Região:

min

max

Anuncie aqui

Boletim Econômico: 28 de junho de 2022

Confira o resumo do mercado financeiro

Por Reinaldo Cafeo
(Atualizado em 29/06/2022 - 7h13)
Compartilhar

Dados de fechamento em 27/06/2022 (segunda-feira)

 

Ibovespa: alta de 2,12% aos 100.763 pontos.

Dólar Comercial de Venda: queda de 0,35% a R$ 5,2344.

 

Mercado Cambial:

Abaixo a cotação de fechamento diário do Dólar comercial de venda:

  • Segunda-feira (27): -0,35%, a R$ 5,2344
  • Semana: -0,35%

 

Mercado Acionário:

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • Segunda-feira (27): +2,12% aos 100.763 pontos
  • Semana: +2,12%

 

Cenário:

Ibovespa fechou em alta de 2,12% aos 100.763 pontos. Ao longo do pregão, a bolsa oscilou entre 98.672 e 101.106 pontos. O volume financeiro registrado no dia foi de R$ 21,6 bilhões.

A inflação na cidade de São Paulo subiu 0,13% na terceira leitura de junho, após 0,04% na leitura anterior. Trata-se do IPC-Fipe, levantamento periódico que avançou em quatro dos sete componentes pesquisados,

O Índice de Confiança da Construção (ICST) subiu 1,2 ponto em junho, para 97,5 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice avançou 1,5 ponto. A informação é do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV), para quem o primeiro semestre de 2022 chegou ao final com o aumento da confiança da construção, corroborando a percepção de que o crescimento do ano passado se estendeu, alavancado pelos investimentos do mercado imobiliário e da infraestrutura.

O governo de São Paulo anunciou a redução do ICMS na gasolina.  De acordo com o governador Rodrigo Garcia (PSDB), o Estado vai reduzir imediatamente as alíquotas, passando de 25% para 18%, o que poderá causar uma redução no preço da gasolina nas bombas de ao menos R$ 0,40 por litro, podendo chegar a R$ 0,48. Com esse movimento, estima-se que o preço médio do combustível fique abaixo de R$ 6,50.

Nos EUA expectativa sobre o PIB do primeiro trimestre, na versão final, que será divulgado na quinta-feira, além dos dados de consumo pessoal e gastos pessoais, e o Índice de Preços para Despesas com Consumo Pessoal (PCE), medida favorita do Federal Reserve (Fed), banco central americano, para medir a inflação.

Vale lembrar que, nos EUA, o Fed promoveu em 15 de junho a maior alta de juros desde 1994, com 0,75 ponto porcentual. E mais outra alta de 0,5 p.p. a 0,74 p.p. é aguardada para a próxima reunião de política monetária.

 

Principais eventos e indicadores:

– Terça-feira (28): Confiança do Consumidor (EUA).

– Quarta-feira (29): IGP-M (BRA). PIB trimestral (EUA). Discurso presidente do Fed (EUA). PMI (CHI).

– Quinta-feira (30): Pedidos de Auxílio Desemprego (EUA). Dados do CAGED (BRA). Taxa Desemprego (BRA). Dívida Pública/PIB (BRA).

– Sexta-feira (01): IPC-Fipe (BRA). Produção Industrial (BRA). Balança Comercial (BRA).

 

*Condicionada divulgação ao fim da greve dos servidores

 

Fontes: infomoney, queroinvestir, investing, start.