Região:

min

max

Anuncie aqui

Leclerc erra, Verstappen vence GP da França e dispara na ponta do Mundial

Piloto da Ferrari fez a pole, liderava a corrida, mas bateu e viu o adversário da Red Bull disparar na liderança do campeonato

Por Estadão Conteúdo
(Atualizado em 24/07/2022 - 16h34)
Compartilhar

Um erro do piloto da Ferrari quando estava absoluto na liderança definiu a vitória do Grande Prêmio da França em favor do holandês Max Verstappen. Charles estava em primeiro lugar quando, na volta 17, passou reto e bateu na curva 11 abandonando a prova. Com o vacilo do principal rival, a Red Bull administrou a vantagem até o final e garantiu mais uma vitória na temporada. A surpresa ficou por conta do segundo lugar de Lewis Hamilton, que completou 300 GPs neste domingo.

O resultado faz Verstappen disparar na classificação. Com a vitória, chegou aos 233 pontos abrindo distância para Leclerc, que segue com 170. O triunfo da Red Bull colocou fim também à tentativa da Ferrari de emplacar a terceira vitória seguida na temporada. Foi a 7ª conquista do piloto holandês só neste ano em 12 provas.

Na semana que vem acontece o Grande Prêmio da Hungria. A corrida vai ser realizada no circuito de Hungaroring pela 13ª etapa do calendário de F-1.

Feliz com o segundo lugar, Hamilton agradeceu o trabalho da equipe pelo resultado final. “Todos estão de parabéns. Foi um final de semana difícil. Estávamos longe dos carros da frente. Mas valeu o resultado.” Foi o quarto pódio seguido do heptacampeão (três terceiros e agora um segundo lugar).

George Russel, em uma disputa particular com Carlos Sainz, garantiu o terceiro posto nas últimas voltas.

Bastante abatido, Leclerc admitiu ter entregado a prova de bandeja para o seu rival. “Eu cometi um erro e não mereço ser campeão”, desabafou.

Na largada, Leclerc manteve a dianteira com Verstappen na cola. A surpresa ficou por conta de Hamilton. O heptacampeão deixou Perez para trás e pulou para o terceiro lugar. Yuki Tsunoda, da Alpha Turi, rodou no início e chegou a ficar atravessado na pista. O japonês, que havia largado em oitavo, voltou para corrida em último lugar.

O forte calor também esteve presente neste domingo. Kevin Magnussen, da Haas, foi o primeiro a visitar os boxes na nona volta.

Como se imaginava, a briga pelo primeiro lugar ficou restrita a Leclerc e Verstappen. O piloto monegasco chegou a abrir cinco segundos, mas logo voltou a ser perseguido pelo rival da Red Bull.

A décima sétima volta marcou a parada de Verstappen para a troca de pneus. O holandês passou a vice-liderança para Lewis Hamilton e voltou para a pista em oitavo lugar.

Mas foi no giro seguinte que o inesperado aconteceu. Com boa folga na ponta, Charles Leclerc passou reto e bateu na curva 11 abandonando a prova. O safety car entrou na pista e a Ferrari jogou fora a chance de vitória no Grande Prêmio da França.

Com as paradas nos boxes, a ordem dos pilotos foi Verstappen em primeiro, seguido por Hamilton, Perez e Russel nas quatro primeiras posições da corrida. A bandeira amarela acabou beneficiando o ferrarista Carlos Sainz. Ele trocou os pneus duros pelos médios, melhorou o rendimento e iniciou sua corrida de recuperação subindo para o sexto lugar.

A ausência de Leclerc deu a Verstappen a tranquilidade necessária para administrar a vantagem na liderança. Com o carro mais ajustado, ele passou a abrir boa vantagem para Hamilton, o segundo colocado.

Carlos Sainz seguiu mantendo um ritmo forte chegou em Russel na briga pelo quarto posto. Com mais potência nas retas, o espanhol botou pressão e, na volta 30, conseguiu fazer a ultrapassagem sobre o carro da Mercedes.

Com mais de oito segundos de vantagem, Verstappen seguiu absoluto na frente com Hamilton em segundo. Sainz foi para os boxes apostando na última troca de pneus e voltou em nono.

A principal disputa foi pelo terceiro lugar e George Russel, no fim da prova, conseguiu ultrapassar o rival da Ferrari e garantir o posto e o lugar no pódio.

Confira a classificação final do GP da França:
1º – Max Verstappen (HOL/Red Bull), em 1h30m02s
2º – Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 10s587
3º – George Russel (ING/Mercedes), a 16.495
4º – Sergio Pérez (MEX/Red Bull), a 17.310
5º – Carlos Sainz Jr. (ESP/Ferrari) , a 28s872
6º – Fernando Alonso (ESP/Alpine), a 42s879
7º – Lando Norris (CAN/McLaren), a 52s026
8º – Esteban Ocon (FRA/Alpine), a 56s959
9º – Daniel Ricciardo (AUS/McLaren), a 1:00.372
10º- Lance Stroll (CAN/Aston Martin) , a 1:02s549
11º – Sebastian Vettel (ALE/Aston Martin), a 1:04s494
12º – Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri), a 1:05s448
13º – Alexander Albon (TAI/Williams), a 1:08s565
14º – Valtteri Bottas (FIN/Alfa Romeo), a 1:16s666
15º – Mick Schumacher (ALE/Haas), a 1:20s394
16º – Zhou Guanyu (CHN/Alfa Romeo), a 6 voltas

Não completaram a prova:
Charles Leclerc (MON/Ferrari)
Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri)
Nicholas Latifi (CAN/Williams)
Kevin Magnussen (DIN/Haas)