Região:

min

max

Anuncie aqui

Snurfer! A influência do surf na criação do Snowboard

O Brasil tem grandes nomes no snowboard fazendo história nas Olimpíadas de Inverno. A brasileira Isabel Clark é pentacampeã sul-americana

Por Paká Alves
(Atualizado em 01/09/2022 - 8h22)
Compartilhar

Difícil de afirmar e precisar quem criou o Snowboard e em qual época, é aceitável dizer que quatro nomes foram importantes para a origem do esporte na neve: Sherman Poppen, Dimitrije Milovich, Jake Burton e Tom Sims – com a influência do Surf na criação do Snowboard.

História

A primeira prancha “Snurfer” foi feita em 1964, um jovem surfista chamado Sherman Poppen de “Muskegon”, cidade localizada no estado americano de Michigan, sonhava em surfar na paisagem de inverno das Montanhas Rochosas. Sherman criou sua primeira prancha de plástico com 1,20m de comprimento, dois esquis de criança parafusados e apenas uma madeira – levavam uma corda no bico para facilitar o equilíbrio. Um ano depois, em 1965, sua ideia foi colocada em produção, Poppen em parceria com uma fabricante de bolas de boliche, produziu e vendeu um milhão de snurfer por 10 anos seguintes.

Influência

Em 1970, Dimitrije Milovich, também surfista, teve a ideia enquanto deslizava nas bandejas de cafeteria na neve do norte do estado de Nova York. Começou a desenvolver sua própria linha de pranchas com desenhos inspirados nos equipamentos de surf. Além de madeira laminada, ele colocou metal nas bordas. E foi assim que nasceu o Winterstick, desenhado com uma largura três vezes maior para ser usada sobre a neve fofa (powder). Assim como o Snurfer, a Winterstick não contava ainda com fixações para os pés.

Já em 1980 Jake Burton, um estudante de 23 anos na época, era completamente vidrado por snurfing e continuou aprimorando o produto, a fim de transformá-lo em um verdadeiro bem esportivo. Pegadas para melhor controle, nadadeiras para maior estabilidade, Jake estava sempre em busca de novos detalhes para melhorar sua pilotagem. Exatamente na mesma época, o ex-campeão de skate Tom Sims, também viciado em snurfing, iniciou a produção de pranchas de snowboard. Um nome importante também é Bob Webber, ele desenvolveu a famosa prancha “banana amarela” em 1977, feita de polietileno. Por que agora é chamado de snowboard, em vez de snurf? Isso se resume ao fato de que Sherman possuía os direitos dos nomes/palavras ‘Snurfer’ e ‘snurf’.

A revolução do esporte

O Snowboard começou a ficar radical com o americano Shaun White. Shaun é skatista e snowboarder, e isso ajudou a colocar em prática todo o seu talento em cima da neve. Em 2002, White teve suas primeiras medalhas no Winter X-Games, que ganhou medalhas de prata no snowboard slopestyle e superpipe. Já nos X-Games de 2003, White dominou as modalidades de snowboard, superpipe e slopestyle e conseguiu um feito histórico ganhando medalhas de ouro. A partir daí ele ganhou medalha em todos os anos que competiu nos X-Games. Em 2004, White fez uma bela apresentação no snowboard slopestyle e conseguiu continuar dominando a prova e ganhou sua terceira medalha de ouro. Nos X Games de 2005, White conseguiu a medalha de prata no Skate Vertical e, ainda no mesmo evento, ele foi tricampeão de snowboard slopestyle.

Além de ganhar tudo nos X-Games de inverno, Shaun também conquistou medalhas nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006. White conseguiu se classificar e ainda conquistou a medalha de ouro no halfpipe. De 2007 até 2018 o americano ganhou tudo que disputou e levou medalhas em quase todas categorias disputadas, inclusive no skate. São 3 medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Inverno, 14 medalhas no Winter X-Games e 4 medalhas no skate pelos X-Games. Uma máquina.

Snowboard Brasileiro

O Brasil tem grandes nomes no snowboard fazendo história nas Olimpíadas de Inverno. A brasileira Isabel Clark é dezoito vezes campeã brasileira e é pentacampeã sul-americana. Isabel teve a honra de ser porta-bandeira da delegação brasileira nos jogos de 2010, no Canadá. Isabel tem diversas participações em campeonatos ao redor do mundo e treinando em países do hemisfério norte. Clark com uma carreira de quase 20 anos, ela se despediu dos Jogos Olímpicos de Inverno na Coreia do Sul em 2018, aos 41 anos de idade.

A nova geração vem forte no snowboard e, segundo alguns especialistas, pode ganhar alguma medalha nos próximos eventos. Como todos sabem, o Brasil não tem neve para a prática do Snowboard e outras modalidades de inverno, porém a tecnologia auxilia. Em São Roque, interior de São Paulo, o local é considerado pioneiro da América Latina e conta com equipamentos de ponta. A estrutura conta com três pistas artificiais com diferentes inclinações, que permitem saltos com aterrissagem em colchão inflável Acrobag de 400 m², feito para treinamentos acrobáticos. Além disso, tem trampolins utilizados nos movimentos aéreos dos profissionais. A Confederação Brasileira de Desportos na Neve é parceira do Ski Mountain Park, que conta também com o apoio do Comitê Olímpico do Brasil (COB).

Fiquem ligados que toda semana tem algo diferente e muita informação e história de adrenalina.

 

Os comentários estão desativados.