Região:

min

max

Anuncie aqui

Apple quer eliminar o uso de senhas com o iOS 16

De acordo com a empresa, usuários poderão abandonar o uso de senhas para efetuar login em plataformas de terceiros

Por Fábio Devito
(Atualizado em 10/06/2022 - 16h40)
Compartilhar

Você já imaginou um mundo em que é possível acessar serviços como e-mail, conta bancárias, até mesmo aplicativos e redes sociais sem o uso de senhas? Se depender da Apple, com os novos recursos do iOS 16 – o sistema operacional do iPhone – isto pode acontecer em breve.

A empresa realizou na terça-feira (6) a WWDC 2022 – convenção que apresenta novidades de software para a imprensa e desenvolvedores. Entre as revelações estão a já esperada linha de MacBooks com o chip M2 e sistemas operacionais iOS 16, iPadOS 16 e WatchOS 9.

Apesar do destaque envolvendo os novos M2, (processadores feitos a partir da tecnologia ARM que tornam os laptops mais rápidos e menores), um detalhe prendeu a minha atenção durante a apresentação: trata-se do recurso passwordless.

De acordo com a Apple, a partir do iOS 16, usuários poderão abandonar o uso de senhas para efetuar login em plataformas de terceiros como redes sociais, e-mails, aplicativos de banco etc. A nova versão do sistema possuirá um recurso de criptografia e armazenamento de senhas feitas a partir do seu Face ID – o reconhecimento facial do iPhone – ou Touch ID – reconhecimento biométrico – garantindo maior segurança no processo.

O que é criptografia

Quando falamos de segurança digital, criptografia é a conversão de dados de um formato legível para um formato codificado. Trata-se de um enigma decifrado pela junção de códigos presentes em dois dispositivos. Assim, mesmo que uma parte desta senha seja interceptada, o conteúdo dela não será vazado.

Criptografias são diferentes de senhas tradicionais. Figurativamente, as senhas que utilizamos hoje são como chaves que, ao inseri-las no campo de preenchimento de um serviço, destravam uma fechadura.

Já as criptografias são ao mesmo tempo chave e fechadura, pois parte do código de acesso estará com o usuário e a outra parte com o serviço.

Como funcionarão as senhas da Apple

Segundo o vice-presidente de tecnologias para a internet da Apple, Darin Addler, as senhas via reconhecimento facial serão batizadas de Passkey e funcionarão da seguinte maneira: ao acessar um serviço externo, o usuário terá a opção de substituir a sua senha tradicional por uma criptografia. Para acessá-la, é necessário o uso biométrico ou facial. Este padrão será mantido em um banco de dados em nuvem.

O grade diferencial, no entanto, não está no login em si – tendo em vista que o acesso por sistemas biométricos já é possível e, inclusive, mencionado anteriormente nesta coluna -, mas está na forma como a Apple armazenará essas senhas.

Exclusão de senhas será tendência

A novidade da Apple mostra um grande avanço no campo da segurança digital. Até então, a criptografia não era viável, pois veiculava o acesso de serviços apenas a poucos dispositivos, algo que é visto, ao acesso de carteiras digitais de criptomoedas, por exemplo.

No entanto, segundo a Apple, as PassKeys serão compartilhadas em todos os dispositivos da empresa, permitindo ao usuário utilizar o mesmo login, tanto em um iPhone quanto em um MacBook.

De acordo com a empresa, isto só é possível graças ao protocolo de segurança WebAuthn, uma API de segurança derivada de projetos da FIDO.

Há quase dez anos, o instituto FIDO Alliance – associação de grandes players da tecnologia, incluindo nomes como Google, Samsung, Intel, Mastercard, Visa e Lenovo – trabalha na criação de um novo padrão de senhas na internet.

Em março de 2022, o instituto anunciou novidades nesta pesquisa: um novo padrão FIDO que permitirá o armazenamento de chaves criptografadas capazes de sincronizar em diversos dispositivos a partir de uma chave pública.

Enquanto a criptografia tradicional se baseava na autenticação simultânea de duas chaves, os novos padrões FIDO utilizam quatro chaves, uma pública e uma privada para cada lado.

Além de se tornar o processo mais seguro, o novo padrão é um dos responsáveis pela autenticação de vários dispositivos com a mesma criptografia.

Além da Apple, outras empresas como a Microsoft e Google já declararam apoio ao projeto, o que significa que em breve o uso de senhas irá mesmo acabar.

Quando será lançado o iOS 16

De acordo com a Apple, o novo sistema operacional do iPhone será liberado para testes de desenvolvedores ainda neste mês. Já a versão de testes aberta ao público, será disponibilizada apenas em julho.

A versão oficial, por sua vez, deverá chegar ao mercado em setembro, tradicional mês de lançamentos da empresa, juntamente com o iPhone 14.