Região:

min

max

Anuncie aqui

Atividades físicas e maternidade

Por Mariana Dias
(Atualizado em 20/05/2022 - 17h09)
Compartilhar

A chegada de um filho transforma a vida de uma mulher de muitas formas. No meio de todo o turbilhão de mudanças, sabemos que a prática de atividades físicas durante a gravidez e retomada após o período de recuperação podem ser bastante desafiadoras.

Os benefícios de continuar praticando atividades físicas durante a gravidez são muitos: controle de peso, prevenção de doenças, melhora a disposição da gestante e até ajuda a evitar a depressão pós-parto.

Toda mulher sem contraindicação médica pode e deve ser fisicamente ativa durante a gravidez. Porém, mesmo com todos esses benefícios, sabemos que não é fácil conciliar exercícios com todas as mudanças que a gravidez traz no corpo e na vida da mulher.

A Beatriz Mendes, minha amiga, acabou de viver todo esse processo. A Bia é professora de educação física, artista circense sócia e proprietária, junto com o seu marido Gabriel, de uma escola de circo em Sorocaba (SP). Ela sempre foi apaixonada por movimentos corporais, foi uma criança muito ativa. Começou na dança muito nova, deu aulas de ballet e escolheu fazer faculdade de Educação Física.

No meio dessa trajetória, conheceu o circo (que já era um sonho desde pequena!) e ali se encontrou. Foi se aperfeiçoando nas técnicas aéreas (tecido acrobático, trapézio fixo e lira) e no duo acrobático, que hoje treina e se apresenta com seu marido, e nunca mais parou.

 

 

Gravidez

Durante a gravidez continuou trabalhando “normalmente”, claro que fazendo as adaptações necessárias. Conforme a barriga foi aumentando, ela sentiu que o corpo foi mostrando o que era possível e o que já não seria tão confortável fazer. Essa observação e acompanhamento do seu médico foi fundamental para continuar praticando as atividades que ela tanto ama com segurança. Também é essencial toda a orientação de um profissional de educação física para adaptar os treinos e atividades.

A Bia se apresentou como artista circense até o sexto mês de gestação e deu aulas de aéreos até iniciar o nono mês. O ritmo de treino foi mudando conforme os meses foram passando, pois tinham dias que ela não se sentia tão disposta e buscava respeitar o seu corpo. Mesmo com essas adaptações, conseguiu continuar treinando até o final da gestação, sempre com consciência e fazendo aquilo que sabia que era seguro pra ela e para o bebê.

 

 

Retomada das atividades físicas

A retomada das atividades após o parto foi extremamente difícil, pois o corpo passa por um processo fascinante, mas de muitas mudanças. Ela teve que aprender novamente onde estava o seu centro de equilíbrio, toda a musculatura abdominal já não respondia como antes e o mais difícil era lidar com a própria expectativa. Ela notava que sua mente achava que seu corpo era o mesmo de 9 meses antes e que conseguiria fazer as mesmas coisas, mas não foi bem assim.

Foi um processo físico e psicológico aprender e relembrar qual era o caminho daquelas técnicas, truques e exercícios que ela estava se propondo a fazer. Foi com muita paciência que o corpo foi voltando e se encontrando novamente.

Quando o filho dela estava com 2 meses e meio ela subiu ao palco pela primeira vez, e a adrenalina era tanta que ela sentia que nunca tinha feito aquilo antes! Foi uma experiência muito, muito emocionante!

 

 

Respeito ao corpo

Hoje, a Bia sente que a consciência corporal está muito melhor que antes de engravidar e que se seu corpo foi capaz de gerar uma vida ele é capaz de qualquer coisa que ela queira!

Tendo passado 7 meses do parto, ela segue dando aulas, treinando e se apresentando. Ainda está voltando a treinar algumas técnicas que fazia antes da gravidez, mas sempre com paciência, respeitando seu corpo e todo o processo que ele passou.

Se para uma pessoa que pratica exercícios desde sempre e é tão ativa, tudo isso foi intenso e desafiador, imagina para a maioria das pessoas que não é tão ativa assim?

Por isso, a recomendação é que é bastante importante se manter ativa durante a gestação mas sempre respeitando o corpo e não se cobrando tanto. O nosso corpo é incrível, muda muito ao longo da vida e devemos curtir e aproveitar todas as fases dele com muito carinho e se movimentar é uma das melhores formas de dar amor ao nosso corpo.