Região:

min

max

Anuncie aqui

Geração Z: a geração Minions

Por Victor Trujillo
(Atualizado em 18/07/2022 - 10h37)
Compartilhar

Nesta semana vamos falar dos perfis geracionais que tanto frequentam as reuniões de marketing e comunicação. Especificamente da Geração Z que se comunica como um corpo coeso fluente na cultura da Internet. É a geração dos memes. É também a geração dos Minions, afinal eram crianças quando o primeiro “Meu Malvado Favorito” chegou aos cinemas em 2010. Não foi à toa que o filme “Minions 2: A Origem de Gru” tenha estreado em primeiro lugar na bilheteria nacional e levado 796 mil pessoas aos cinemas, em sua maioria jovens pertencentes à geração Z. (Leia: O fim do Shopping Center como o conhecemos)

Perfis geracionais

Perfil geracional é o conjunto de características de um grupo de pessoas que nasceram em determinadas décadas e refletem a realidade de sua época. Vejamos cada um deles:
• Baby Boomers: nascidos entre 1946 e 1964
• Geração X: pessoas que nasceram entre 1965 e 1980
• Geração Y (Millennials): nascidos entre 1981 e 1994
• Geração Z (Zoomers) nascidos entre 1995 e 2010
• Geração Alpha: nascidos a partir de 2010

Os planners das agências de comunicação e os estrategistas de marketing das empresas utilizam as pistas da segmentação geracional para entender melhor o comportamento dos consumidores e criar estratégias de marketing e comunicação para posicionar produtos e criar vínculos com os consumidores.
Se antes da pandemia os Millennials receberam muita atenção, durante a pandemia o forçoso convívio com os filhos adolescentes (pertencentes à geração Z) revelou uma distância estarrecedora dos valores desta nova geração e colocou a geração Z sob os holofotes. O interesse aumentou ainda mais quando se descobriu o quanto estes jovens influenciam seus pais nas decisões sobre quais marcas comprar e, principalmente, quais marcas não comprar.
A pandemia de Covid-19 também revelou que o trabalho remoto é viável (com o suporte certo) e é justamente a geração Z que tirou de letra o ensino a distância e abraçou o trabalho remoto.
Ansiosa por recuperar a liberdade perdida durante a pandemia, a Geração Z está pronta para mudar o mundo, o comportamento dos consumidores e, por consequência, impactar também as marcas.

Decifrando a geração Z

Com idades entre 12 e 27 anos, muitos já inseridos no mercado de trabalho, os zoomers – como são chamados os pertencentes à geração Z – são nativos digitais: aqueles que já nasceram num mundo com Internet e cresceram com smartphones, mídias sociais e vídeos sob demanda. Eles não conheceram o mundo sem o Google, sem a Internet e realmente têm dificuldade em separar a vida on-line da vida off-line: para eles a Internet (mídias sociais) é uma necessidade básica.

Hiperconectados e hiperinformados

São os que transitam mais facilmente entre realidade aumentada, metaverso, casa conectada e carro conectado. Para eles o entretenimento pode ser em qualquer tela e em qualquer lugar.

Valorizam a privacidade

Você estranhou ao ver que a foto de perfil no WhatsApp do seu filho adolescente não mostra o rosto dele? É que a geração Z valoriza a privacidade. Por isso não estão no Facebook e preferem as mídias sociais ondem possam manter suas interações restritas.

Empreendedores

Eles sonham em se tornar empreendedores, construir seus próprios negócios e nunca precisar responder a um chefe.

Diversidade é a norma

Eles cresceram em um mundo diverso e é tudo o que sabem. Nem raça, orientação sexual ou religião são as características identificadoras. Para os zoomers as pessoas são apenas pessoas.

O fato é que a geração Z logo se tornará o maior público para o varejo e para conquistar (ou manter) uma fatia desse público as marcas precisam entender os zoomers e começar desde já a se relacionar com eles.

E para o seu negócio, a geração Z já é o público mais importante ou você ainda tem tempo de decifrar os zoomers e criar vínculos com eles?
Boa semana 28 pra vc!

Leia também

Ver mais