Região:

min

max

Anuncie aqui

Entenda mais sobre a Síndrome de Ramsay Hunt, doença que paralisou rosto de Justin Bieber

Em entrevista, médica neurologista explica melhor alguns pontos desta infecção

Por Redação
(Atualizado em 14/06/2022 - 19h49)
Compartilhar

O cantor e compositor canadense Justin Bieber, de 28 anos, chocou os fãs após um vídeo publicado na última sexta-feira (10), aonde aparecia com metade do rosto paralisado. Ele foi diagnosticado com a rara Síndrome de Ramsay Hunt.

 

Em entrevista com a médica neurologista Natasha Consul Sgarioni, tiramos algumas dúvidas sobre a doença, desconhecida por muita gente que foi pega de surpresa com o problema que está afetando o astro pop.

 

O que é a Síndrome de Ramsay Hunt e suas causas?

 

A médica explica que a síndrome de Ramsay Hunt é uma infecção do nervo facial, responsável por inervar os nossos músculos da face.

Causada pelo vírus Herpes-Zoster, o mesmo vírus que pode causar a catapora. “Ele fica ‘adormecido’ no nosso corpo, e, em determinadas situações, pode ser reativado, no nervo, levando a quadros agudos como o a Síndrome de Ramsay Hunt.”

 

Quais são os sintomas desta infecção?

 

Nas infecções pelo herpes, temos a presença de bolhas, com líquido, que podem aparecer no ouvido interno e externo, língua e boca, associado a vermelhidão. A pessoa pode sentir dor na cabeça e no local das bolhas associado, além de sensação do olho seco (pela dificuldade em movimentar a pálpebra), tontura, febre, perda auditiva e zumbido.

 

Além disso, a especialista ainda cita a paralisia facial periférica, como o caso do cantor, onde há uma paralisação dos músculos da face, levando a uma assimetria, também ocasiona dificuldade para levantar a sobrancelha, fechar os olhos e desvio da boca, alterando a fala e a mastigação.

 

Quanto tempo podem durar os sintomas?

 

Normalmente dura de 1 a 3 semanas, podendo sempre variar de pessoa para pessoa. O tratamento deve ser iniciado o mais precocemente possível.

 

A doença deixa alguma sequela?

 

Natasha diz que a doença pode sim deixar a assimetria facial persistente, além de alguma dores crônicas (neuralgia pós-herpética), a perda auditiva, zumbidos e espasmos faciais.

 

Existe um público específico ou faixa etária com mais casos?

 

A doença é mais frequente em indivíduos acima dos 50 anos, uma faixa etária para qual, inclusive, já existe vacinas disponíveis nas redes particulares, que ajudam na redução de possíveis complicações como a neuralgia pós herpética. A doutora frisa que pacientes com diabetes e em uso de medicações que reduzam a imunidade, há um risco maior de infecção.

“Vem ocorrendo um aumento de casos em jovens, que pode ser relacionado a quedas na imunidade decorrentes do estresse crônico.”

 

Qual o tratamento necessário?

 

“O tratamento é feito com uso de antivirais, corticoides, lubrificantes oculares e fisioterapia para ajudar na reabilitação. Reforçando que quanto antes o tratamento for iniciado, ajuda na redução do risco de sequelas”, termina.