Região:

min

max

Anuncie aqui

Como escolher o local da cicloviagem

Por Nádia e Osmar Chor
(Atualizado em 16/09/2022 - 10h58)
Compartilhar

O ponto de partida para qualquer cicloviagem é a escolha do lugar. Nossa sugestão para quem está começando é escolher viagens curtas e, de preferência, perto de casa. Se algo não funcionar, é fácil ser resgatado por parentes ou amigos.

Só isso? Claro que não.

Tem que levar em conta a duração e o tipo de percurso. Como já dissemos na coluna, existem rotas tradicionais, com trajeto sinalizado e realizadas por dezenas de ciclistas (Leia: Depois da pandemia, hora de novos desafios pelo mundo). Toda essa experiência ajuda no seu planejamento.

Agora, você pode querer desenvolver a sua própria rota, desbravar lugares, como fizemos em 2018, com a Rota Moche, no deserto peruano. Criamos todo o percurso. Foram meses de planejamento.

E isso faz diferença? Muita diferença!

Na rota conhecida, seu planejamento é mais fácil. Existem relatos de outros ciclistas explicando como é pedalar naquele lugar, onde pernoitar, quantos quilômetros percorrer por dia, se tem subida, se é perigoso e tudo mais.

Já, quando você cria a sua própria rota, sempre existe o risco de algo dar errado. Por isso é preciso estudar muito, planejar.

Um outro aspecto é a natureza do lugar:

  • É frio?
  • Quente?
  • Chove muito?
  • Qual a melhor época do ano para ir?
  • Como é a estrutura das cidades por onde você pretende passar?

Isso vai refletir diretamente no seu check-list, ou seja, nas coisas que serão levadas e transportadas na bike. E o peso é um dos grandes inimigos do cicloturista. Cada quilo dobra, até triplica depois de horas na estrada. Imagine caminhar carregando um saco de 5 quilos de arroz. No início, beleza. Depois de algum tempo o braço começa a doer, vem a fadiga, o esgotamento. Com a bicicleta é a mesma coisa. Por isso, em cicloviagens, menos é mais.

O outro inimigo está ligado a questões meteorológicas: sol escaldante, frio de rachar, chuva. Tudo prejudica o rendimento.

A escolha do lugar também deve levar em conta o que você quer com essa cicloviagem: praia, lazer, conhecer lugares históricos, apenas visitar outros países?

No nosso caso, com o projeto Pedalando por Sabores, procuramos por turismo, gastronomia e bons lugares para pedalar. Claro que isso dá mais trabalho, mas vale a pena.

Um último conselho: antes de definir para onde ir, é bom se conhecer primeiro, saber seus limites. Não tente fazer mais do que pode. Afinal, serão dias seguidos sobre duas rodas. Com calma se chega onde se quer.