Região:

min

max

Anuncie aqui

Quanto pedalar por dia em uma cicloviagem?

Por Nádia e Osmar Chor
(Atualizado em 23/09/2022 - 9h31)
Compartilhar

A resposta poderia ser fácil e direta: pedale o quanto aguentar, só que, infelizmente, não é tão simples. Precisamos levar em conta alguns fatores, como a altimetria, cidades pelo caminho, a distância entre elas, e até o período da viagem.

Como cicloviagem costuma durar vários dias, é normal o rendimento do ciclista diminuir com o passar do tempo.  Claro, existem os atletas com alto nível de condicionamento, mas são casos fora da curva, nem vale a pena citar.

Em uma situação normal, o cansaço chega e é preciso estar preparado. Uma boa ideia é testar os limites. Faça simulações do trajeto e distância nos treinos, perceba com qual quilometragem começa a perder rendimento. Treine também subidas, elas fatalmente irão aparecer no seu caminho.

E lembre-se: cicloviagem não é passeio de bicicleta, a dinâmica é diferente. É normal pedalar cinco, 10, 15 dias sem descanso. O corpo reage de forma diferente.

Antes da nossa viagem de mil quilômetros pela Rota Romântica e Via Claudia Augusta, em 2017, treinamos intensamente por pelo menos dois meses, com pesos no bagageiro para simular as condições que enfrentaríamos nos 20 dias de jornada. Afinal, no nosso percurso estava a subida dos Alpes austríacos.

Testado o limite e feito o treinamento, chegou a vez da logística. Elenque as principais cidades do caminho, calcule as distâncias e altimetria entre elas. Saber as opções de parada é fundamental para não ficar no meio do caminho.

Pegando o nosso exemplo, o quadro abaixo é um pré-roteiro.

Quadro: quanto pedalar por dia?

Repare as distâncias maiores no início, período com energia total e zero cansaço. Depois, com o passar dos dias e a chegada da subida dos Alpes, diminuímos a quilometragem diária, que só voltaria na descida. Na parte final, ficamos num meio termo.

Isso é um pré-roteiro, um balizador.

Claro, muita coisa muda por causa da dinâmica da viagem. Um dia você não acorda bem-disposto, decide parar mais cedo. No outro, o desempenho está excepcional e se pedala mais. Importante é ter o levantamento pronto para ajudar na tomada de decisão. Outra coisa: é importante reservar tempo para imprevistos, eles sempre acontecem.

Se for dormir em hotel, a coisa é mais simples, mas se optar por barraca, reserve um tempo para procurar o lugar adequado. Fazer tudo isso à noite é complicado.

Agora um conselho. Não saia pedalando feito um louco no início para chegar logo. Aproveite o caminho, curta, fotografe, conheça pessoas.

Mais importante do que completar a viagem é aproveitar cada momento.

Os comentários estão desativados.