Região:

min

max

Anuncie aqui

Boletim Econômico: 27 de julho de 2022

Confira o resumo do mercado financeiro

Por Reinaldo Cafeo
(Atualizado em 27/07/2022 - 8h04)
Compartilhar

Dados de fechamento em 26/07/2022 (terça-feira)

 

Mercado Cambial:

Abaixo a cotação de fechamento diário do Dólar comercial de venda:

  • Segunda-feira (18): -2,35%, a R$ 5,3697
  • Terça-feira (26): -0,38%, a R$ 5,3492
  • Semana: -2,73%

 

Mercado Acionário:

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • Segunda-feira (25): +1,36% aos 100.269 pontos
  • Terça-feira (26): -0,50% aos 99.771 pontos

 

Cenário:

O Ibovespa fechou em queda de 0,50% aos 99.771 pontos. Ao longo do dia a bolsa oscilou entre 99.364 e 100.753 pontos. O volume financeiro foi de R$ 17,4 bilhões.

dólar fechou em baixa de 0,38%, a R$ 5,3492. Ao longo do dia a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3360 e a máxima de R$ 5,3929.

Destaque desta terça-feira (26) ficou para a prévia da inflação, o IPCA-15, divulgada pelo IBGE.  O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) desacelerou para 0,13% em julho, 0,56 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de junho (0,69%) e abaixo da expectativa do mercado (0,15%). Trata-se da menor variação mensal do IPCA desde junho de 2020 (0,02%).

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 5,79% e, em 12 meses, de 11,39%. O resultado apresenta o impacto total da redução do ICMS e a recente queda no preço da gasolina.

Ainda em indicadores, a inflação em São Paulo, medida pelo IPC-Fipe,  subiu 0,33% na terceira leitura de julho, ante 0,46% na leitura anterior.

O Índice Nacional do Custo da Construção, da FGV, subiu 1,16% em julho, enquanto a confiança dos consumidores (ICC) recuou 0,7 ponto.

O Boletim Focus desta semana trouxe queda na projeção da inflação deste ano, de 7,54% para 7,30%. E alta para 2023: de 5,20% para 5,30%.

O Fomc, comitê de política monetária do Federal Reserve (Fed), banco central americano, define hoje, quarta-feira (27), nova taxa de juros dos EUA. A expectativa do mercado é por alta de 0,75 ponto porcentual, com comunicado um pouco mais duro sobre o combate à inflação por parte do Fed.

Apesar do receio de recessão que domina o debate e com os EUA já apresentando alguma acomodação da atividade econômica, a inflação tende a seguir como preocupação principal do Fed – a ponto de algumas casas chegarem a precificar uma subida de 1 p.p. para amanhã, mas sem que esta seja a opinião dominante.

Principais eventos e indicadores:

Quarta-feira (24)

  • Investimento Estrangeiro Direto em maio, Banco Central;
  • Transações correntes em abril, Banco Central;
  • Dívida pública em abril, Tesouro Nacional;
  • Reunião Fomc, Estados Unidos.

Quinta-feira (25)

  • Desemprego em maio (PNAD Contínua), IBGE;
  • Caged de maio;
  • Resultado Primário em abril;
  • PIB dos EUA em maio;
  • Taxa de desemprego no Japão em maio.
  • Pedidos de Auxílio Desemprego nos EUA.

Sexta-feira (26)

  • Confiança do consumidor da Zona do Euro;
  • IGP-M de maio, FGV;
  • Estoque de crédito em maio;
  • Produção industrial e vendas no varejo no Japão;

Fontes: infomoney, queroinvestir, investing, start.