Região:

min

max

Anuncie aqui

Boletim Econômico: 7 de junho de 2022

Confira o resumo do mercado financeiro

Por Reinaldo Cafeo
(Atualizado em 07/06/2022 - 9h13)
Compartilhar

Dados de fechamento em 06/06/2022 (segunda-feira)

 

Ibovespa: queda 0,82% aos 110.186 pontos.

Dólar Comercial de Venda: alta de 0,37% a R$ 4,7962.

 

Mercado Cambial:

Abaixo a cotação de fechamento diário do Dólar comercial de venda:

  • Segunda-feira (6): +0,36%, a R$ 4,7962
  • Semana: +0,36%

Segue a cotação diária do Euro (comercial de venda) no fechamento:

  • Segunda-feira (6): +0,01%, a R$ 5,11
  • Semana: +0,01%

 

Mercado Acionário:

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • Segunda-feira (6): -0,82% (110.186 pontos)
  • Semana: -0,82%

 

Cenário:

O dólar recuou na sessão de ontem mesmo com a melhora no apetite por risco global após a redução de restrições sanitárias na China, em início de semana marcada pela reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) e por dados de inflação nos EUA e no Brasil. A moeda americana subiu 0,37%, a R$ 4,796, após oscilar entre R$ 4,749 e R$ 4,807.

A bolsa brasileira abriu em alta nesta segunda-feira (6), mas inverteu o sinal nas primeiras horas do pregão e fechou em baixa, com investidores cautelosos diante do imbróglio sobre os preços dos combustíveis. A pressão para que o Ministro da Economia, Paulo Guedes, encontre uma solução nos próximos dias gera preocupação com a situação fiscal do país. Ontem à noite, já com os mercados fechados, Bolsonaro convocou coletiva de imprensa, e ao lado do Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco e do Presidente da Câmara, Arthur Lira, anunciou a intenção de zerar a alíquota do ICMS sobre os combustíveis e compensar os Estados. O Ministro Paulo Guedes se pronunciou alegando que há receitas orçamentárias para isso.

Além disso, comentários são de que a publicação do plano de governo do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, atual primeiro colocado nas pesquisas eleitorais, não foi vista com bons olhos – uma vez que promete revogar reformas e acabar com o teto de gastos.

Na contramão, os principais índices de NY e dos mercados da Europa subiram, além da Ásia, onde as bolsas fecharam com valorização, respondendo à flexibilização dos lockdowns na China, o que aumenta a expectativa pelo aumento da demanda de commodities. Por aqui, o resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que mostrou a criação de 196.966 empregos no país em abril, não foi suficiente para sustentar os ganhos do Ibovespa.

Sobre os dados do Caged a autarquia pertence ao ministério do Trabalho e Previdência Social e os dados foram divulgados na manhã de ontem (6). O levantamento mostra ainda que no mês passado foram criados 1,85 milhão de empregos formais, ao mesmo tempo em que 1,66 milhão de trabalhadores foram demitidos.

Por outro lado, o mercado projeta inflação de 8,89% em 2022, segundo levantamento do Banco Central (BC). Trata-se de uma parcial do Boletim Focus e que abrange uma expectativa mediana. Já para 2023, a inflação deve ser de 4,39% na mediana do mercado.

O Produto Interno Bruto (PIB), por sua vez, deve variar 1,2%. Para 2023, 0,76% na mediana. Na sequência, o câmbio deve ficar em R$ 5,05 em 2022. E R$ 5,05 na mediana.

No exterior, a semana tem divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro no primeiro trimestre e decisão do Banco Central Europeu sobre juros. O mercado espera um anúncio do início do ciclo de alta de juros para julho.

Também saem os índices de preços ao consumidor (IPC ou CPI em inglês), dos Estados Unidos e da China, que mexem com o mundo todo.

Sobre a alta dos preços, os investidores têm enfrentado temores de que o banco central americano possa aumentar as taxas de juros em intensidade e velocidade demais, o que causaria recessão.

Na sexta-feira (3), o payroll, dado oficial de emprego, apontou a criação de 390 mil vagas, bem acima do consenso de mercado, que estimava 328 mil vagas. O que coloca ainda mais pressão sobre a inflação.

 

Principais eventos e indicadores (semana de 06/06 a 10/06):

– Terça-feira (7): Dados do Balanço de Pagamentos (EUA).

– Quarta-feira (8): IGP-DI (BRA). Dados do Caged (BRA).

– Quinta-feira (9):  Pedidos de Auxílio Desemprego (EUA). Dados do Comércio Exterior (CHI). IPCA (BRA). IPC (CHI).

– Sexta-feira (10): Vendas Varejo (BRA). IPC (EUA).

* devido à greve do Bacen não deve ser divulgado

 

 

Fontes: infomoney, queroinvestir, investing, start.