Região:

min

max

Anuncie aqui

Flamengo vira sobre Vélez e faz final brasileira da Libertadores com Athletico-PR

Finalíssima está marcada para o dia 29 de outubro, no Equador

Por Estadão Conteúdo
(Atualizado em 08/09/2022 - 0h17)
Compartilhar

A grande rivalidade entre Flamengo e Athletico-PR terá um novo ato no dia 29 de outubro, no Estádio Monumental de Guayaquil, no Equador, agora valendo a taça da Copa Libertadores em nova final brasileira. Os paranaenses estavam garantidos desde terça-feira e os cariocas confirmaram a vaga nesta quarta-feira com virada sobre o Vélez Sarsfield, no lotado Maracanã, por 2 a 1.

A decisão brasileira de 2022 será em tons vermelho e preto e colocará frente a frente equipes que viram a rivalidade crescer na década. O Flamengo ganhou do Athletico-PR na decisão da Copa do Brasil de 2013 e o troco veio em 2016 pela Primeira Liga. Outro golpe duro nos cariocas foi na semifinal da Copa do Brasil de 2019, com 3 a 0 no Maracanã – os paranaenses ergueriam a taça contra o Inter. No ano, o time de Dorival Júnior levou a melhor nas quartas da Copa do Brasil e fez 5 a 0 pelo Brasileirão. Agora farão a primeira decisão continental.

Será a terceira final da Libertadores em quatro anos do Flamengo – ganhou do River Plate em 2019 e perdeu do Palmeiras no ano passado. Já havia sido campeão em 1981 também. E a segunda do Athletico-PR, vice-campeão em 2005 diante do São Paulo.

Não foi uma apresentação de encher os olhos dos cariocas, sobretudo pelo primeiro tempo abaixo do esperado. Mas a equipe tinha vantagem de 4 a 0 da ida e não precisava correr riscos. Sem contar a grande falta que o time sente do astro Gabriel Barbosa, poupado por estar pendurado.

Mesmo assim, em momento algum o Flamengo teve sua classificação ameaçada. Destaque para Pedro, que mais uma vez deixou sua marca e já tem 16 gols com a camisa rubro-negra na Libertadores, igualando a marca do ídolo Zico. Ele ainda deu assistência para Marinho virar após grande jogada.

Com vantagem gigantesca após 4 a 0 na Argentina, Dorival Júnior não quis saber de correr riscos de perder Gabigol e Thiago Maia, seus jogadores pendurados, para a final. E nem os relacionou. Ainda perdeu os jovens Victor Hugo e Matheus França por lesão, enquanto Léo Pereira e David Luiz eram desfalques por suspensão

Apesar das modificações, a confiança era em grande apresentação para a manutenção da vantagem e, se possível, presenteando os torcedores que lotaram o Maracanã com novo triunfo. Os argentinos falavam em jogar pelo brio e buscar uma despedida honrosa, cientes da missão impossível que tinham pela frente.

A bola rolou e o Flamengo partiu com tudo para frente. Rondou a área o tempo todo, mas acertar o alvo que é bom… O primeiro chute no gol veio apenas aos 39 minutos, com Arrascaeta. Naquele momento o Vélez Sarsfield já vencia por 1 a 0 com Pratto se antecipando a Pablo.

Pedro, autor de três gols na ida, empatou na sua primeira chance Em seu 49° jogo pelo Flamengo na Libertadores – se tornou o jogador com mais aparições na competição da história do clube -, Everton Ribeiro salvou o primeiro tempo ruim ao cruzar na cabeça do artilheiro. De costas, o centroavante mandou às redes. Gol importante sob o olhar de Cléber Xavier e César Sampaio, auxiliares de Tite na seleção brasileira – deve ser convocado na sexta-feira para amistosos com Gana e Tunísia.

Diferentemente do primeiro tempo, as equipes encontraram mais espaços em uma segunda fase com argentinos indo para o tudo ou nada e se expondo. Com cinco minutos o Flamengo desperdiçou duas chances para a virada, com Vidal e Pedro. Orellano assustou do outro lado.

O tempo foi passando e Dorival Júnior começou a poupar seus jogadores amarelados na partida. Mas sempre pedindo para o time atacar. Em uma roubada de bola, João Gomes serviu Pedro, que deu uma caneta no marcador e passou para Marinho mandar no ângulo. Explosão no Maracanã com 6 a 1 no placar geral do confronto.

O estádio já festivo ficou ainda mais bonito com show de luzes dos celulares e gritaria ainda mais alta. O time fez o tempo passar embalado por gritos de “olé”, os torcedores exaltaram seus jogadores e ainda cantaram o que querem daqui 52 dias: “Vamos, Flamengo, vamos ser campeão, vamos Flamengo.”

Ainda deu tempo para Pablo ampliar nos acréscimos, de cabeça. Concluiu cruzamento de Marinho. Mas o VAR anulou por impedimento do zagueiro.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 x 1 VÉLEZ SARSFIELD
FLAMENGO – Santos; Rodinei, Pablo, Fabrício Bruno e Filipe Luís (Ayrton Lucas); João Gomes, Vidal (Pulgar), Everton Ribeiro (Varela) e Arrascaeta (Diego); Everton Cebolinha (Marinho) e Pedro. Técnico: Dorival Júnior.
VÉLEZ SARSFIELD – Burián; Jara, De los Santos, Brizuela e Ortega; Garayalde, Cáseres (Seoane), Florentin (Fernandez), Janson (Castro) e Orellano (Osorio); Pratto (Walter Bou). Técnico: Alexander Medina.
GOLS – Pratto, aos 20, e Pedro, aos 42 minutos do primeiro tempo; Marinho, aos 22 do segundo.
CARTÕES AMARELOS – Filipe Luís e Vidal (Flamengo) e Garayalde, Seoane e Brizuela (Vélez Sarsfield).
ÁRBITRO – Piero Maza (CHI).
RENDA – R$ 5.522.336,00.
PÚBLICO – 66.635 presentes.
LOCAL – Maracanã, no Rio.