Região:

min

max

Anuncie aqui

Chegou a hora de discutir a relação

Por Nádia e Osmar Chor
(Atualizado em 26/08/2022 - 10h53)
Compartilhar

“Minha bike é boa, tem até câmbio Shimano“. Quem nunca ouviu essa frase, não é mesmo?

Difícil explicar para essa pessoa que ter um equipamento Shimano não é necessariamente garantia de bom desempenho.

Calma, a Shimano é reconhecidamente uma excelente marca, mas, como em qualquer empresa, existem linhas de produtos pensadas para um tipo de uso.

Uma bicicleta para aquela voltinha no quarteirão de casa não precisa de um equipamento sofisticado. Nada mais apropriado do que comprar o que chamamos de “relação de entrada”. Agora, usar essa mesma relação em uma bike para trilhas, dowhill ou mesmo estrada, com certeza estará sacrificando demais a peça, originalmente não pensada para essa finalidade, além de não conseguir o rendimento esperado.

Então, antes de dizer que sua bicicleta é excelente porque tem marchas Shimano, analise a configuração. Vamos tentar ajudá-lo:

 

Primeiro, o que é relação?

Numa explicação simplista, é o conjunto de marchas de uma bicicleta, envolvendo a coroa (na frente), o cassete ou catraca (atrás) e a corrente que liga essas duas partes.

 

E por que é tão complicado escolher a relação ideal?

Porque dependendo do conjunto, a bicicleta vai se comportar de maneira diferente. Uma configuração pesada vai proporcionar velocidade, mas em compensação vai exigir muito do ciclista nas subidas. Já a configuração leve, ajuda nas subidas, mas terá pouca velocidade final.

 

E como se monta as diferentes configurações?

Com a quantidade de pinhões e o número de dentes em cada peça. Complicado? Vamos tentar simplificar.

Como dissemos, a coroa fica na frente, junto ao pedal, e existem configurações com um, dois ou três discos.

Existem três configurações de coroa: com um, dois ou três discos (Foto: Reprodução)
Existem três configurações de coroa: com um, dois ou três discos (Foto: Reprodução)

 

Esse número vai ser multiplicado pela quantidade de pinhões na catraca ou cassete.

Pinhão com 42 dentes (Foto: Reprodução)

 

Para não confundir ainda mais, vale a explicação: qual a diferença entre catraca e cassete?

Bem, a função é a mesma, o que muda é a forma de ação. A catraca é peça única, juntando todos os pinhões. Quando um pinhão gastar, precisa trocar o jogo todo. Já o cassete é uma engrenagem moderna, com peças avulsas, mais fácil de manutenção.

Voltando a questão das configurações. As bikes mais antigas vinham com 21 marchas. O que significa, por exemplo, 3 coroas na frente e 7 engrenagens atrás. Depois surgiram com 8 pinhões, aí a bicicleta ficava com 24 marchas.

Em seguida 27 e por fim até 30 marchas. A amplitude de combinação permite ao ciclista ter bom desempenho tanto em subida quanto em velocidade final.

Só que não parou por aí. Os projetos avançaram nos últimos anos e a moda agora é apenas uma coroa e 12 pinhões atrás. Parece limitar o desempenho, só que de acordo com o tamanho do pinhão e a quantidade de dentes em cada um, é possível ter a mesma amplitude encontrada na relação de 30 marchas. Então, não importa tanto a quantidade de coroas, mas sim a de pinhões e os dentes em cada peça. Para quem não está familiarizado é confuso mesmo.

Falamos das configurações, agora é a vez de explicar os modelos de câmbio.

Existem algumas marcas, mas vamos focar na Shimano por ser a mais popular.

A linha vai do Tourney, passando pelo Altus, Acera, Alívio, Deore, SLX, XT e XTR. O primeiro deles, tourney, é bem simples e recomendado somente para uso urbano leve.

Os demais vão melhorando a qualidade e consequentemente o preço sobe. A linha básica acaba no Alivio. O Deore é um intermediário com excelente custo/benefício.

O SLX já é o início dos equipamentos mais sofisticados, com menor peso e mais desempenho. O XT e o XTR atraem mais os atletas de alto rendimento, até porque o custo é bem elevado.

O range de preços é grande. O Tourney, por exemplo, começa em torno de R$ 300. Já o XTR, na parte de cima da tabela, pode chegar a R$ 9 mil reais, dependendo da configuração.

Então, qual escolher? Como dissemos, depende do uso proposto. De maneira geral, recomendamos Alívio, Deore ou SLX. Os três têm preços medianos e bom desempenho.