Região:

min

max

Anuncie aqui

Boletim Econômico: 5 de julho de 2022

Confira o resumo do mercado financeiro

Por Reinaldo Cafeo
(Atualizado em 05/07/2022 - 8h41)
Compartilhar

Dados de fechamento em 04/07/2022 (segunda-feira)

 

Ibovespa: queda de 0,35% aos 98.608 pontos.

Dólar Comercial de Venda: alta de 0,08% a R$ 5,3257.

 

Mercado Cambial:

Abaixo a cotação de fechamento diário do Dólar comercial de venda:

  • Segunda-feira (4): alta de 0,08% a R$ 5,3257
  • Semana: +0,08%

 

Mercado Acionário:

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • Segunda-feira (4): -0,35%, a R$ 5,3257
  • Semana: -0,35%

 

Cenário:

O dólar fechou em alta de 0,08%, a R$ 5,3257. Ao longo do dia a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,2885 e a máxima de R$ 5,3342.

A inflação na cidade de São Paulo ficou em 0,28% em junho, abaixo das estimativas, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), divulgado nesta manhã de segunda-feira (4). A mediana das estimativas marcava 0,34%. De acordo com o levantamento, o índice desacelerou em reação ao ganho de 0,42% verificado em maio.

O Ibovespa fechou com queda de 0,35% aos 98.608 pontos nesta segunda-feira (4). Ao longo do pregão, o índice variou entre 98.264 e 99.353 pontos. O volume financeiro registrado no dia foi de R$ 11,4 bilhões, bem abaixo da média.

O maior destaque da semana fica por conta do IPCA, inflação oficial, que sai na sexta (8), com projeção de alta de 0,65% em junho, ante 0,47% do mês anterior, repercutindo impactos da mudança na bandeira de conta de luz, mas com reajuste dos planos de saúde.

Segundo o último relatório de inflação do Banco Central, a projeção para o IPCA em 2022 é de 8,8% ao ano, depois de atingir um pico de 12% ao ano no segundo trimestre de 2022. Vale lembrar que o limite superior intervalo de tolerância é 5% (a meta é 3,5%). Ou seja, novamente a inflação deve estourar a meta estipulada pelo BC.

Já para 2023, a inflação projetada cai para 4%. E, em 2024, para 2,7%. As metas para esses anos são 3,25% e 3%, respectivamente, e as expectativas seguem, portanto, ainda sem estourar o teto de tolerância.

Outro tema que merece atenção na semana é o encaminhamento da votação da PEC dos benefícios para votação na Câmara dos Deputados. O projeto, que já passou pelo Senado, aumenta o Auxílio Brasil para R$ 600, e estipula vale-caminhoneiro de R$ 1 mil, além de vale-taxista, ainda sem valor definido por trabalhador.

Nos EUA, que foi feriado, mas ao longo da semana tem ata da última reunião do Fomc, comitê de política monetária dos EUA, além de payroll, na sexta.

Quanto à ata, o investidor procura no documento sinais que apontem se a subida de juros da próxima reunião do Fomc será de 0,5 ou de 0,75 ponto porcentual. Também, até onde os juros irão.

Nos EUA, é grande o receio de que o ritmo de aceleração dos juros cause recessão. Na manhã desta segunda (4), foi divulgada a inflação ao produtor da zona do euro, que teve aumento de 0,7% em maio, e de 36,3% na comparação anual. O resultado veio abaixo da expectativa, que era por 1,2% e 36,8%, respectivamente.

Na China, depois do relaxamento na quarentena dos visitantes, o país impõe novo lockdown contra Covid, agora na província de Anhui.

 

Principais eventos e indicadores (semana de 04/07 a 08/07):

  • Terça-feira (05): Produção Industrial (BRA). PMI Serviços (BRA).
  • Quarta-feira (06): PMI Serviços (EUA). Fluxo Cambial (BRA). Ata Reunião Fomc (EUA).
  • Quinta-feira (07): Pedidos de Auxílio Desemprego (EUA). IGP-DI (BRA). Vendas do Varejo (BRA).
  • Sexta-feira (08): IPCA (BRA). Taxa de Desemprego (EUA). IPC (CHI).

*Incerta divulgação devido à greve dos servidores do Banco Central

 

 

Fontes: infomoney, queroinvestir, investing, start.