Região:

min

max

Anuncie aqui

Sífilis: o que é e como tratar?

Por Naihma Fontana
(Atualizado em 20/06/2022 - 17h24)
Compartilhar
O que é sífilis?
A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum.
Divide-se em 4 estágios: sífilis primária, secundária, latente e terciária. Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. A sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada, ou para a criança durante a gestação ou parto (sífilis congênita)
Sífilis primária
Ferida, geralmente única, no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca, ou outros locais da pele), que aparece entre 10 a 90 dias após o contágio. Essa lesão é rica em bactérias, não é dolorosa, não coça, não arde e não tem pus, podendo estar acompanhada de ínguas (caroços) na virilha.
Sífilis secundária
  • Os sinais e sintomas aparecem entre 6 semanas e 6 meses do aparecimento e cicatrização da ferida inicial.
  • Podem ocorrer manchas no corpo, que geralmente não coçam, incluindo palmas das mãos e plantas dos pés. Essas lesões são ricas em bactérias.
  • Pode ocorrer febre, mal-estar, dor de cabeça, ínguas pelo corpo.
Sífilis latente – fase assintomática
  • Não aparecem sinais ou sintomas.
  • É dividida em sífilis latente recente (< 2 anos de infecção) e sífilis latente tardia (mais de dois anos de infecção).
  • A duração é variável, podendo ser interrompida pelo surgimento de sinais e sintomas da forma secundária ou terciária.
Sífilis terciária
  • Pode surgir de 2 a 40 anos depois do início da infecção.
  • Costuma apresentar sinais e sintomas, principalmente lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas, podendo levar à morte.
Sífilis congênita:
essa forma permite que, Através da placenta, a bactéria Treponema Pallidum possa atingir o feto e, se não tratada, provocar no falhas na dentição, problemas nos ossos, cegueira, surdez e até distúrbios no sistema nervoso central, prejudicando o desenvolvimento do bebê.

Diagnóstico:

  • Através do teste rápido (TR) de sífilis e testes laboratoriais (VDRL, não treponêmico ou FTA Abs, treponêmico) para confirmação do diagnóstico.
  • Tratamento
  • Primeira escolha são as penicilinas.
  • Em caso de gestante, devido ao risco de transmissão ao feto, o tratamento deve ser iniciado com apenas um teste positivo o mais rápido possível
  • Sempre tratar o parceiro sexual, mesmo em caso de teste negativo, caso ele tenha sido exposto nos últimos 90 dias
Como prevenir a sífilis?
  • Uso de preservativos de barreira (sexo seguro) é a única medida de prevenção da sífilis.
  • Não há vacina contra a sífilis e a doença não confere imunidade permanente. Assim, você pode “pegar” sífilis quantas vezes quiser (e puder)!