Região:

min

max

Anuncie aqui

Turismo LGBTI+: respeito e segurança na bagagem

Confira algumas dicas para quem trabalha no trade de turismo

Por JP Polo
(Atualizado em 25/07/2022 - 13h58)
Compartilhar

#PraTodesVerem: JP Polo é um homem branco, gay, cisgênero, com barba preta, cabelo raspado. Veste uma camisa colorida e usa chapéu. Ao fundo tem a bandeira do arco-íris na parede e, na mesinha de madeira ao seu lado, estão algumas bandeiras pequenas de países diversos e uma vaso com uma folhagem verde.

 

Desde criança, minha mãe sempre disse que eu “tinha rodinhas nos pés”. Eu não negava convite pra dormir fora de casa, passear, conhecer novos lugares. Viajar, então, desde muito pequeno foi a minha paixão: novos ares, sabores, culturas, natureza, cidades, arquitetura, arte, línguas… Desde que comecei a trabalhar e ganhar meu próprio dinheiro, por sorte eu consegui guardar parte da grana pra investir em viagens. Sim, viajar é investimento de vida! É o que me renova, traz novas perspectivas, me tira do eixo. E pode ser para um país longínquo ou para um chalezinho na serra, a poucas horas de distância. O importante é sair da rotina.

Há alguns anos, já trabalhando com Diversidade, Equidade e Inclusão, conheci profissionais e organizações que se dedicam em pensar, discutir e valorizar o Turismo LGBTI+. Viajar, na maioria das vezes, é buscar momentos de leveza, de tranquilidade, esquecer dos problemas diários, não ter que se preocupar com nada além da diversão e o relaxamento. Porém, para algumas pessoas LGBTI+, viagem pode ser sinônimo de dor de cabeça. E, algumas vezes, isso começa antes mesmo de você chegar ao destino escolhido.

Vivemos numa sociedade LGBTfóbica e isso não exclui o universo do turismo. Por mais que aparentemente seja um ambiente de acolhimento e lazer, os preconceitos estão ali presentes. Na relação direta com turistas, isso pode ficar explícito e o que seria um dia de alegria, pode se transformar num dia de total estresse. Para isso, valem algumas dicas simples para quem trabalha no trade de turismo (hotéis, restaurantes, bares, agências de viagem, operadoras de turismo, receptivos de passeios, transporte…) para um atendimento respeitoso e que considere pessoas LGBTI+:
1 – Conheça e se informe sobre a comunidade LGBTI+ e como ser uma pessoa aliada à causa;
2 – Respeite o nome social de pessoas trans e travestis, independentemente do que esteja escrito no seu documento. Para isso, é importante ter sistemas em que as pessoas possam identificar seu nome social, seu gênero e pronomes de preferência;
3 – Não tire conclusões precipitadas: dois homens ou duas mulheres podem ser um casal e escolherem cama de casal no hotel, por exemplo;
4 – Posicione-se frente a qualquer tipo de discriminação, agressão ou falas preconceituosas. E, em caso de denúncias, tenha mecanismos objetivos para o tratamento das mesmas e dê respostas aos envolvidos;
5 – LGBTfobia é crime no Brasil, desde 2019. Denuncie!
6 – Na dúvida da melhor maneira de atender ou se referir a alguém, pergunte! Sempre com respeito e mostrando que o intuito é melhor receber, acolher e criar um ambiente seguro para aquele ou aquela turista.

Entender para melhor atender

Em 2019, antes da pandemia, fui convidado para participar de um projeto criado pelo meu amigo Alex Bernardes (@bernardesalex). A ideia era criar um treinamento exclusivo para profissionais do turismo, com o objetivo de apresentar as boas práticas de atendimento deste público, como algo básico e mais que necessário, e consequentemente atrair ainda mais turistas da nossa comunidade para os destinos. Afinal de contas, eu quero gastar meu dinheiro com quem me respeite e me receba bem! Mas para melhor atender é preciso entender as demandas deste público. Foi aí que eu entrei. Nesse workshop que criamos, falamos dos conceitos da sigla LGBTI+, sobre nossos vieses inconscientes, coloco na mesa os temas sensíveis e tiro todas as dúvidas. Meu lema é: Conhecimento e Convivência contra o preconceito!

A primeira experiência foi em Bonito, em março de 2020, quando reunimos pessoas do ramo turístico da cidade e de outros destinos do Mato Grosso do Sul.

Treinamento em Bonito (MS) que reuniu cerca de 100 pessoas do estado
Treinamento em Bonito (MS) que reuniu cerca de 100 pessoas do estado

Infelizmente, com a pandemia, esse setor foi muito afetado e nossos planos de expandir essa conversa para os quatro cantos do país teve que ser adiado. Mas agora estamos voltando, abrindo porta e mentes! Nesta semana, vamos fazer esse treinamento no LGBTI+ Turismo Expo, o maior evento desse tipo da América Latina, que acontece no Rio de Janeiro.

O que me motiva nesse trabalho especificamente é a possibilidade de chegar na ponta: de ver uma potencial mudança acontecendo, criando relações mais saudáveis, livres de discriminação. Atingindo quem atende e quem é atendido diretamente. É fundamental ocuparmos os espaços e expandirmos essa conversa, ampliando a consciência e fazendo com que as pessoas sejam protagonistas na transformação de uma sociedade melhor para todo mundo!
Para saber mais sobre esse treinamento no Rio, me segue nas redes sociais (LinkedIn e Instagram) que mostrarei tudo pra vocês por lá!

É importante entender sobre o tema e sobre o público LGBTI+ para melhor atender as pessoas
É importante entender sobre o tema e sobre o público LGBTI+ para melhor atender as pessoas

 

#dicadoJP
@lgbtmaisturismoexpo22
O LGBT+ Turismo Expo é uma plataforma geradora de conhecimento que reúne os melhores profissionais do mercado em um dia networking, exposição, sessões educacionais e workshops, gerando uma profunda reflexão na busca de soluções e alternativas para o crescimento do segmento proposto.
@iglta
A IGLTA foi fundada em 1983 e é a rede líder mundial de empresas de turismo acolhedoras LGBTI+. Fornecem recursos e informações de viagens gratuitas enquanto trabalham continuamente para promover a igualdade e a segurança no turismo LGBTI+ em todo o mundo. Os membros da IGLTA incluem acomodações amigáveis ​​para LGBTI+, transporte, destinos, prestadores de serviços, agentes de viagens, operadores turísticos, eventos e mídia de viagem localizados em mais de 80 países.