Região:

min

max

Anuncie aqui

Com briga e brilho de Endrick, Brasil bate Argentina e leva o Torneio de Montaigu

Seleção brasileira sub-17 conquistou nesta segunda-feira o título do Torneio de Montaigu, na França, com vitória sobre a Argentina, por 2 a 1

Por Estadão Conteúdo
(Atualizado em 18/04/2022 - 17h46)
Compartilhar

Invicta, a seleção brasileira sub-17 conquistou nesta segunda-feira o título do Torneio de Montaigu, na França, com vitória sobre a Argentina, por 2 a 1, gols dos palmeirenses Endrick e Luis Guilherme. No apito final, os rivais partiram para cima dos brasileiros para brigar. Mas a confusão rapidamente foi contida e a festa verde e amarela dominou o campo.

As duas revelações do Palmeiras foram os destaques da competição, anotando nada menos de nove dos 11 gols da seleção brasileira. Endrick foi o artilheiro, seguido de perto pelo companheiro de clube e camisa 10, Luis Guilherme, com quatro.

A jovem revelação palmeirense, de somente 15 anos, ainda deu uma assistência na competição, além de ter sofrido um pênalti na decisão. A seleção brasileira ganhou de México, Inglaterra e Argentina, além de empatar com a Holanda, para voltar a erguer o troféu do torneio após 38 anos.

Endrick foi o artilheiro e ainda ganhou o troféu de craque da competição. Nesta segunda, o destaque do Palmeiras na inédita conquista da Copa São Paulo de Futebol Jr. abriu o caminho para o título do Brasil. Logo no primeiro minuto, ele recebeu lançamento longo de Luis Guilherme e na dividida com o goleiro, a bola foi parar nas redes.

O camisa 9 desperdiçou boa chance de ampliar e viu os hermanos empatarem com belo gol de Agustín Ruberto, de puxeta, aos 12 minutos. O Brasil não se intimidou e buscou nova vantagem, que seria definitiva. Em rápido contra-ataque aos 34 minutos, Endrick foi derrubado na área. Luis Guilherme bateu bem e fez 2 a 1.

Depois de um grande primeiro tempo, o Brasil passou mais aperto com o crescimento dos Argentinos na etapa final. Mas soube se defender para garantir o título. A revolta dos derrotados no apito final não se transformou em briga generalizada porque muitos brasileiros só queriam fazer festa pela conquista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.