Região:

min

max

Anuncie aqui

Xiaomi: Mi Band 7 é lançada no mercado internacional

Apesar de melhorias de tela e aquisição de oxímetro, versão global da pulseira não terá NFC

Por Fábio Devito
(Atualizado em 21/06/2022 - 16h12)
Compartilhar

Conhecidas pelo custo-benefício, as pulseiras inteligentes Mi Band chegam à 7ª geração com tela maior e recursos aprimorados para a saúde dos usuários e bateria com autonomia de 14 dias. O acessório foi lançado no mercado Global pela Xiaomi nesta terça-feira (21).

A nova smart band da Xiaomi mantém o tradicional visual arredondado com pulseiras de silicone, mas inova ao oferecer um display de amoled de 1,62 polegadas. De acordo com a fabricante, o aumento de 25% em relação a geração anterior garantirá novas telas customizáveis. Aliada a função AOD (Always on display), que preserva a imagem do visor sempre ligada e com baixo consumo de bateria, a tela maior permitirá a inclusão de mais recursos de monitoramento sem que os usuários tenham que tocar no visor.

Recursos para saúde

Além da habitual certificação de resistência à água de até 50 metros, a Xiaomi trouxe ao acessório mais de 110 modos de rastreamento de atividades físicas, incluindo o mapeamento de batimentos cardíacos, monitoramento do sono e o rastreamento automático de SpO2, um oxímetro para o controle da respiração dos usuários.

Ainda segundo a fabricante, a pulseira pode emitir alertas de risco quando atividades de alto rendimento forçarem o índice de oxigênio abaixo dos 90%.

Os novos recursos também incluem atualizações no software da Mi Band. De acordo com a Xiaomi, além das funções de treino, também será possível efetuar um controle maior nos níveis de estresse e até monitoramento de ciclos de saúde feminina para usuárias.

Modelo internacional não possui NFC

Apesar dos acertos, a Xiaomi cometeu uma gafe no lançamento global da Mi Band 7. Diferentemente do modelo exclusivo ao mercado chinês, a versão internacional da smart band não possui o sistema de conexão NFC – amplamente utilizado para transações monetárias sem fio e pareamento de dispositivos inteligentes.

Segundo a Xiaomi, o recurso NFC é fruto de uma parceria com a operadora de cartões Mastercard e não deve chegar ao ocidente não cedo.

1 milhão de unidades vendidas

Lançada primeiro na Ásia, no último mês, a Mi Band 7 já é considerada um sucesso para a Xiaomi. O dispositivo vendeu cerca de 1 milhão de unidades em seu primeiro mês. A fabricante espera atingir números ainda maiores no mercado internacional.

A pulseira chegou à Europa na terça-feira (21) com preço sugerido de € 59,99 (aproximadamente R$ 326, sem impostos). O dispositivo ainda não tem data para chegada oficial no Brasil, mas pode ser adquirido em sites internacionais. No Brasil, a Mi Band 6 pode ser encontrada na faixa dos R$ 350.

Vale a pena?

A Mi Band 7 é uma ótima opção para quem procura por uma opção mais barata de gadget. Embora não seja tão completa quanto um smart watch, os seus recursos de monitoramento cardíaco fazem da pulseira uma ótima aquisição para quem busca acessórios para a prática esportiva.

Além disso, com a tela maior, o seu sistema de notificações também pode aumentar a produtividade dos usuários permitindo a visualização de mensagens de apps como o WhatsApp, redes sociais e até mesmo a leitura de e-mails.