Região:

min

max

Anuncie aqui

Better Call Saul: 6ª Temporada, Parte 1

Série quebra a sina de obras prequel e entrega um conteúdo tão bom quanto a original

Por Gabriel Candido
(Atualizado em 06/06/2022 - 12h46)
Compartilhar

Breaking Bad foi um fenômeno. A série produzida por Vince Gilligan foi lançada em 2008, teve cinco temporadas e colecionou prêmios e fãs.

A série narra a história de Walter White (Bryan Cranston), um humilde professor de química que vê sua vida se transformar quando descobre ser portador de um câncer terminal. No meio dessa história, existe um carismático advogado de defesa criminal, Saul Goodman, que entra na segunda temporada e vai até seu fim.

Dois anos após seu término, foi anunciado em 2015 que aconteceria uma nova história deste universo. No caso, uma história que se passa antes dos acontecimentos de Breaking Bad, e ela contaria a história de Saul Goodman anos antes de conhecer Walter White.

O homem que se tornará Saul Goodman é conhecido como Jimmy McGill, um advogado de pequenas causas procurando o próprio destino e, mais imediatamente, tentando acertar sua vida financeira. Além da fracassada carreira no direito, ele precisa cuidar do irmão mais bem-sucedido, Chuck (Michael McKean), que embora seja um brilhante advogado, está passando por um grave problema de saúde mental. A série acompanha a transformação de Jimmy em Saul Goodman, o homem que coloca criminosos dentro da “lei”.

Inicialmente existe uma certa resistência em contar histórias prequels, na cultura pop essa fórmula não vem dando muito certo. Exemplos como Star Wars, trilogia Hobbit e Animais Fantásticos são exemplos de obras que são legais, mas não conseguem superar as originais e, por muitas vezes, ficam bem abaixo.

Mas aqui, com Vince Gilligan à frente, temos uma exceção à regra e posso dizer que Better Call Saul é tão bom quanto a série original. E, nesse final, tem tudo para ser melhor que a obra original.

Rodado com câmeras digitais de resolução 4K, Better Call Saul toma como referência o estilo fotográfico de um dos gênios do cinema, Stanley Kubrick. Da regra estipulada pelo diretor em fazer da primeira imagem do filme a mais intrigante para o público até o uso de um lento zoom out, além de enquadrar o que estiver em cena seguindo a perspectiva de um ponto central.

E com o término com acontecimentos surpreendentes da 1ª parte da sexta e última temporada, fica o cenário perfeito para o desfecho que se encaixa com os acontecimentos de BB. Afinal, desde a primeira temporada, poucos dos personagens apresentados em Better Call Saul chegariam ao final da série, afinal, eles nunca deram as caras em Breaking Bad.

 

De coadjuvante a protagonista

Vista como um alívio cômico dentro da trama de Breaking Bad, a irreverente interpretação de Bob Odenkirk garantiu uma série carismática, com tons de humor, mas com muito drama. Consegue dar um arco dramático para o personagem que deixa os acontecimentos posteriores mais marcantes ainda.

Apesar de que nessa última temporada aconteceram vários problemas, como a pandemia e também o infarto sofrido pelo ator.

O final e o início

Após cinco temporadas completas e uma sexta que volta agora no dia 11 de julho, Better Call Saul é surpreendente, e fica na expectativa para um término satisfatório. É natural que pela ansiedade o final tenha um tom trágico, mas cresce a curiosidade de ver, finalmente, Saul Goodman com Walter White novamente.

Better Call Saul está no catálogo da Netflix. A segunda parte da sexta temporada volta no dia 11 de julho.

 

Leia também

Ver mais