Região:

min

max

Anuncie aqui

Boletim Econômico: 26 de julho de 2022

Confira o resumo do mercado financeiro

Por Reinaldo Cafeo
(Atualizado em 26/07/2022 - 8h13)
Compartilhar

Dados de fechamento em 25/07/2022 (segunda-feira)

 

Mercado Cambial:

Abaixo a cotação de fechamento diário do Dólar comercial de venda:
• Segunda-feira (25): -2,35%, a R$ 5,3697
• Semana: -2,35%

 

Mercado Acionário:

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:
• Segunda-feira (25): +1,36% aos 100.269 pontos
• Semana: +1,36%

 

Cenário:

O Ibovespa fechou com alta de 1,36% aos 100.269 pontos. Durante o pregão, a bolsa variou entre 98.925 e 100.508 pontos. o volume financeiro registrado no dia foi de R$ 18,1 bilhões.

A bolsa brasileira tem se esforçado para ficar acima dos 100 mil pontos, influenciada pelo ruído político, à medida que elegíveis dão declarações públicas acerca do instituições e autarquias. No fim do dia, o Ibovespa manteve a resiliência e conseguiu fechar acima dos 100 mil pontos.

O noticiário do fim de semana veio cheio de manchetes trazendo o posicionamento dos principais candidatos à presidência, e boa parte das falas traz uma certa angústia ao mercado. Entretanto, o investidor sabe que isto faz parte do jogo, e segue em frente sem maiores problemas, sempre procurando ativos de proteção para resguardar a carteira.

O dólar fechou em baixa de 2,35%, a R$ 5,3697. Ao longo do dia a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3665 e a máxima de R$ 5,4790.

O Boletim Focus do Banco Central (BC) desta semana, projeta inflação menor em 2022 e Selic maior em 2023. Isso porque o relatório informa que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) recua de 7,54% para 7,30% em 2022, e avança de 5,20% para 5,30% em 2023.

A inflação pelo IPC-S recuou 0,44% na terceira quadrissemana de julho, segundo o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV). Trata-se do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal que, conforme o levantamento, acumula alta de 8,82% nos últimos 12 meses.

As transações correntes do balanço de pagamentos registraram déficit de US$ 2,8 bilhões em março de 2022, ante déficit de US$ 5,2 bilhões em março de 2021. Os dados são do Banco Central do Brasil (BC) e foram divulgados na manhã desta segunda-feira (25).

De acordo com a autoridade monetária, na comparação interanual houve aumento de US$6,6 bilhões no saldo da balança comercial de bens, parcialmente compensado pelas elevações de US$ 2,8 bilhões no déficit em renda primária e de US$ 1,1 bilhão no déficit em serviços.

Outro indicador importante, a confiança dos consumidores (ICC) avançou 0,5 ponto em julho, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV). O movimento indica que o ICC marcou 79,5 pontos e, em médias móveis trimestrais, o índice subiu 0,3 ponto, para 78,0 pontos.

 

Principais eventos e indicadores:

Terça-feira (25)

  • IPC-Fipe;
  • PIB da Alemanha em maio;
  • Confiança do Consumidor em maio, FGV;
  • IPCA-15 em junho, IBGE;
  • Caged de maio;

Quarta-feira (24) 

  • INCC-M, FGV;
  • Investimento Estrangeiro Direto em maio, Banco Central;
  • Transações correntes em abril, Banco Central;
  • Dívida pública em abril, Tesouro Nacional;
  • Reunião Fomc, Estados Unidos.

Quinta-feira (25) 

  • Desemprego em maio (PNAD Contínua), IBGE;
  • Resultado Primário em abril;
  • PIB dos EUA em maio;
  • Taxa de desemprego no Japão em maio.
  • Pedidos de Auxílio Desemprego nos EUA.

Sexta-feira (26) 

  • Confiança do consumidor da Zona do Euro;
  • IGP-M de maio, FGV;
  • Estoque de crédito em maio;
  • Produção industrial e vendas no varejo no Japão.

Fontes: Infomoney, queroinvestir, investing, Start