram fruta vermelha, especiarias, mentol, tabaco, café e baunilha. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, em meio a taninos suaves e bem integrados. Acidez equilibrada. Longo final com muita fruta e o toque de menta. Avaliação: 94/100 Pontos.

 

 

 

Publicado em: 02/05/2016

Enira Reserva 2007

 

 

Domaine Bessa Valley é um projeto de Karl-Heinz Hauptmann e  Stephan von Neipperg , do  Chateau Canon La Gaffelière, em St-Emilion. Está localizada em Ognyanovo ,região de Pazardzhik, a 135 km a sudeste de Sofia, na Bulgaria. São  250 ha, dos quais 140 ha. de vinhas, sendo 55% de Merlot, e quantidades iguais de Petit Verdot, Cabernet Sauvignon e Syrah.  O projeto começou em 2001 através da compra das terras. Parte da adega é cavada na rocha, o  que é de  grande importância para a preservação e maturação do vinho em barricas de carvalho. A rocha permite a manutenção de uma temperatura constante e humidade do ar. A produção  anual é de 720 mil garrafas, sendo que a adega tem  uma área de 3.555m2 e uma capacidade de 2 500 barris. Cerca de 80% da produção é para exportação sendo os maiores mercados para a Grã-Bretanha, Alemanha, Áustria, Suíça, Canadá, EUA e Rússia e, recentemente,  China, Japão e Hong Kong.

 

Enira Reserva 2007 – elaborado com Merlot 66%, Syrah 14%,Cabernet Sauvignon 6% e  Petit Verdot 14%, com amadurecimento de 18 meses em barricas de carvalho francês, sendo 50% e  50% de um ano de uso. Teor Alcoólico de 14,7%. A coloração é de um rubi intenso, com halos amarelados, demonstrando evolução. Os aromas são complexos mostrando frutas negras, frutas passificadas, caramelo, tostado, alcaçuz e algo de madeira. Na boca a complexidade do olfato se repete, com geléia de frutas, num corpo volumoso, suculento, com taninos potentes, acidez equilibrada. Um longo final, num conjunto agradável e sedoso. Um grande vinho. Avaliação: 94/100 Pontos. Preço: R$ 254,90, na Winelands.

 

Publicado em: 01/05/2016

Os franceses do sábado na Bekaa

 

 

Sérgio Musolino comandou mais uma tradicional reunião do sábado na Bekaa, apresentando uma seleção de vinhos franceses especiais, de alta qualidade. Como sempre, os vinhos são vendidos a preços promocionais, oferecidos aos participantes do evento. Vamos aos vinhos. 

 

Dupuy de Lôme La Matelote Rosé 2013 -  elaborado com 50% Grenache, 25% Cinsault e 25% Syrah, 10% de vinhas velhas. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um salmão rosado, com muito brilho. Os aromas mostram morango, framboesa, cereja, tangerina e leve floral. Na boca  é um vinho leve, sendo que as sensações do olfato se repetem, com muito frescor. Bom final frutado. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$134,00.

 

L Tramier Côtes du Rhône 2012 – elaborado com 70% Grenache e 30% Shiraz, envelhecendo  envelhecem separadamente em tanques de inox por 8 a 10 meses, após os quais o corte é feito. Teor Alcóolico de14,5%.  A coloração é de um vermelho rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram cereja, morango, framboesa, chocolate, menta e especiarias apimentadas. Na boca apresenta um corpo médio, repetindo o frutado do olfato, com taninos macios, leve adstringência e acidez equilibrada. Agradável final com leve chocolate. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 114,00.

 

Les Coteaux d’Albert 2010 – elaborado com 60% Merlot, 30% Cabernet Sauvignon e 10% Cabernet Franc. Teor Alcóolico de13%.  A coloração é de um rubi médio e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas e negras, com notas florais, terrosas e especiadas. Na boca apresenta corpo médio, com taninos macios, acidez na medida e boa estrutura. Bom final frutado. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$73,80.

 

Chateau de Parenchère 2008 – elaborado com 80% Merlot e 20% Cabernet Sauvignon. Teor alcoólico: 13,5%. A coloração é de um granada brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas, com notas de cassis e cereja e um toque herbáceo. Na boca apresenta bom corpo, repetindo o frutado do olfato, com taninos finos e elegantes. Bom final com as frutas se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 141,00.

 

Paul Mas Carignan Vieilles Vignes 2013 - elaborado com 100% Carignan, vinhedo específico Savignac, com videiras de mais de 50 anos de idade. Teor alcoólico: 13,5%. A coloração é de um vermelho-rubi brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas (cereja e amora), sobre um fundo madeirado e toques herbáceos. Na boca  apresenta um corpo médio, com taninos finos, bem integrados, acidez em equilíbrio e leve madeira. Bom final com as frutas se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 186,00.

 

Jean Luc Colombo 2010 - elaborado com 100% Syrah. Amadurecimento de 18 meses em barricas novas, de 2ª e 3ª passagens. Teor alcoólico: 13,5%. A coloração  é de um rubi médio, com halos purpúreos e muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas (cassis e cereja), toques florais, pimenta preta e algo de mineral. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos suaves, bem integrados ao frutado, acidez pontual e leve herbáceo. Bom final com o amadeirado se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 263,00.

 

Chateau Bouscassé 2007 – elaborado com 65% Tannat, 25% Cabernet Sauvignon e 10% Cabernet Franc, de vinhedos orgânicos. Amadurecimento de  14 meses sobre as lias em barricas de carvalho francês de 2º e 3º uso. Sem filtração. Teor alcoólico: 13,5%. A coloração  é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram  frutas negras, toques florais violeta  e algo de mineral.  Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios, repetindo as sensações do olfato, com acidez equilibrada. Longo final, com o toque mineral se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 216,00.

 

Publicado em: 29/04/2016

Amanhã na Bekaa

 

Publicado em: 29/04/2016

Os vinhos nacionais da safra histórica de 2005

 

 

A  confraria Clube dos Amigos do Vinhode São José do Rio Preto realizou, ontem, a degustação da safra histórica do ano 2005 dos vinhos nacionais. E foi surpreendente a qualidade expressa pelos nossos caldos, depois de 11 anos. Vamos aos vinhos.

 

Villaggio Larentis Reserva Especial Merlot 2005 – elaborado com 100%Merlot, estagiou 8 meses em barricas de carvalho e 12 meses na garrafa antes da comercialização. Teor Alcóolico  de 13%. A coloração é de um vermelho rubi brilhante, com boa transparência, apresentando bordas alaranjadas, evidenciando a evolução do vinho. Os aromas são complexos, com frutas vermelhas (framboesa, ameixa, cereja), frutas passificadas, leve tostado, toques florais e baunilha. Na boca mostra um bom volume, repetindo as sensações do olfato, com os taninos macios e bem integrados à fruta. Um longo final, onde frutas passificadas se evidenciam. Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$44,00, safra atual, na Vinícola. Observação: a garrafa degustada é de número 03619. Já degustamos esse vinho em outras ocasiões e ele vem tendo uma evolução crescente. Foi, sem dúvida, a grande revelação da degustação, surpreendendo a todos.

 

Boscato Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2005 - elaborado com 100% da cepa, com passagem por carvalho e repouso de um ano em garrafas. Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de intenso rubi com toques  alaranjados e muito brilho. Os aromas são bastante nítidos, apresentando fruta madura (ameixa, amora preta), café torrado e leve pimenta. Na boca mostra um bom corpo, com taninos maduros, integrados ao frutado e algo acidulado. Um longo final com frutas e o acidulado persistindo. Avaliação: 89/100 Pontos Pontos. Preço: R$ 115,90, na VinhosNet. Observação: degustamos  esse vinho em outras ocasiões e ele se apresentava bem superior. Decepcionou.

 

Boscato Anima Vitis 2005 -  elaborado com as  Cabernet Sauvignon, Merlot, Ancellotta, Refosco e Alicante Bouschet, com baixíssima produção das videiras. Teor Alcoólico de 13%. Passagem de 13 meses em carvalho e 28 meses em garrafa antes da comercialização. A coloração é de um intenso rubi, com halos alaranjados, bom brilho e muita transparência. Os aromas são complexos onde se sobressaem as frutas vermelhas maduras, licor de cassis, frutas passificadas, especiarias, algo tostado e toques herbáceos. Na boca apresenta um bom corpo, carnudo, com taninos macios, leve adstrigência e uma persistência longa, onde as frutas se pronunciam. Atendendo sugestão do enólogo, decantamos o vinho por quatro horas. Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$ 201,00, na Vinhos & Vinhos. Observação: degustamos  esse vinho em outras ocasiões mostrando uma permanente evolução. Isso se confirmou nessa degustação. Vai continuar evoluindo.

 

Maximo Boschi Cabernet Sauvignon 2005 – elaborado com 100% Cabernet Sauvignon, passando por um longo processo de amadurecimento (20 meses em tanques de inox, 11 meses em barricas de carvalho francês e outros 24 meses de afinamento na garrafa). Teor Alcoólico de  12,5%. A coloração é de um intenso e brilhante rubi, com halos alaranjados. Os aromas são complexos e intensos, mostrando frutas negras, pimenta, frutas caramelizadas, chocolate e tabaco. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos doces e suaves, bem integrados e em harmonia com a acidez e o álcool. Muito equilibrado. Longo final, com chocolate e frutado, muito agradável. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$125,50, na VinhosNet . Observação:  O vinho expressa a proposta dos enólogos em comercializar o produto quando ele estiver na plenitude de seu equilíbrio. Confirmando degustações anteriores, apresenta boa evolução.

 

Storia 2005 – elaborado com 100% Merlot, passando por 12 meses em Carvalho Francês e 18 meses em Cave. Teor Alcoólico de  14,5%. A coloração é de um rubi com reflexos alaranjados, indicando sua evolução. Os aromas mostram muita complexidade, com frutas negras e vermelhas, especiarias finas, café, chocolate, couro e notas balsâmicas. Na boca apresenta um corpo bem estruturado, com taninos macios em  perfeito equilíbrio com o álcool e a fina acidez. Longo final com toda sua estrutura e notas balsâmicas se mostrando. Avaliação: 94/100 Pontos. Preço: R$200,00 (a safra 2010, na Casa Valduga). Observação: ícone da vinícola, é elaborado apenas em safras excepcionais e possui tiragem limitada. É um grande vinho, confirmando as premiações internacionais que vem recebendo. Um Merlot que mostra a melhor expressão da casta.

 

 

 

Per Bacco. Todos os direitos reservados.2016