Região:

min

max

Anuncie aqui

Mesmo não sendo filmado: Sorria!

Por Padre Beto
(Atualizado em 08/07/2022 - 7h06)
Compartilhar

Com cerca de quatro meses de idade uma criança tem a capacidade de expressar um sorriso se alguém lhe faz cócegas em sua barriga. Quando a mesma criança atinge um ano já possui desenvolvido seu senso de humor, ou seja, o entendimento para situações cômicas e engraçadas. Ela é capaz, por exemplo, de reagir com uma bela risada ao ver sua mãe chacoalhar de propósito uma mamadeira ou lhe fazer alguma careta.

Existem aquelas pessoas que, a partir de seus primeiros anos de vida, não param mais de desenvolver a capacidade humorística e aumentar o habito do riso;  outras, porém, desenvolvem sua potencialidade para o humor com timidez ou acabam deixando que ela se atrofie quase que totalmente.

Sem dúvida, o humor e o sorriso são frutos de um estado de espírito, mas também não deixam de ser hábitos que podem e devem ser praticados.

A palavra humor vem do latim (humore) que significa substância líquida ou semilíquida. Na antiguidade, o humor era o remédio dos curandeiros para manter o equilíbrio dos líquidos do corpo. Este significado acabou se perdendo com o passar do tempo e, somente no final do século vinte, começou a ser redescoberto.

Uma cena cômica, uma boa piada ou cócegas na barriga constituem, segundo muitos cientistas, um caminho nobre para o inconsciente e um verdadeiro relaxamento da psique. Ao darmos aquela gostosa e solta gargalhada reativamos as mais antigas regiões do cérebro e descansamos as mais jovens. Surge um estado meditativo e nossa memória passa por um processo de purificação.

Os problemas do cotidiano são esquecidos por alguns momentos e mais tarde possuímos mais força para enfrentá-los. Mesmo que forçado, o humor é um meio de entender as adversidades do cotidiano com mais leveza. Até mesmo diante de doenças, o riso provoca efeitos colaterais significativos, como mostra o eterno filme “Patch Adams – O Amor é Contagioso”. O humor também está intimamente associado à sexualidade.

O riso e o orgasmo não podem ser dissociados do prazer e da alegria, do relaxamento e da mútua entrega. Pesquisas científicas já provaram que pessoas de bom humor possuem muito mais prazer no ato sexual e atingem com mais facilidade o orgasmo.

De qualquer forma, basta olhar para o momento difícil que estamos vivenciando para perceber que o riso é algo de sagrado. Portanto, mesmo sem vontade, sorria!