Região:

min

max

Anuncie aqui

A diferença é a marca

Por Victor Trujillo
(Atualizado em 18/07/2022 - 10h45)
Compartilhar

Nesta semana vamos falar das diferenças entre Branding e Marketing. Sim, elas existem e nestes tempos de elevada concorrência pela atenção dos consumidores (Leia: Live Marketing de São João), dominar os conceitos (Leia: Na prática, a teoria ajuda muito) e entender que um precisa do outro (e complementa o outro), facilitará a expansão do seu negócio.

O que é Branding?

É muito mais do que as cores e design da sua marca. É sobre transmitir aos clientes quem você é e o que eles podem esperar ao comprar seus produtos ou serviços. É uma conexão emocional com os clientes.
Em tempos de produtos muito parecidos, funcionalidades semelhantes ou equivalentes, a diferença não se baseia em características. A diferença é a marca.
E uma boa marca é para sempre. Empresas deixam de existir, marcas permanecem vivas na memória dos consumidores.

O que é Marketing?

Marketing é sobre criar, comunicar e entregar valor para os consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral. Abrange disciplinas, incluindo Pesquisa de Mercado, Publicidade, Pricing, Vendas e (é claro) Branding.
As atividades de Marketing identificam necessidades não atendidas, avaliam o tamanho do mercado, seu potencial de crescimento e determinam estratégias para atingir qual público em qual mercado, com qual produto vendido a qual preço, para transformá-los em clientes fiéis e expandir os negócios.

Primeiro Branding, depois Marketing

Algumas empresas nascem de pequenos negócios e seus fundadores emprestam o nome da família ou da cidade. Sem pretensão e sem planejamento. E quando adquirem faturamento (e musculatura) entendem que chegou a hora de investir em Marketing. Estas empresas descobrem que muito há a ser feito em Branding primeiro. Afinal, a identidade da marca é a base para todos os planos de marketing.
O valor emocional da marca vem primeiro. O que a marca tem a dizer? O modo como ela se conecta com as pessoas vem antes da relação comercial. O interesse que a marca desperta (em todos os públicos) por aquilo que ela significa é anterior aos benefícios que seus produtos e serviços entregam e o que ela gera de resultados para a sociedade como um todo.
As pessoas se conectam com as marcas e depois compram produtos e serviços. E não o contrário.

Marcas de consideração

Em muitas categorias de produtos os consumidores compram a marca mais barata. Mas a marca é escolhida desde que (e somente se) aquela marca pertença a um conjunto de marcas que ele “considera” comprar. Ou seja, o consumidor vai comparar os preços de algumas marcas previamente selecionadas por ele e não de todas as marcas.

O Branding vai incluir a sua marca nas marcas de consideração. O Marketing vai determinar o preço, embalagem, atributos, disponibilidade da sua marca na gôndola e, inclusive, posição na gôndola.
E não se esqueça que você é dono do seu Marketing. Mas os seus clientes são os (verdadeiros) donos da sua marca. Por isso é necessário monitorar o Brand Image da sua marca de tempos em tempos: identificar as características fortemente associadas à sua marca pelos consumidores. Como a sua marca é percebida.
Os publicitários adoram lembrar que “comunicação é o que o outro entende”. O Brand Image trata das associações mentais, aquilo que os consumidores percebem e ligam à sua marca. Independentemente de você ter comunicado aquilo ou não.
As marcas lembradas em primeiro lugar quando o consumidor pensa na categoria, chamadas de Top of Mind, são marcas fortes que geralmente fazem parte das Marcas de Consideração e estão aptas a receber associações (intencionais ou não) que caracterizam o Brand Image.

E no seu negócio, você tem apenas um logotipo colorido ou a sua marca traduz o que você é e se conecta emocionalmente aos seus clientes?
Boa semana 29 pra vc!

Leia também

Ver mais